ENERGIA CONSERVADORA

A energia conservadora é a mais interessante de todas as energias por nós observadas. Ela tem a qualidade peculiar de ser viva, e trazer em si códigos definidos de expansão. Uma semente tem acúmulo dessa energia; um sêmen também o tem; o planeta também possui tal acúmulo.
Todo o processo criativo e multiplicador está codificado, e há bilhões de anos não sofre alteração. A energia conservadora é aquela que está concentrada no código genético de todas as substâncias (condensações energéticas) aqui existentes. Ela permite que o desdobramento dessa herança seja sempre semelhante à sua fonte geradora.
Um sêmen tem seu código sustentado por essa energia, que no macro sustenta a gênese no Universo. Astrônomos renomados afirmaram recentemente que o Universo está em expansão, a partir de um centro que explodiu. Não vemos assim, porque o Universo é o que é, e tem uma dinâmica e uma lógica que escapam à nossa limitada capacidade de compreensão.
O Universo não existe em função do homem, como afirmam alguns “sábios” líderes religiosos. E tão pouco termina nos limites do nosso planeta. Somos apenas mais um composto energético no meio da infinita criação divina. Pelo fato de termos um racional, somos animados pela sensação de que estamos sós no Universo. Imaginem se descobrissem outra espécie de seres vivendo em Marte.
Os líderes religiosos ignorantes logo iriam querer exterminá-los, dizendo que eram aberrações do ente negativo. O nível vibratório humano é único, até onde sabemos, e é apenas mais um, dos muitos estágios da evolução da criação divina. Enquanto sementes divinas, temos como componente do nosso todo espiritual e energético, a energia conservadora, que é uma das mais atuantes energias. É ela que mantém inalterada nossa herança genética divina e carnal, e permite que absorvamos os mais variados tipos de energias, sem que venhamos a sofrer uma desagregação dessas heranças. Isso se deve à capacidade que as substâncias vivas possuem de conservar Inalteradas as suas heranças genéticas.
O espírito traz todo o seu código genético alojado em seu mental. Ali não penetram energias viciadas, pois estão codificados na memória para tal penetração, apenas
alguns tipos muito especiais de energias. A energia conservadora age, portanto, como um poderoso ante energético.
Para se ter uma noção mais apropriada, precisaríamos de uma escala de comparação de energias. Vamos tentar demonstrar, com a maior aproximação possível, a intensidade dessa energia, quando comparada com outras:

Screenshot_3

Temos nesta escala comparativa, uma ideia do quanto é poderosa a energia conservadora. Ela resiste a tudo para defender um código genético pré-estabelecido. Sua função é conservar inalterada toda e qualquer herança. Para se ter uma ideia aproximada do que seja essa energia, vamos dizer que, quando condensada, ela assume a forma de:
– Membrana aquosa, que reveste o sêmen humano;
– Membrana aquosa, que reveste o óvulo;
– Membrana aquosa, que reveste os óvulos dos peixes;
– Membrana não aquosa, que reveste uma cebola ou alho;
– Membrana sólida, que reveste a semente dos leguminosos;
– Membrana multiforme, que reveste o planeta Terra (crosta);
– Membrana não aquosa, que reveste o corpo humano (pele);
– Membrana aquosa, que reveste os olhos, boca, etc.
Pois bem. Não vamos estender mais a lista de onde são encontradas condensações da energia conservadora. Nesse grau visível, tangível e palpável, ela é infinita. Assim ela se apresenta, enquanto reveste uma substância energética (herança) mais sutil, pois já afirmamos num capítulo anterior, que uma energia se apoia em outra, e nesses casos, são parceiros de um processo mais abrangente, não sendo, portanto, antagônicas entre si. Essa energia não é a mesma da condensação (código genético) contida em seu interior, uma vez que sua função é de protegê-lo e nada mais.
Screenshot_5A membrana que envolve um órgão interno do corpo humano é uma condensação dessa energia. Sua função é não permitir o contato do órgão pelo código que deu origem ao órgão vizinho. No micro, esta é a forma de demonstrarmos como ela se apresenta, quando condensada.
É bom que se saiba também, que todo o corpo humano, ou qualquer outra forma, são apenas condensações energéticas que obedecem a códigos bem definidos de desdobramentos energéticos. Se observarmos bem, veremos que, quando uma ferida num local externo sofre o ataque de micro organismos (micro energias), um “corpo de guerreiros” procura isolar o local, para não permitir que aqueles micro organismos se espalhem pelo resto do organismo ainda sadio. Identificamos nos glóbulos brancos, células sensitivas e móveis que são impulsionadas pela energia conservadora, e que têm a função de conservar o equilíbrio interno (saúde) do corpo atingido. Num desdobramento ativo, já podemos identificar quem são esses anticorpos: células conservadoras. Numa sociedade humana, eles também existem, e nós os relacionamos aos corpos policiais, jurídicos, médicos, exércitos, etc., como forças conservadoras. O sentido que os guia em suas funções, é sempre conservar a situação equilibrada nas coisas que lhes dizem respeito. Se a doença (desordem energética) é muito grande, o médico a combate com todos os meios (energias positivas) possíveis, chegando mesmo à extirpação do órgão degenerado. Pois esse mesmo sentido de defender o todo quando este é atacado, e sacrificar a parte, se for necessário e o último recurso, também se aplica ao mental humano. Observem que estamos nos referindo ao mental, e não à mente.

