Chákras

chakrasO que são Chákras?

Chákras são estruturas energéticas de fontes superiores com aparência de flores, que giram constantemente. São órgãos do espírito, que possuem a função de captar energia do cosmo e transmitir aos corpos, níveis de consciência e corpo físico. Portanto, os Chákras são captadores e transmissores de energia, todos somos manipuladores dessa energia captada. Essa energia captada é a energia mãe que mantêm a vitalidade do corpo carnal.

Segundo a literatura da Índia e do Tibete, os Chákras são como rodas (daí o nome Chákras = roda em sânscrito), cujo eixo central gira rapidamente e quando estão lentos permitem a visualização de pétalas de flor na qual se parecem muito com a flor de lótus.

Localização:

Os principais Chákras do corpo etérico estão alinhados ao longo de um eixo vertical, com cinco inferiores paralelos à medula espinhal estendendo-se à base da coluna ao crânio, os outros dois são ligados ao sistema nervoso enraizados juntamente ao cérebro. Também ligam os corpos: Físico, Etérico e Astral.

1Possuímos muitos Chákras, e detalharemos os sete tidos como principais:

  • Básico (Muladhara),
  • Esplênico (Swadisthana)
  • Plexo Solar (Manipura)
  • Cardíaco (Anahata)
  • Laríngeo (Vishuddha)
  • Frontal (Ajna)
  • Coronário (Sahasrara)

Todos os nomes em destaque são nomes de origem sânscrita, e são conhecidos por estes nomes na cultura oriental. Há também estudo de outros 21 chákras  chamados subsidiários, e também há um chákra específico denominado “chákra do Sacro” localizado entre o 1º e o 3º chákra, acredita-se que pode ser o 8º chákra principal.

Os chákras trocam energia entre si, ou seja, a energia captada por um o vitaliza e passa para os demais, os sete principais giram aproximadamente 21 vezes rapidamente com a energia passa pros subsidiários e o “8º”  que giram 14 vezes rapidamente e passam (pelos nadis) para demais micro chákras que a giram 7 vezes e expelem para fora do organismo. Essa energia vital que alimenta os chákras  está no ar que respiramos, na atmosfera planetária, em todos os ambientes e também através de pessoas que se aproximam de nós.

Nadis: são como micro caninhos que ligam um chákra ao outro e os enraízam no corpo físico (nervos e coluna) passando por dentro de alguns órgãos.

A velocidade da rotação dos chákras varia de ser pra ser, na maioria das pessoas a sua rotação pode ser comparada como um ventilador girando normal, aos adoecidos e acamados os chákras possuem rotação parecida com o ventilador na rotação fraca (pois o chákra afetado que indica a doença está jogando a energia pra fora em ao invés de absorve-la, o que é normal nesses casos onde tanto os corpos sutis quanto os chákras mudam sua rotação expelindo assim o prana), as pessoas que procuram desenvolvimento seus chákras variam da rotação máxima do ventilador à turbina do avião, para os mais evoluídos (médiuns atuantes e desenvolvidos).

As cores variam de chákra pra chákra, em pessoas saudáveis eles serão muito brilhantes, reluzindo o formato da flor e giram em harmonia, no corpo feminino a energia começa a rotação em sentido horário, no corpo masculino anti-horário.

Para a captação da energia os chákras usam como artifício a nossa própria respiração, tanto que para abri-lo ou fechá-lo durante o dia ou a noite devemos respirar três vezes profundamente, inspirando de vagar pelo nariz e expirando devagar pela boca, também existe a respiração 4×4 ou 4×8 que equilibra os Chákras, este muito usado para meditação e introspecção. Interessante aqui é pensar em uma rosa aberta que vai se fechando até formar um botão, assim os nossos centros energético captam nosso pensamento e direcionam a energia para fechar e proteger por um determinado período, ao passar o tempo eles tendem a abrir automaticamente.

Quando os Chákras recebem a energia captada pela respiração eles giram rapidamente se alimentando o suficiente e após isso repassam a energia para o outro centro para que ocorra o mesmo processo, após todos do corpo terem se alimentado dessa energia, eles expelem pela expiração a troca energética que fazem no organismo; quando o primeiro chákra já repassou a energia ele recomeça o ciclo com nova energia, esse processo dura alguns segundos.

Os Chákras possuem variedades em tonalidade, luminosidade, tamanho, rapidez de movimento, ritmo e textura; Alguns são mais finos outros mais grosseiros, tudo de acordo com o despertar de cada um.

