Arquivo da categoria: Material Extra

Comportamento Mediúnico: Nós os Médiuns, eles os Guias

Mediante a alguns questionamentos levantamos um assunto de curiosidade e estudo em comum, qual nossa relação com nossos guias? Como eles chegaram até nós (ou nós chegamos até eles)? Diversas outras questões que ainda buscamos resposta. Encontramos nesse texto alguns esclarecimentos e muita coisa para refletir.

Será que estamos olhando para eles e enxergando o propósito real deles estarem conosco?Ou estamos apenas os usando como um meio para saciar nossos desejos e vontades, ou porque somos médiuns  e nos achamos tão importantes por tê-los conosco, com uma dose de vaidade e arrogância.

Muitas vezes o médium vai para um terreiro, no começo é aquela empolgação, e com o tempo para alguns vira algo mecânico, sempre os mesmos ritos, sempre as mesmas posturas, como se não tivesse nada além da rotina. É como se perdessem o up de estar ali, virou uma obrigação não uma devoção, uma fé a ser praticada.

Será que é assim mesmo? ou se está se esquecendo de enxergar o que é invisível aos olhos, desaprendendo a sentir.

Já ouvi inúmeras vezes pessoas dizendo assim:

“… quer lotar terreiro, faz um trabalho de exú, com comes e bebes,…”,  “… trabalho de preto velho, é muito cansativo, demora demais, e quase ninguém aparece…”, será que uma pessoa que fala algo nesse sentido ou semelhante a isso, realmente entende a religião que pratica, conhece as entidades com profundidade, eu honestamente acredito que não. Alguns valores estão se perdendo, e as pessoas pouco se importando com que tipo de energias estão se canalizando.

Cada gira tem sua importância, seus fundamentos, missões e propósitos.

Mas o que há por detrás de cada espírito, que se apresenta como uma entidade de Umbanda? será que está se tendo o cuidado necessário, ou se está se limitando a observar apenas a roupagem. Será que a credulidade não está se tornando uma fraqueza, principalmente quando o médium obedece cegamente sem avaliar as mensagens recebidas.

Nossos médiuns estão tendo critérios de avaliar o que é certo do que é errado? no ponto onde estão se  colocando num papel participativo, de consentir, ao ponto de se envolverem em determinados trabalhos, será que estão tendo ciência e mensurando as leis de causa e efeito com propriedade e seriedade. Ou será que estão tendo a ilusão que não terão sua parcela de envolvimento. Tipo… meu guia tá fazendo tal coisa e eu não tenho culpa. Será?

Muitos médiuns levam verdadeiros tapas de luva de pelica em suas vidas, onde recebem a repercussão de seus atos como médiuns, a lição é dada e caso não se aprenda há de se repetir. Simples assim.

Será mesmo que todo guia que se apresenta como a entidade X, será mesmo que  é tal entidade? Muito cuidado com isso, já foi ditologoumbanda3 por ns. vezes que mistificadores, e quiumbas adoram médiuns vaidosos, gananciosos e adoram brincar com seus egos inflados.

A algumas posturas que jamais entidades idôneas iriam expor seus médiuns. Já vi preto velho ameaçando de morte filhos de santo, entidades fazendo médiuns beijarem seus pés e sentando em cima deles como verdadeiros serviçais, Exús e Pombogiras machucando médiuns, detalhe são posturas para alguns aparentemente normais, aplaudidos de pé. Mas que não são.

A impressão que se passa que as pessoas não querem enxergar o óbvio, simplesmente por comodismo e mesmo conveniência. Ou pelo menos quando não for com eles. Sabe o detalhe, pimenta no olho do outro é refresco, quase isso.

Será que  nossos médiuns estão sabendo reconhecer seus próprios guias, suas importâncias em suas vidas, será que estão conseguindo observar suas mensagens, seus conselhos, ou se está entrando pelo um ouvido e saindo pelo outro. Ou o ego só está deixando passar elogios? Pensem.

Porque será que uma entidade X escolhe um determinado médium? Já pararam para pensar qual a ligação de suas entidades com vocês? Porque meu caboclo me escolheu, ou meu preto velho ou será que é por sorteio, aleatório? claro que não. Muitos guias já nos acompanham de várias reencarnações.

