Doenças Relacionadas a Obsessão – parte 2

Importante, porém, lembrarmos que TODO distúrbio mental ou cerebral tem como origem uma necessidade de resgate que, agindo de acordo com as leis divinas, age na formação do corpo do reencarnante, criando predisposição para os eventos psico-bio-físicos que poderão ser ativados durante a vida carnal do espírito.

Por este motivo podemos afirmar que todos estes processos tem origem espiritual, seja ativada por resgates de existências anteriores ou por presença de obsessores junto ao encarnado – criando uma influencia psíquica que pode acionar as situações predispostas anteriormente.

Em todo caso, paralelamente ao tratamento clínico/psicológico – que é obrigatório uma vez que o distúrbio afeta partes físicas do cérebro – pode ser efetuado um acompanhamento espiritual para verificar a existência de espíritos que estejam influenciando negativamente o encarnado.
Importante também lembrar a presença/frequência em uma casa de oração e a busca pela harmonia interior através de bons sentimentos, comportamentos, atitudes e estudos, que são fatores que auxiliarão grandemente no processo de tratamento destes tipos de transtornos.
-fonte: site / Bom Espírito

TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo – como o próprio nome diz Obsessivo!

toc

Visão espiritualista:  este distúrbio tem inicio na falha orgânica entre 4 a 7 anos de idade, vindo a se desenvolver no decorrer do tempo através de manias que começam a virar rotinas até se tornarem um ritual na vida da pessoa, como quando ao levantar você vai no banheiro escovar os dentes e lavar o rosto, algo comum que no ensinam e  tomamos como ritual diariamente. São tarefas que se iniciam na mente, para um portador de TOC essas tarefas são levadas a risca. E por que isso acontece? Comandos externos (obsessor/artefatos astrais) são inseridos magneticamente no obsediado (vitima), em seus corpos mental (4º e 5º) e astral (3º). Sua atuação leva comandos desde os mais simples ao mais graves, como se não concluir determinada tarefa penalidades diversas acontecerão consigo e com seus próximos.

Quando o portador do TOC possui indícios de mediunidade aberta, faz com que seja um prato feito ao algoz, onde este atua através destes portais, projetando no físico visões e

alucinações (através da materialização sob terceiro olho). O meio mental é a parte induzida que traz comandos intensos e diretos ao cérebro, atuando assim na matéria.

Quanto as classificações, se será limpeza, manias simples, etc. Isso ocorre conforme as fraquezas da pessoa, as tendencias em comum como próprio obsessor, dependendo do plano que está, e do tipo de tortura psicológica que ele consegue provocar.

Bipolaridade – depressão bipolar

Sem títuloVisão espiritualista: este distúrbio tem inicio na falha orgânica entre 4 a 7 anos de idade, todos nós possuímos uma tríade em nosso âmago, onde em uma polaridade temos os bons valores, as alegrias que podemos classificar como nosso anjo interior, e no polo oposto os defeitos, as tristezas, que classificamos como nosso “diabinho” interior. Ao topo de nossa tríade temos a vida, para alcança-la por completo percorremos o caminho oscilando entre um e outro. O bipolar perde o filtro e a disciplina entre os dois polos, e passa a viver intensamente em um e depois troca pelo outro e leva-se tempo até conseguir se equilibrar novamente e dar seguimento na linha central da vida.

A correlação entre o bipolar e o obsessor ocorre quando o espírito encontra facilidades dentro do filtro, que são as tendencias diárias da pessoa, como por exemplo quando ela explode do nada em relação a algo que não deu certo, e altera o humor com facilidade. Neste momento o obsessor encontra uma aresta e passa a atuar nela, manipulando principalmente o humor que oscila conforme as emoções, com o passar do tempo, ele adquire forças o suficiente para manipular o ambiente que a vitima está inserida, assim mais e mais pessoas que estão no seu dia-a-dia passam a receber influencias para que proporcione uma serie de alteração de humor simultâneas para que o equilíbrio químico e emocional se desencontrem e aí passe a interagir nos polos de forma mais intrínseca.

Epilepsia – Convulsão e perda de consciência.