2Define-se assim: Pessoas simples e relativamente subdesenvolvidas, os chákras são pequenos, lentos, coloração baça e textura grosseira. Pessoas mais intelectualizadas, receptíveis e sensíveis, seus chákras são mais brilhantes, textura fina e possuem rotação mais rápida. Médiuns desenvolvidos possuem tal rotação comparada ao redemoinho de luz e cor. Os chákras como já foram citados possuem tamanhos diferentes, o que, unido à atividade das suas interligações, indica talentos e habilidades especiais. O centro Laríngeo (Vishuddha) e Frontal (Ajna) de um cantor talentoso, por exemplo, é bem maior do que o normal e mais brilhante, mais luminosos, girando mais do que uma pessoa “normal”. Porém, esses mesmo chákra de uma pessoa que costuma mentir tendem a diminuir e apresentar defeitos ao longo do tempo, refletindo no corpo físico com doenças aos órgãos relacionados.

No caso de um médium incorporador seu chákra do Plexo Solar (Manipura) aumenta o tamanho a cada trabalho bem desenvolvido e compreendido, ou seja, quando o médium estuda sua mediunidade tanto na teoria quanto na prática ele se desenvolve. Porém este centro energético possui uma textura mais grosseira por ser de ordem material, e geralmente apresenta cores mais escuras do que os demais, pois é um dos campos de força que mais capta, tornando seu núcleo mais frouxo e até com disritmia.

Em um bebê o chákra mede cerca de três centímetros, parecendo-se com discos pequenos e rígidos. Nos adultos não desenvolvidos eles medem cerca de 6 a 9 centímetros e num médium em desenvolvimento ele atingi N tamanhos.

Cada um dos centros possuem ligações especiais com determinados órgãos do corpo, bem como com certos estados de consciência. Contudo, é preciso lembrar que embora as correlações sejam adequadas, uma identificação explícita dos chákras com os órgãos físicos poderá ser enganadora, uma vez que os chákras são centros sutis de energia vital, que existem enquanto o corpo está vivo desaparecendo na morte (no caso dos chákras Muladhara e Swadisthana), esses são, portanto materiais, mas não físicos no senso comum da palavra.

Quando o corpo físico perde suas funções vitais, o espírito deixa a carne, e de 48 a 72 horas o segundo corpo (etérico ou duplo-etérico) se desfaz e durante alguns anos o físico se decompõe, assim a sede dos chákras que até então era o segundo corpo, morre e os chákras etéricos morrem junto a sua sede. Com o desencarne os seres humanos perdem dois corpos e todos os chákras etéricos, permanecendo somente os sete chákras astrais pertencentes ao espírito, então o espírito recebe dois novos corpos no final da escala e passa interagir com os chákras astrais, os novos corpos são Éter e Sublimação, e os chákras astrais ainda não são definidos por nomes, e assim muitos os definem igualmente aos etéricos. Porém por enquanto falaremos dos chákras etéricos e a seguir entraremos na descrição dos astrais.

1Quando uma pessoa passa a visualizar os centros energéticos de outrem ou os próprios, ela precisa começar a identificar a evolução de cada um, por exemplo, quando o Cardíaco (Anahata) for mais luminoso, quer dizer que o ser é mais sensível, mais sentimental, se envolve nas emoções e tem mais percepções do que as outras que não o possuem desenvolvido. Quando o Laríngeo (Vishuddha) for brilhante isso significa que a pessoa está em harmonia com seu timbre de voz, exercitando-o, seja cantando ou atuando no trabalho (comunicação), etc. Quando o Frontal (Ajna) for o mais brilhante indica que aquele ser possui o desenvolvimento da consciência espiritual.

Resumindo: as funções dos chákras são absorver e distribuir o prana ou energia vital ao corpo etérico e, através deste, ao corpo físico.

Muitos estudos se entrelaçam, ou seja, tudo é um apanhado de terapias e funções espirituais emaranhadas ao corpo humano, podemos citar os estudos dos sete corpos sutis (material já divulgado no nosso blog), sete chákras e cromoterapia que são continuação um do outro, eles se completam. Um exemplo físico de quando uma pessoa adoece, é preciso saber identificar o problema, e ir na causa, que sentimento causou isso em meu corpo? Por que me permiti que adoecesse? (no material da aula do 1° corpo – Anatomia do Físico tem os diagnósticos que auxiliam a entender o problema emocional que desenvolveu a moléstia. link:  https://wordpress.com/post/83401761/388/ )

Pra isso se faz necessário por vezes estudar e compreender os corpos, os órgãos do segundo corpo (que são os chákras e o cordão de prata), a cromoterapia e até o feng-shui que auxilia na cura e harmonização do ser. Auxilia porque a cura verdadeira vem do querer do ser, ele precisa querer muito, desejar ardentemente e ter muita fé para obter seu desejo: cura da moléstia.

