Texto sobre orgonites – parte 3

Composição final de um orgonite

Rei de orgoniteA forma definitiva que se assume como orgonite é uma mistura de metal, resina e um quartzo.

A presença do quartzo no interior do orgonite gera uma pequena corrente elétrica que surge devido a compressão produzida pela resina, é o chamado efeito piezoelétrico. Esta energia acelera o funcionamento do orgonite tornando-o então útil para as mais diversas aplicações.

Temos uma consideração interessante onde existe a necessidade da colocação de um quartzo que é chamado de pedra principal do orgonite. Esta pedra pode ser de vários tipos, desde que gere o efeito piezoelétrico: quartzo, ametista, Turmalina, Calcita e Citrino entre outros. E uma pedra secundária, que não gera necessariamente o efeito mas agrega alguma qualidade interessante ao orgonite, podemos citar: Ônix, Turquesas e Lapis Lazuli entre tantas outras.

Apesar das opções creio que o quartzo representa a melhor delas. Tanto pela forma e tamanho quanto pelas características naturais da pedra. O quartzo aceita a colocação de uma programação, que vai afetar a energia emitida pela orgonite. Quando esta programação estiver ausente, ou se esvair, o cristal vai assumir as qualidade naturais que são: atuação em todos os processos de cura, harmonização da energia, nos liga com nossa consciência, ajuda na concentração e reestabelece o equilíbrio do corpo físico.

Screenshot_4Podem ser colocados também pedras auxiliares, conforme a preferência da pessoa, mas não é algo fundamental, tendo em vista que o quartzo pode ser programado para atender qualquer necessidade oferecida por outras pedras. Mas as pedras auxiliares são úteis além de embelezarem o orgonite.

A resina pode ser substituída por outro componente orgânico como o mel ou a parafina. Mas cada uma destas alternativas apresenta alguma dificuldade para a construção da peça. Sendo que o principal é a falta de pressão sobre o cristal de quartzo. Também podemos citar a questão da forma, da embalagem, como no caso do mel, que precisamos colocar em uma garrafa ou vidro.

A resina apresenta então vantagens muito importantes pois além de se moldar aos diversos formatos apresenta uma pressão constante sobre o quartzo e mantém-se estável por muito tempo, apresenta também uma boa resistência mecânica e pode ser colorida com muitos tipos de corante para adquirir uma cor agradável.

Os metais usados no orgonite são basicamente o cobre, o alumínio e o ferro. Seja pela sua facilidade de obtenção quanto as possibilidades de manuseio como no caso do cobre, com ele podemos criar diversos símbolos e figuras para embelezarem o orgonite.

O cobre e o alumínio são preferidos principalmente pela alta condutibilidade elétrica, o que facilita a expansão da eletricidade gerada pela quartzo por toda a estrutura da orgonite, desde que o metal esteja espalhado na peça é claro.

O cobre apresenta como vantagem importante uma massa maior do que o alumínio e este fator pode ser importante na construção do orgonite conforme veremos mais adiante.

O ferro possui a maior massa de todos, mas sua condutibilidade elétrica é a menor. Mas é um metal fácil de ser obtido e relativamente barato. É interessante o seu uso para dar massa, peso, a orgonite, principalmente no caso de usar apenas o alumínio que pode gerar um desequilíbrio frente a quantidade de resina.

O cobre pode ser adquirido em rolo ou em forma de fio encapado em lojas de materiais elétricos, nas espessuras de 1, 1,5, 2,5 e 4 mm. cada uma delas apropriada para diferentes tamanhos de orgonite.

Já o alumínio pode ser obtido em empresas que trabalham com este material, tais como fabricantes de janelas, portas de alumínio ou com molduras. Normalmente são utilizadas pequenas aparas do metal que são resíduos do processo produtivo. As aparas, ou limalhas com são conhecidas, variam de tamanho e qualidade, possibilitando diversos trabalhos diferentes.

A criatividade deve ser usada para adaptar a colocação do metal na orgonite mas alguns cuidados em relação ao equilíbrio dos componentes devem ser tomados. Veremos este detalhe no próximo tópico.

Fonte: https://reikipro.wordpress.com/

R e i k i

Rei de orgonite

Composição final de um orgonite

A forma definitiva que se assume como orgonite é uma mistura de metal, resina e um quartzo.

A presença do quartzo no interior do orgonite gera uma pequena corrente elétrica que surge devido a compressão produzida pela resina, é o chamado efeito piezoelétrico. Esta energia acelera o funcionamento do orgonite tornando-o então útil para as mais diversas aplicações.

Temos uma consideração interessante onde existe a necessidade da colocação de um quartzo que é chamado de pedra principal do orgonite. Esta pedra pode ser de vários tipos, desde que gere o efeito piezoelétrico: quartzo, ametista, Turmalina, Calcita e Citrino entre outros. E uma pedra secundária, que não gera necessariamente o efeito mas agrega alguma qualidade interessante ao orgonite, podemos citar: Ônix, Turquesas e Lapis Lazuli entre tantas outras.

Apesar das opções creio que o quartzo representa a melhor delas. Tanto pela forma e tamanho quanto pelas…

Ver o post original 502 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s