Visão espiritualista: este distúrbio tem inicio na falha orgânica desde a gestação a 4 anos de idade. Este é um processo complexo, onde atua o obsessor com processos elaborados, tais como fascinação, subjugação, vícios, e péssima qualidade de pensamento. O epilético é um médium indisciplinado, podendo ser leigo no assunto, ter medo e cometer fugas de suas responsabilidades espirituais onde agravam a situação e dão plenos poderes ao obsessor que mais e mais afetará o corpo fisiológico.

Explicando algumas causas: quando a pessoa nasce pode trazer informações genéticas incorretas, como doenças e pre-disposições, que denominamos como código 21. Este é um fator que fisiologicamente já vem pré-disposto a receber a obsessão, em casos de carmas, tudo dependerá das atitudes, pensamentos e acolhimento familiar.

Outro fator é o uso e abuso de drogas, seja de qualquer estipe: medicamentos, tabagismo, alcoolismo, maconha (que atua no cérebro), cocaína (destrói faringe agride o corpo), crack, heroína, entre outros que destroem neurônios, ativam o sistema nervoso central (que liberam ativações do obsessor), danificam cérebro, e demais mecanismos fisiológicos. Esses distúrbios causados pela droga além de abrir o canal de comunicação astral (visão) também aceleram a propensão a epilepsia.

Mediunidade e epilepsia – normalmente os acontecimentos correlacionados entres esses dois tópicos ocorrem quando há mediunidade se aflorando, nestes casos, incorporação. O momento da convulsão e inconsciência se dá pelo fato  dos princípios religiosos, os dogmas da vitima, acontecendo assim um choque anímico. O obsessor age com frequência fluídica tal no cérebro a ponto de adormecer a consciência, desdobrando o ser para dar lugar a sua frequência vibratória, mas não se dá conta que acaba atrapalhando o resto do processo com choque anímico, assim impossibilita sua manifestação.

Todo caso de epilepsia é ligado a obsessor?

Não propriamente dito, pode haver ali algum tipo de comunicação de luz também, ou pedidos de ajuda, o processo segue o mesmo do obsessor quanto aos choques energéticos, impossibilitando a comunicação e materialmente falando tendo apenas mais uma crise.

Por que medicação controla?

Medicação age no organismo e também ativa o epicentro cerebral assim o canal mediúnico se fecha por tempos determinados, controlado pela medicação terrena. Lembrando que o controle maior se deve por estudos e acompanhamento espiritual e controle mental também.

Acumulação Compulsiva

Disposofobia, também conhecida como acumulação, é o termo utilizado para definir a condição patológica que se caracteriza por compulsiva aquisição e acumulação de objetos, mesmo que os itens não tenham utilidade, sejam insalubres ou perigosos. Este transtorno mental resulta em impedimentos e danos consideráveis para as atividades cotidianas, como mover-se dentro da casa, cozinhar, limpar, dormir, utilizar o banheiro, dentre outros.

A prevalência desta condição é de 2-5% nos adultos, sendo mais frequente em adultos mais velhos de ambos os sexos. Alguns fatores estão associados à disposofobia englobam o alcoolismo, traços paranoicos, esquizofrenia e transtorno obssessivo-compulsivo.

fonte: http://www.infoescola.com/doencas/disposofobia/

Visão espiritualista: este distúrbio tem inicio na falha orgânica no período de 4 a 7 anos de idade.

Neste caso, o obsessor é aliado a vitima por afinidade de emoções, onde ambos desequilibrados atuam atemporalmente, vivem em um mundo alienado da realidade, vivendo e revivendo suas memorias infantis, suas emoções e suas dores. Os acumuladores possuem sempre historias de perdas, de abandono familiar, covardias emocionais, timidez excessiva que leva ao isolamento social.

Neste processo de obsessão começa com algo simples, onde se aproxima por afinidade, porem vai se tornando ao longo da vida complexo, conforme as aberturas que a vitima dá ao obsessor de manipulação e obediência, aqui caracteriza uma simbiose, e após um vampirismo, onde a vitima chega a colocar sua vida em risco, e somente com intervenção social (casos de utilidade e sanidade publica) que através de choques de realidade e tratamento físico conseguem amenizar o transtorno mental. Porem a obsessão só cessa com atendimentos e exorcismo espiritual, caso contrario a vitima voltará a acumular, passando assim a ter uma vida vigiada.

textos: C.L.V.

Anúncios

Uma opinião sobre “Doenças Relacionadas a Obsessão – parte 2”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s