Chákras Astrais:

São muito parecidos no formato com os etéricos, porém não possuem variedades na textura que é quase inexistente, e as cores são muito sutis. Estes estão presididos no terceiro corpo o corpo astral, que é o corpo que nos apresentamos ao plano astral durante o sono, e que quando morremos é o nosso corpo “veículo” no mundo dos espíritos, este corpo é a cópia fiel do corpo físico, portanto os chákras astrais se localizam nos mesmos pontos que os etéricos no duplo-etérico.

Os Chákras Etéricos captam a energia do campo etérico universal, e os Chákras Astrais estão abertos ao grande oceano de energias astrais no qual estão imersos todos os seres vivos. Na medida em que a energia astral entra e sai desses centro do campo universal, ela vitaliza e organiza o corpo astral ou aura. Os astrais ligam os etéricos e assim passam a interagir e integrar-se com eles.

Os Chákras astrais são sempre mais brilhantes do que os do nível etérico, mas são ao mesmo tempo mais difíceis de serem descritos com precisão no que diz respeito, por exemplo, à sua textura. Sua elasticidade apresenta pequena ou nenhuma variação, aparentando ser constante. Ambos os níveis de Chákras vivem em harmonia para que haja o princípio vital de cada ser, ou seja, para que exista vida.

Em casos de problemas de saúde grave, significa que os níveis de Chákras estão desarmonizados, e que alguns dos Astrais estão com ruptura nas pétalas ou no núcleo ocasionando o vazamento de energia em excesso para os outros, o que ocasiona o distúrbio físico. Comparando: é como  uma máquina que apresenta defeito e para de funcionar ou reduz sua eficiência

Descrição dos chákras:

Coronário (Sahasrara – Coroa) – Etérico

P1100734É o centro mais elevado, está situado aproximadamente a seis centímetros acima do alto da cabeça, tem a forma de pires, sendo composto por 12 pétalas douradas centrais e um conjunto de 960 pétalas secundárias dispostas em volta das primeiras: por esse motivo, é chamado de “lótus de mil pétalas” no Tantrismo Indiano. Essas pétalas exibem todas as cores do arco-íris, com predominância da cor violeta.

No Tantrismo Indiano, este chákra é descrito como a “sede especial e mais elevada de Jiva, a alma”. Sendo, portanto diferenciado dos outros chákras situados ao longo da coluna vertebral. Ele é extremamente importante, revelando tanto a qualidade espiritual do indivíduo quanto seu estado de consciência. O intenso reluzir desse Chákra indica em geral a prática da meditação.

No simbolismo religioso Senhor Buddha é o símbolo deste Chákra por possuir no alto da cabeça uma majestosa saliência, indicando a iluminação, enquanto os halos de luz dourada que circundam a cabeça de Cristo e dos santos simbolizam sua espiritualidade desperta.

O fato de as interligações etéricas entre o centro coronário e frontal estarem abertas e ativas sugere fortemente em um grau de clarividência bem como a prática da meditação e da concentração. No corpo físico a ligação com esse centro ocorre principalmente através da glândula pineal, mas ele influencia todo o cérebro. Em todos os estágios de desenvolvimento, o chákra coronário (Sahasrara) funciona como o órgão de síntese.

Pineal: tem formato de pinha, localiza-se no meio do cérebro. Sua função é regular a Hipófise, esta por sua vez responsável por regular demais glândulas como a melatonina ou pituitária. Possui cerca de 3cm.

Segundo a página O Segredo do R7, a pinela tem uma série de funções e ligações com a espiritualidade, e também uma associação com o zumbido no ouvido:

A Pineal é responsável pelas captações das radiações do Sol e da Lua,  trabalhando com as energias por elas captadas. A pineal obedece aos chamados Zeitbergers.

Por exemplo, o Sol é um Zeitberger externos que regem as noções de tempo e que influencia a pineal, regendo o ciclo de sono e de vigília, quando esta glândula secreta o hormônio melatonina. Isso dá ao organismo a referência de horário.

Existe também o Zeitberger interno, que são os genes, trazendo o perfil de ritmo regular de cada pessoa.

Nós vivemos em três dimensões e nos relacionamos com a quarta, através do tempo. A pineal é a única estrutura do corpo que transpõe essa dimensão, que é capaz de captar informações que estão além dessa nossa dimensão.

Para Descartes é o ponto em que a alma se liga ao corpo, até na questão física há uma lógica que é esta glândula que lida com a outra dimensão, e isso é um fato.

Todos os animais têm essa glândula; ela os orienta nos processos migratórios porque sintoniza o campo magnético. Nos animais, a glândula pineal tem fotorreceptores iguais aos presentes na retina dos olhos, porque a origem biológica da pineal é a mesma dos olhos, é um terceiro olho, literalmente.