Quando você for para seu trabalho de preto velho por exemplo ou qualquer outra linha, pense sobre isso porque eu tenho tal guia comigo, porque ele me escolheu ou foi eu quem o escolhi?

Ás vezes é importante não só pedir a caridade deles para conosco, mas se colocar a disposição deles com a nossa caridade, as vezes é bom fazer essa sintonização com eles, o que eles esperam de nós? A gente sempre espera muito deles e acabamos por nos esquecer de nossa responsabilidade para com eles.

O que muitos médiuns precisam entender que muitos guias, mentores, entidades tiveram e participaram conosco de processos de reencarnação, muitos viveram conosco em outras vidas, muitos foram nossos mentores e instrutores no pós morte, muitos podem estar conosco para nos ensinar sobre questões de resgates, redenções, troca.

Já pararam para pensar que pode haver entre eles, alguns que foram  inimigos de outras vidas que através da lei do perdão e redenção hoje vem em missões espirituais conosco.

Da mesma forma que um inimigo pode vir como um filho nessa vida para haver a troca de amor, e aprenderem a se amar, porque não uma entidade para preencher o tempo perdido. Interessante, quando analisamos com profundidade certas questões.

Uma preta velha pode ter tido uma experiência com sua médium onde ela em outra vida foi sua Sinhá, e hoje trabalham juntas para que uma ajude a outra em seus processos de evolução, perdão e redenção.preto_velho

Um outro ponto interessante, nossos guias também aprendem conosco, eles levam muito de nós e deixam muito deles.

Um Exu ou uma Pombogira pode ter resgates cármicos com seus médiuns, podem ter passado por experiências juntos em outras vidas.

Muitos de nós tem herança indígena, quem nos garante que um de nossos caboclos não foi um pai ou mesmo uma mãe nossa em outra vida.

Alguns médiuns já ouviram de seus guias que os mesmos já o acompanham de outras vidas.

Precisamos olhar para nossas entidades com mais amor, carinho, atenção e devoção.

Muitas vezes nos esquecemos que para chegarem onde estão tiveram muito trabalho, muita lapidação, redenção e sofrimento, eles não chegaram onde estão de mão beijada, tiveram muito trabalho, e olha que interessante  escolheram nós para seus pupilos (que bacana, não é?) e o que a gente faz muitas vezes? a gente passa dos limites, pisa na bola, com nossas vaidades, fantasias arrogâncias e egos desmedidos,  e se esquecemos que isso é um privilégio, e devemos ser gratos por eles acreditarem em nós, por eles terem fé em nossa capacidade. Devemos nos lembrar de honrá-los e não decepcioná-los.

É muito comum ouvir de um médium, “…nossa quando trabalho com meu caboclo eu me sinto tão bem…”, outros até dizem, “… nossa sinto uma saudade quando o Pai ou a Mãe no Santo não chama uma determinada linha, parece que fica um vazio dentro de mim…”, esse vazio é pela falta inconsciente que alguns médiuns tem, é como uma mãe que mora longe, e você fica muito tempo sem estar com ela. As vezes sentimos falta do que deixamos em outros planos. Saudade pura e simples de estar com eles.

O médium ele precisa olhar para seu guia com mais profundidade, observando além das aparências, tem guias que são mais rigorosos, disciplinadores, doutrinadores, e a gente fala nossa tal guia meu é bravo, é chato, porque será que justo aquele guia é aquele que pega no pé? pois é, com certeza é porque a missão dele é justamente essa para conosco, a disciplina, te trazer princípios doutrinários.

Por isso não se queixe, cada pupilo tem o mestre que merece. 

Os médiuns mais antigos de tradições mais antigas de Umbanda, não se preocupavam com status de suas entidades, se tinham sido reis, rainhas, princesas etc…, eles se colocavam na postura de simples aparelhos de seus guias, eram passivos no sentido de não interferirem, e nesse tempo muitas entidades excelentes se manifestavam, faziam suas curas, e ninguém fazia diferenças, devido a seus nomes se eram conhecidos ou não, se tinham sido pessoas da alta sociedade, na realidade nem havia isso entre as próprias entidades, os próprios caciques, não se auto davam títulos. E mesmo quando uma entidade se auto denominava assim, no lugar do médium ficar com aquele ar metido a besta (risos), eles tinha medo, isso mesmo… medo de errar com eles.

