Aula Corpos Espirituais – 6° Corpo – Búdico

76° Corpo – Búdico/Causal ou Buddhi

Descrição e funcionalidade:

  • Distante dos nosso padrões físicos e meios de expressão (pertence ao ternário superior, quando acordados esse corpo está dormente, quando dormimos ele acorda, somente através do sono profundo, alcançando a energia Delta)

post-10-10-11

  • Atemporal – Não pertence ao tempo de encarnados, é o corpo que guarda nossas memórias pretéritas, assim ele vibra na dimensão espiritual.
  • Intuição e Inspiração – por ser totalmente ligado ao chákra frontal, as energias trabalhadas podem ser percebidas pelas nossa faculdades mediúnicas, assim a intuição é a predominante quando estamos com padrão elevado energeticamente.
  • Corpo do “passado” – nossa caixa preta, onde todas as memórias e vivências do nosso espírito ficam guardadas, no corpo físico se localiza no cerebelo, espiritualmente esta região guarda nossa segunda consciência, a espiritual.
  • Karma – considerado o corpo do karma (ou carma como preferirem), ele guarda todos os mistérios de nossa existência e através da lei telúrica e das leis de ação e reação que interferem diretamente neste corpo, ele promove a harmonia de tudo que um dia desencarrilhou.
  • Interligado ao cordão de ouro: este cordão é como o cordão de prata porém o de prata liga o quartenário inferior e o cordão de ouro liga o ternário superior. Este cordão é responsável pelas informações e mentalizações realizadas no corpo mental em direção ao psicossomático. Capaz de sobreviver aos variados choques e entre-choques entre várias encarnações e situações. Possui dupla atuação extra-física, representando conexão entre mente-perispirito e como ligação entre planos das emoções e sentimentos.
  • Corpo das três almas: moral, intuitiva e consciencial:
  1.  Alma Moral – discernimento do bem e do mal, tem forma de um sol em chamas, é o veículo do espírito que o impulsiona a obediência às leis do local onde este está encarnado, e comanda o comportamento do ser em relação ao meio.
  2. Alma Intuitiva – Intuição, inspiração do gênio científico, literário e artístico (breve comentário sobre espíritos que vem preparados para a Terra), Iluminismo.
  3. Alma Consciencial – Consciência coordenadora e diretora da vida, elo de ligação com Centelha Divina. Em forma de pequeno sol brilhante, radiações retilíneas, centro da individualidade espiritual.

  • Sua forma é pelas linhas de força – em forma de ponta de lança triangular irradiando em torno, chamas ramificadas, animada em movimento rotatório lento, antena captadora e registradora das informações que vibram no Cosmo.
  • Matéria Hiperfísitca (sutil quintessenciação)
  • Verdadeiro períspirito ao final do processo evolutivo
  • Junto ao Átmico formam o Cristal e a Luz girando e flutuando no espaço
  • Meditação – quando se é adepto desta prática, muitos insights e flashes do passado surgem na primeira consciência (cérebro humano – consciência ativa)

Karma

  • Karma = Lei da Ação
  • Rege a absoluta harmonia do Cosmos
  • Se houver desarmonia, desencadeia-se a sua lei secundária: Reação
  • Reação = obriga tudo a voltar ao seu lugar para restabelecer a harmonia
  • Quando o homem se desvia da harmonia cósmica, torna-se antagônico, assim o caos se instala em si e ao seu redor.

Resgate Kármico

Se divide em 4 etapas:

  1. Conhecimento de desarmonia produzida

A dívida deve ser resgatada até o último centavo. Para ser paga é preciso que o devedor saiba o valor dela

Pergunta: O processo evolutivo se desenrola através dos tempos e o ser passa por sucessivas e inúmeras etapas encarnatórias, em que perde a memória do seu passado. Como, então, poderá ele saber a quantidade e o valor dos erros praticados, tanto mais que há os cometidos em passado longínquo?

Resposta: Qualquer ser humano encarnado sabe perfeitamente todos os erros que cometeu em qualquer época de sua vida consciente. Seu cérebro físico não sabe o que ele praticou em existências pretéritas, mas o espírito conhece tudo, isso explica a diversidade de temperamentos, as tendências más ou boas que todos os homens manifestam desde a infância.

2. Aquiescência em resgatá-la

Todos temos a necessidade de ser feliz, estarmos harmônicos conosco e com o todo, isso faz parte da evolução. A princípio todos pensamos que o dinheiro pode trazer tudo isso, e aí iniciamos a corrida atrás do dinheiro. Nessa etapa infantil da evolução, o homem é predador, abusa da agressividade, e fere todos quantos ousam pôr limites à sua ação possessiva. Com isso, espalha mais desarmonia do que benefícios. Este saldos fará com que em outras encarnações, este compreenda que nada de útil lhe restou de tudo que fez de perturbação, fez com que outros sofressem. Assim na próxima encarnação passará a resgatar a harmonia dos seus atos. Lá pelas tantas, a memória espiritual obriga o ser a andar em direção as mudanças. (“destino”)

3. Valor da desarmonia

Geralmente se pensa que é pelo sofrimento que o homem resgata os males que praticou em seu passado remoto. Redondo engano! O sofrimento apenas dá a medida dos erros cometidos, jamais serve de moeda para o pagamento de qualquer culpa.

A dor é mero indicador. Ela apenas aponta o quanto de desarmonia praticamos. O sofrimento portanto é educativo, serve como experiências para que erros não se repitam. Em suma, a dor ensina o amor.

    4. Ressarcimento

Ressarcimento = pagamento da dívida

O pagamento é o amor (comentário das encarnações de inimigos na família, karmas que são resgatados, pagos com amor) e de inimigos que encontramos e passamos nessa existência a conviver para sanar as dívidas e promover a harmonia novamente.

“Quem segue o caminho da harmonia, segue reto, quem traça o da desarmonia, segue em curvas e abismos. E nenhum dos caminhos se cruzam, por isso se faz necessário numa outra existência encontrar (consciente ou não) o caminho da harmonia”.

Há 19 séculos apóstolo Paulo deu a seguinte explicação:

“….o homem psychkós (intelectual) não compreende as coisas do espírito, que lhe parecem estultícia, nem as pode compreender, porque as coisas do espírito devem ser interpretadas espiritualmente.”

I – Coríntios 2:14 A vida do home nada mais é do que um campo das leis Kármicas.

O Buddhi é à parte das pessoas que é capaz de lidar com as dificuldades emocionais. O Buddhi nos ajuda a nos defendermos destas dificuldades. Ele é capaz de encará-las, ao mesmo tempo em que também afasta o incômodo causado por essas dificuldades emocionais.

O Buddhi funciona assim: se uma determinada dificuldade não causa muito incomodo (como: angústia, dor ou fere nossa autoimagem) então não precisamos nos defender dela, por isso podemos encará-la.

O Buddhi é à parte do ser humano que consegue lidar bem com a angustia, a dor e a autoimagem.

O Buddhi é o veiculo que nos leva ao Átma, ao nosso Brahman interno que está em tudo e é tudo. Está é a unificação da consciência, é a plenitude, é saber que você é parte de tudo e tudo é parte de você. Depois disso a solidão morre e mostra que é um mito. No Nirvana você sabe e sente que é parte de tudo.

Fontes:

  • Manual de Reflexologia e Cromoterapia – Pauline Wills
  • Além da Matéria – Uma ponte entre ciência e espiritualidade- espírito Joseph Gleber – Robinson Pinheiro.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s