Os cientistas Vollrath e Semm, que têm artigos publicados na revista científica Nature, de 1988, comprovam que a pineal converte ondas eletromagnéticas em estímulos neuroquímicos.

O espiritual age pelo campo eletromagnético, se há uma interferência espiritual por exemplo, se dá justamente pelo campo eletromagnético. As interferência acontece na natureza pelas leis da própria natureza.

Segundo Sérgio Felipe de Oliveira, a pineal capta informações do mundo espiritual por ondas eletromagnéticas, como “um telefone celular”, e as transformaria em estímulos neuroquímicos.

A parapsicologia diz que estes campos eletromagnéticos podem afetar a mente humana. O dr. Michael Persinger, da Laurentian University, no Canadá, fez experiências com um capacete que emite ondas eletromagnéticas nos lobos temporais.

As pessoas submetidas a essas experiências teriam tido “visões” e sentiram presenças espirituais. O dr. Persinger atribui esses fenômenos à influência dessas ondas eletromagnéticas.

Pesquisas recentes indicam que a pineal está ligado a dois centros nervosos, um de cada ouvido. Estes dois centros nervosos, e mais o centro situado na própria glândula, formam um triângulo, com a pineal no centro da cabeça com o ápice ou vértice superior, e dois centros nervosos dos ouvidos formando a base. Assim, os pesquisadores elaboraram o princípio de que tudo o que afete os tímpanos afetará a pineal, qualquer princípio que afete a pineal afetará os tímpanos.

A glândula está localizada em uma área cheia de líquido. O som faz o líquido vibrar, provocando uma reação na glândula, converte ondas eletromagnéticas em estímulos neuroquímicos.

A Física Quântica diz que tudo é vibração e nós vibramos em diferentes freqüências, também somos influenciados em diferentes freqüências, por meio natural ou não.
Estamos sendo bombardeados com energias vindo da galáxia, incluindo o bombardeio do Sol, tudo isso afeta a Terra e logicamente nos afeta.

Sempre vibração e som, recentemente os cientista conseguiram até reproduzir o som do Sol nas suas explosões solares.

Quanto mais se intensifica o som, mais a pineal “trabalha”, quanto mais ela trabalha, mais se intensifica o som, formando um circulo que nos leva rapidamente ao estado de projeção consciente.

Sendo assim, meus amigos, os barulhos, zumbidos, apitos, sininhos…que você pode estar ouvindo diariamente ou esporadicamente são produzidos pelo trabalho/desenvolvimento da glândula pineal e todo um fator externo está contribuindo para isso. Nós estamos literalmente escutando ela trabalhar.

Essa glândula é nossa conexão com outras dimensões, nossa glândula foi danificada ao “looooongo do tempo”, por falta de uso, química (veneno) nos nossos alimentos, poluição e acredito que a nossa contribuição tenha realmente sido a maior de todas, porque caímos nas ilusões materialistas e hoje somos extremamente apegados a tudo que os nossos 5 sentidos podem tocar, sentir, ver e ouvir…

Pra terminar, vou deixar um exercício de meditação de desenvolvimento energético da pineal. Um exercício diferente, mas bem gostoso de realizar.

Certos exercícios psíquicos provocam um zumbido que começa a se manifestar nos ouvidos e persiste por algum tempo. Esse zumbido indica que alguma energia ou ação está sendo transmitida aos tímpanos, a partir da pineal. (Pesquisa feita pela Universidade de Basle na Suíça). Deverá ser feito no escuro, onde a produção do hormônio da pineal aumenta.

Por uma ou duas semanas, deve-se relaxar por alguns minutos, coloque o dedo indicador de cada mão o mais para dentro do ouvido que seja possível sem pressão incômoda. Enquanto os dedos estiverem nesta posição nos ouvidos, tomem uma inalação profunda pelo nariz e retenha o quanto possível.

Mantenha a boca fechada, quando não puder mais prender a respiração, exale lentamente pelo nariz. Conserve os dedos nos ouvidos durante todo o tempo que esteja inalando, retendo e exalando.

Respire normalmente por mais ou menos 30 segundos e repita o procedimento por 10 vezes. Ao terminar, você sentirá um calor nos dutos auditivos.

A respiração pelo nariz, com os dedos colocados nos ouvidos, estabelece um circuito bem definido de vibrações positivas e negativas, que afetem os centros nervosos do crânio, ocentro nervoso da tireóide, e os centro nervosos de cada um dos dois dedos.