A mente é somente a capacidade de um ser humano acumular experiências, e usá-las quando se fizer necessário, pois ela é o meio que o racional (que fica fora do controle de nossa mente) possui de nos propiciar meios de ação, movimentos e reações ao meio que habitamos.
O mental é o órgão supra espiritual que traz em seu interior toda a nossa herança genética divina, que ali foi depositada quando de nossa origem, pelo Divino Criador. Quando o mental sente, através de vibrações negativas que lhe são enviadas pelo emocional, envia ao racional ordens (vibrações) de bloqueio dessas energias (sensações) negativas. Caso as ordens não sejam obedecidas, outras ordens mais rígidas são enviadas, até que haja uma mudança no emocional. Como para aceitá-las, o emocional sofre (dor), ele reage e não as aceita. Se isso ocorre, a energia conservadora do equilíbrio vibratório entre mental, emocional e racional entra em ação, e logo o indivíduo entra em total desequilíbrio mental, caindo sob o domínio do seu mental inferior (energia negativa) que poderá conduzi-lo à loucura, suicídio, neurose, psicose, etc., etc., etc. Se na carne, o mental não conseguir anular o emocional, isso será conseguido após o desencarne, uma vez que daí por diante o ser ficará desprovido das energias carnais e físicas, e seu corpo espiritual não resistirá aos sofrimentos das sensações (energias negativas) acumuladas em seu emocional.
Inicia-se um processo de atrofiamento (extirpação) do corpo espiritual. Se o emocional continuar a resistir, todo o corpo espiritual deixará de existir, e o todo espiritual do indivíduo se reduzirá a uma mancha escura do tamanho de um ovo. Ele não deixará de pulsar as energias negativas acumuladas no emocional, ainda que meios de externá-las não existam mais. Por outro lado, se o emocional começar a obedecer ao mental, a mesma energia conservadora que atrofiou o corpo espiritual, reduzindo-o a um óvulo, começará a liberá-lo, e novo desdobramento terá início.

Os casos dos seres humanos que nascem com deficiências físicas ou mentais devem-se a reencarnações de indivíduos que têm certas funções vitais do espírito ainda aprisionadas pela energia conservadora, que somente as libertará quando houver uma energia positiva à qual ela possa se estender para, envolvendo-a, protegê-la novamente. Parece de difícil compreensão tal explicação, mas insistimos num ponto: uma energia sempre está envolta por outra energia mais poderosa. Se a energia mais fraca entrar em desequilíbrio vibratório, a sua superior a anulará, porque terá que se apoiar em outra energia para não deixar de vibrar também. Logo, num caso como o exposto acima, a energia conservadora se apoia na energia mental que lhe é superior, pois a comanda até que a emocional volte a vibrar em equilíbrio.

Screenshot_4

A ilustração é apenas uma forma de mostrar como o emocional e o racional ficam atrofiados, porque na verdade, o mental é um órgão (região energética) do tamanho de uma amêndoa, e o racional é como uma teia de aranhas energética espalhada por todo o corpo espiritual e carnal do homem. O emocional está localizado numa região do todo espiritual, e seu centro sensitivo não ultrapassa o tamanho de uma azeitona. Daí, ele se enraíza por todo o resto dos corpos espiritual e carnal. Sabemos agora como uma energia conservadora vibra.

O mesmo processo é aplicado ao sêmen: caso o corpo físico sofra de alguma deficiência energética, a herança não será desdobrada, porque lhe faltara algum composto vital. As sementes de uma leguminosa são imperfeitas, quando existe deficiência de algum nutriente orgânico vital para o seu perfeito desenvolvimento.
Assim, seu interior é como o que nos mostra a energia conservadora que formou a sua película protetora. Pois bem! Eis aí o que é energia conservadora. Ela age sempre do mesmo modo, tanto no micro, quanto no macrocosmo. Sendo assim nós identificamos essa energia como a força ativa de Deus, pois o que não Vibrar de acordo com seu padrão pré-estabelecido sofrerá a ação fulminante de um recolhimento forçado e protetor, que evitará que contamine o todo. Logo, é uma energia positiva e afeta à Lei Divina.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s