O resultado deste exercício, se praticado conforme a instrução, será a desobstrução do nariz para a respiração e dos ouvidos para a audição, a eliminação de qualquer congestão craniana, odesenvolvimento da sensibilidade dos nervos do nariz a ponto de perceberem novos odores ou facilitar a os já conhecidos. Ao mesmo tempo, a pineal irá despertar gradativamente, com crescente vitalidade para as funções psi.

Fonte: Neusa Rocha Terapia Holística

fonte: http://thesecret.tv.br/2015/04/a-glandula-pineal-e-o-zumbido-no-ouvido/

O Chákra Coronário – Astral

Ao contrário do Etérico, este não possui contrapartes visíveis nos órgãos físicos, existe uma troca de energia, e quando há falha nessa troca de energia entre os níveis etérico e astral, o coronário astral se torna fraco, e apresenta distúrbios mentais, até mesmo a deficiência mental extrema. E quando em harmonia de cor e brilho nos dois níveis, há uma forte indicação de que os processos do pensamento são claros e ativos. O reflexo da glândula pineal pode aparecer como uma cor dourada no corpo astral, mas não existe uma verdadeira contraparte desse órgão. Este centro nos leva a existência eterna e é a residência de Shiva.

Frontal ( Ajna – Comando) – Etérico

P1100733O centro frontal se compõe de 90 pétalas. Localiza-se no centro da testa entra os dois olhos, está particularmente inter-relacionado com o centro coronário. De fato, em algumas das escrituras tibetanas, ele não é mencionado em separado, sendo considerado parte do “lótus de mil pétalas”. Quanto à sua estrutura, este se diferencia dos outros chákras, pois parece estar dividido em dois segmentos, um cor de rosa e amarelo e outro azul e roxo. Este centro está relacionado com a glândula pituitária, é interessante observar que esta glândula também se compõe de duas partes, cada uma com sua função isolada. É o órgão de visualização e o centro da percepção, que pode ser orientado para cima no sentido das coisas mais elevadas ou para baixo na direção da vida mundana, ele reflete, portanto na natureza da mente. Quando o Ajna etérico está bem desenvolvido e está em harmonia com o frontal astral e ativo, ocorre a clarividência de ordem superior.

Hipófise ou Pituitária: Localiza-se exatamente no meio da cabeça, na linha dos olhos e tem a espessura de um grão de ervilha, pesando de 0,5 a 1 grama.. Libera sete hormônios: hormônio do crescimento, prolactina, hormônio folículo-estimulante, hormônio luteinizante, hormônio estimulante da tireoide, hormônio adrenocorticotrófico, e endorfinas.

O Chákra Frontal – Astral

Com a ascenção de Kundalini até Ajna, a visão astral é despertada. Um tipo de visão especial, quadridimensional, e que permite aumentar indefinidamente o tamanho dos objetos, fazendo dela um potente microscópio. As divindades são Sakti Hakini e Shiva.

Laríngeo (Vishuddha – Purificar) – Etérico

P1100732Este centro tem cerca de 6 cm de diâmetro, aumentando o tamanho no caso de pessoas que usam muito a voz, se move mais rápido nos cantores do que nas pessoas que palestram. É o chákra da criatividade, pois esse campo de força indica a sensibilidade não apenas em relação à cor e à forma, como também ao som e ao ritmo. Poder-se dizer que o aspecto criativo do Eu é transmitido do frontal, onde é formado ao chákra Laríngeo, onde é energizado.

O laríngeo está ligado ao coronário e frontal em determinados estados em que ocorre a expansão da consciência, além de ser especialmente importante no que diz respeito às interligações entre os campos: mental e etérico.

As ligações do laríngeo com o corpo físico ocorrem através das glândulas tireoide e paratireoide, às quais fornecem energia. Do ponto de vista clarividente, uma cor límpida e um ritmo regular no centro laríngeo etérico apontam uma tireoide saudável. Este centro está associado ao elemento éter e ao sentido da audição.

glândula Tireoide: está situada na parte inferior do pescoço. Ela consiste em dois lóbulos, que estão situados em ambos os lados da traqueia. Os hormônios ativos nessa glândula são a tiroxina e a tri-iodotironina. Esses hormônios contêm uma alta porcentagem de iodo. Uma das principais funções da tireoide é restaurar o iodo do corpo. A secreção da tiroxina é regulada pelo hormônio tireotrópico (TSH), secretado pelo lóbulo anterior da Pituitária. A tireoide produz os hormônios tireoidianos (T3 e T4) quais são importantes para o desenvolvimento das gônadas. Também produz a calcitonina que é um hormônio que previne a osteoporose.

As funções dessa glândula são:

  1. Controle do metabolismo do corpo;
  2. Manutenção da pele e dos cabelos em boa condição;
  3. Influência sobre a irritabilidade do sistema nervoso;
  4. Cooperação com as outras glândulas de secreção interna para manter o equilíbrio endócrino do corpo;
  5. Controle do crescimento do corpo e do desenvolvimento mental na infância;

A glândula Paratireoide: está situada atrás da tireoide e é responsável pelo metabolismo dos minerais. Há quatro glândulas paratireoides, que têm mais ou menos o tamanho de uma ervilha e estão situadas atrás de cada um dos quatro pólos da glândula tireoide. O hormônio que secretam é parathormônio (PTH), que controla o metabolismo do cálcio no corpo.

O chákra Laríngeo – Astral

Este centro está particularmente associado ao ritmo e ao som. Nas pessoas clariaudientes, ou naquelas sensíveis a sons fisicamente inaudíveis, as pétalas desse centro são maiores e mais luminosas do que habitualmente. Num processo de diagnóstico, o

principal fator a ser observado com relação a este centro é seu grau de harmonia com o chákra etérico. O animal descrito a origem do símbolo deste centro é o elefante, as divindades são Sadasiva e Sakini.

Cardíaco (Anahata – Intocado) – Etérico

P1100731O centro do coração está situado a meio caminho entre as omoplatas. Na pessoa normal, ele tem cerca de seis centímetros de diâmetro, sendo composto de doze pétalas de um reluzente amarelo dourado. Uma cor límpida e um ritmo regular denotam uma condição saudável no coração, em um corpo físico vigoroso. Ele está estreitamente relacionado com as doze pétalas douradas do coronário. Está associado ao elemento ar e o sentido do tato.

O nível físico do Anahata está associado com o coração, sistema circulatório, os pulmões, o sistema respiratório, sistema imunológico, os braços e as mãos. A glândula endócrina a que é atribuído é o timo.

Este é o centro através do qual amamos, o amor pode ser expresso em muitos níveis: egoísta, exigente,restrito, compassivo e cuidadoso.

O Timo: é a glândula situada no tórax, atrás do esterno e diante do coração, entre os dois pulmões, atrás do osso peitoral. Ele consiste principalmente em tecido linfoide, tendo um papel na formação dos linfócitos. Quando nascemos, essa glândula é bem grande, e seu tamanho continua a aumentar até a puberdade, quando ela começa a se reduzir. O timo tem importante função no sistema imunológico do corpo. O timo é responsável pela produção de células protetoras do corpo (ninfóstos). Os ninfóstos para agirem no combate de algum vírus, eles precisam conhecer o agressor (vírus) primeiro, para que possam agir com eficácia exterminando-os. Para que os ninfóstos ajam eles precisam das vacinas, que são células mais fracas ou mortas que ajudam os ninfóstos. Afirma-se que certas práticas ióguicas podem manter essa glândula ativa, conservando assim a pessoa jovem e o sistema imunológico forte.

Chákra Cardíaco – Astral

Nas pessoas que meditam regularmente, o centro cardíaco é maior do que de costume, pois ele se expande com facilidade. Ele também tende a ser mais luminoso, e seu movimento rítmico é

acelerado. As ligações com os níveis superiores de consciência

também são mais visíveis. O animal descrito como símbolo deste centro é um antílope, e as divindades são Isha e Kakini.

 Plexo Solar (Manipura – Cidade de Jóias ou Repleto de Jóias) – Etérico

P1100730O Manipura está situado na região do umbigo, e em condições normais é multicolorido, com predominância das cores vermelha e verde. Flutuações no ritmo, a hiperatividade, e distúrbios nos padrões de cor desse centro denotam uma pessoa que se identifica extremamente com as emoções, tendo dificuldade de controlar os sentimentos.

Em relação ao campo emocional, este é o centro mais importante, visto que está situado no ponto em que a energia astral penetra no campo etérico. Ele também está estreitamente relacionado com os chákras do coração e da garganta.

Na vida de uma pessoa comum o Manipura  é provavelmente o centro mais importante e mais ativo, uma vez que está extremamente envolvido ao emocional. Em uma pessoa com desejo ardente ele desempenha um importante papel na projeção de energia pessoal. Assim quando houver desconforto gástrico logo se liga os fatos pela ligação entre o sistema digestivo e o chákra que transpassa o estômago, afetando-os com o estresse e distúrbios nervosos, As principais ligações com este chákra ocorre através das glândulas supra-renais e o pâncreas, bem como do fígado e do estômago.

É através deste centro que a maior parte do médiuns incorporadores atuam junto ao subsidiário chákra humeral, e ele está envolvido em inúmeros tipos menos desenvolvidos de clarividência.

O chákra do Plexo Solar – Astral

Este é centro de energia emocional mais ativo na maioria das pessoas. Ele é a ponte entre as emoções e o campo físico e o etérico, e sua ligação mais estreita com o físico se dá no estômago e todo o trato gastrointestinal. Funciona como um amortecedor entre a entrada da energia astral e sua distribuição pelo corpo.

O animal deste chákra é o carneiro, as divindades são Rudra, o rei das tormentas, e Lakini, a deusa da boa sorte. As cores deste chákra são um tanto ou quanto variáveis: numa pessoa integrada, o verde indica equilíbrio, um tom um pouco diferente denota compreensão ou adaptabilidade, uma mistura de amarelo e verde revela interesse em expressar idéias sob forma física. Os inventores e projetores possuem amiúde essa combinação de cores. Existe também    um verde amarelado de tonalidade enfermiça, completamente diferente, que denota ciúme, ao passo que o amarelo misturado com o cinza implica frustração com relação ao trabalho.

Esplênico ou do Baço (Swadisthana – Domicílio próprio) – Etérico

P1100729As descrições dos chákras variam, e em algumas tradições o centro localizado acima do baço é considerado como um dos sete principais centros. O Swadisthana desempenha um papel bastante importante no sistema dos chákras.

Este centro possui cores predominantes que vão do amarelo ao vermelho rosado. Sua função é absorver a vitalidade do campo genérico, modificá-la, e depois distribuí-la aos outros centros. Isso quando estamos falando da energia global deste sistema planetário, pois quando falamos da energia universal, o Manipura é o manipulador e transformador das energias astrais, que são as energias recebidas por um médium durante um passe e atendimento mediúnico.

Acredita-se que cada uma das cores presentes neste chákra possua uma afinidade vibratória com os outros em que essa cor particular seja dominante (ou seja, amarelo com o cardíaco, vermelho rosado com o plexo, etc.), e que desse modo os outros chákras sejam continuamente energizados. Este centro está associado ao elemento água, e afeta o fluxo de fluídos no corpo.

3O Swadisthana está situado à esquerda do abdômen, logo abaixo da décima costela, e está ligado ao  BAÇO no corpo físico. Este centro possui em geral uma aparência brilhante e reluzente. Como é o principal transmissor de prana ou energia vital para o corpo físico, sua função mais importante repousa em sua habilidade de absorver e distribuir vitalidade.

Supra-renais: 

Há duas glândulas supra-renais, cada uma delas situada na parte superior de cada rim. Tem cerca de uma polegada de comprimento e são de cor amarelada. Contêm um córtex exterior e um interior ou medula.

O córtex é responsável por secretar substâncias conhecidas como esteroide. Essas substâncias se dividem em três grupos principais:

  • Grupo A: são os corticoides minerais. Eles operam nos túbulos dos rins para ajudar a reter o sódio e o cloreto no corpo e excretar o excesso de potássio.
  • Grupo B: são os glicocorticoides. Eles assistem a conversão dos carboidratos em glicogênio. Aumentam a taxa de açúcar no sangue, ajudam na utilização de gordura, reduzem o número de linfócitos e de eosinófilos no sangue e reduzem a taxa de multiplicação de certas células do tecido conjuntivo.

Essa ação tende a suprimir a reação natural à cura, portanto, a retarda. Os outros hormônios desse grupo são cortisona e a hidrocortisona.

  • Grupo C: são semelhantes aos hormônios produzidos pelas gônadas. Eles influenciam o crescimento e o desenvolvimento sexual das mulheres e dos homens.

A medula das supra-renais secreta a adrenalina e a noradrenalina. A adrenalina estimula o sistema nervoso simpático e causa a constrição das artérias dos corpos. Isso resulta num aumento dos batimentos cardíacos e numa elevação de pressão sanguínea. A adrenalina também estimula o fígado a converter o glicogênio em glicose, que é usada durante a atividade muscular. As supra-renais são com freqüência chamada de “glândula da luta ou fuga” porque secretam adrenalina no sangue em momentos de tensão, perigo ou excitação a fim de estimular o corpo a entrar em ação.

No caso de disfunções com as supra-renais o organismo tende a desenvolver doenças tais como a doença de Addison e a síndrome de Cushing.

O Chákra Esplênico – Astral

Esse centro astral tem relação com a sequencia cármica do indivíduo.

O animal que representa a simbologia deste centro é o crocodilo. As divindades que presidem neste chákra são Vishnu e Rakini

O chákra da Raiz ou Básico (Muladhara – raiz ou base)

P1100728O centro da raiz se localiza na base da coluna vertebral, possui uma cor límpida vermelho-alaranjado, este centro é considerado a fonte ou a moradia do fogo kundalini [serpente] (poder espiritual primordial ou energia cósmica que jaz adormecida no chákra Muladhara), os dois canais de energia, ida e pingala, que se erguem a cada lado do canal raquidiano principal, denominado sushumna, têm origem nesse centro.

O sushumna é o canal reto que se estende da base da coluna ao bulbo raquidiano, na base do crânio; Ele processa o influxo de energia oriundo do campo etérico. Os outros dois canais Ida e Pingala, também tem origem na base da coluna e terminam na base do crânio, eles estão ligados à saída de energia. Se entrecruzam sobre o Sushumna nos pontos em que os cinco chákras centrais estão localizados. Esse entrelaçamento se assemelha a um caduceu vico e vibrante, o antigo símbolo do médico e das artes de cura, que sugere uma percepção oculta do padrão das energias      transmissoras   de saúde.

Por conseguinte, o chákra situado na base da coluna vertebral está particularmente associado á energia vital. Diz-se que ele corresponde ao aspecto do eu que é amiúde chamado de vontade, que representa a intencionalidade fundamental do eu. Na pessoa desenvolvida, essa energia, denominada Kundalini, ascende, é transmutada, sendo depois ligada ao chákra Sahasrara (Coronário). Este Chákra está ligado ao sentido do olfato, e nele habita-se a energia física, está associado portanto as gônadas.

Gônadas: são órgãos de reprodução do homem e da mulher, nelas são ovários, neles os testículos.

Os ovários além de produzirem óvulos, secretam os hormônios estrógeno e progesterona. A secreção do estrógeno é influenciada pelo hormônio estimulador do Folículo (FSH), produzido pela glândula pituitária. O estrógeno ajuda a regular o ciclo menstrual e desenvolve as características sexuais da mulher. A progesterona sensibiliza a membrana mucosa do útero na preparação para o óvulo fertilizado.

O hormônios masculinos produzidos pelos testículos são chamados de andrógenos. O mais importante deles é a testosterona, hormônio responsável pelas mudanças que ocorrem numa pessoa do sexo masculino durante a puberdade.

O chákra da Raiz – Astral

Este centro, situado na base da coluna vertebral, está estreitamente ligado ao chákra coronário, estando, portanto associado ao desenvolvimento espiritual do indivíduo. Quando existe uma integração entre esses dois centros, a energia se ergue do chákra raiz sem que haja qualquer impedimento ou perturbação, particularmente no campo emocional e no etérico. O animal associado com esse chákra é um elefante de sete trombas que representa os minerais necessários à manutenção da vida física. As divindades que habitam esse centro são Brahma e Dakini.

Os chákras subsidiários:

Além dos principais existem mais 21 chákras secundários de distribuição. Não iremos abordá-los todos em detalhe, embora possa ser útil ao pesquisador conhecer sua existência. Esses centros secundários, não estão associados a qualquer glândula específica. Entre os vinte uns ganham destaques memoráveis: os da palma de cada mão, os do solado de cada pé, os de cada joelho e o humeral nas costas.

Chákras dos pés: localizado nas solas dos pés, sua finalidade é descarregar energia elétrica (estática) gerada pelo corpo físico, como também absorver a energia Kundalini que vem da terra e a energia magnética.

Chákras dos joelhos: atua como um transformador, regulando a quantidade de corrente que deve entrar no corpo.

Chákras das mãos: absorve as ondas radiativas, como também transmite energia, o que explica a cura pela imposição das mãos

Chákra humeral: localizado nas costas, sobre a parte superior do pulmão esquerdo. Além de exercer influência nos pulmões, é responsável pela reação mediúnica entre o plano espiritual e o físico.

O Chákra Kalparvriksha ou árvore Kalpa, é o centro localizado entre o Anahata e o Manipura, tem formato de lótus, e dentro do lótus está representada uma ilha de pedras preciosas que contém um altar de jóias em que um devoto pode entrar em meditação a fim de encontrar seu guru (lê-se Gú-ru). Ele é menor em relação aos sete principais, suas pétalas são de cor vermelha e possui oito pétalas.

Ainda falando sobre chákras em outra perspectiva de vida, os animais também o possuem mas não vibram da mesma forma que os humanos pois os animais possuem sentidos aguçados e estes fazem com que a captação energética além de mais profunda seja em maior quantidade e agilidade.

Como eles captam energias de todos os ambiente e pessoas, os animais muitas vezes funcionam como para-raios de seus donos ou ambiente em que vivem. Logo, muitas doenças que eles apresentam, principalmente os domésticos, pode ser também tratados com terapias holísticas e por que não trocar medicação convencional por um floral?

Concluindo: Os chákras têm forte influência no corpo físico e são de suma importância a nossa saúde, é bom ter conhecimento sobre cada um para saber onde e como atuar.

Fontes:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s