Infelizmente não é mais assim hoje em dia, hoje me parece que se o guia não se apresentar com um nome famoso ou título parece que não tem valor, talvez seja pelo excesso anímico, fantasias de muitos médiuns hoje em dia, tanto o é, que muitas entidades viraram artigo raro de ser ver nos terreiros, talvez porque os médiuns de hoje em dia não os conheça, nem sabem seus nomes. Percebam como é sério isso, e cabe ao dirigente observar com muito cuidado esse desvio de seus médiuns,  o qual tem se tornado  um grave problema. Lembremos que muitos de nossos guias e entidades tiveram vidas bem comuns.

Onde foram parar as antigas entidades, os antigos guias e mentores, será que se aposentaram, cumpriram suas missões? ou será simplesmente que está se faltando mais médiuns sérios e sensatos.

Quando você médium olhar para um gira de preto velho por exemplo, procure enxergar além da roupagem física aparente, observe com cautela a personalidade de cada guia ali trabalhando e prestando a caridade, as vezes em pequenos gestos observamos muita coisa de um determinado espírito atuando. E saibam que trabalho de preto velho é uma verdadeira aula de sabedoria.

Nas rodas de caboclo, olhem e observem o formato de suas danças, como em cada gesto, vão simbolizando o culto e louvor a natureza, a lembrança a seus ancestrais, se deixem envolver na roda de fogo de Oxóssi, na roda de cura, no poder de suas ervas, simplesmente deixe se elevar.

Na Linha do Povo D.água, nos cantos e mantras de mãe d.água, deixe fluir, penetrar, se eleve, se deixe levar no silêncio das profundezas das águas dos rios e mares, se deixe purificar.

Sinta a cultura que envolve cada linha, cada falangeiro e caboclo, observe seus ensinamentos, eles viveram como eu e você, a única coisa que nos separa é uma linha tênue, e os planos sutis de suas existências espirituais.

Vejam como somos abençoados por tê-los em nossa trajetória e como tudo seria mais difícil sem eles por perto. Gratidão! Gratidão! a Benção hoje e sempre. Axé.

Hoje os médiuns tem que se policiarem, se auto questionarem, se darem valor, evitarem de se envolver em verdadeiros antros, não fazerem de seus oris uma bola de boliche, um joguete nas mãos daqueles que se dizem terreiros de Umbanda, mas que desconhecem o que seja, SE DEEM AO RESPEITO. Não joguem o nome de seus guias e os vossos no lixo. Simples assim.

Um médium sério procura uma casa idônea para trabalhar e não um lugar para ostentar suas vaidades e fantasias, encher a cara, se sentindo os próprios donos do cabaré. Alguns médiuns parecem não mensurar o quão lamentável é isso. Entidade idônea não faz de seu médium copo vivo. 

Nada contra a boas festas desde que não usem de espíritos para camuflarem suas vaidades enrustidas e usem de nomes de entidades idôneas para saciar suas fantasias. Terreiro de Umbanda não é escola de samba, não é picadeiro e muito menos teatro.

Entendam bem nenhuma entidade que passou por sofrimentos, por resgates cármicos pesados, que levou anos para alcançar sua redenção e doutrinação, vai querer que seu médium passe pelo mesmo, para isso o médium é seu pupilo, porque deve se entender por guia um espírito que tenha um grau evolutivo acima. Fora disso, opa lá, tem algo muito errado.  Lembremos disso.

O médium ele deve estar atento, muitas entidades quando palestram a seus médiuns e seus consulentes, com suas histórias sempre trazem algo a mais, sempre nos ensinam, sempre deixam tanto deles.

Como diz uma cantiga, “…No calar da Noite tem um Exu ele não dorme, ele vigia…”.

Para bom entender um pingo é letra.

Que nossos guias nos perdoem, e nos auxiliem a sermos cada dia melhores, na pratica do Amor e da Caridade, que nunca lhes falte sua benevolência e sagrada paciência para conosco.

Tudo passará, e quando chegar a nossa hora, que tenhamos mais honra do que vergonha.

Texto por: Cristina Alves

Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira.

Fonte: https://orixaessenciadivina.wordpress.com/2016/09/03/nos-os-mediuns-eles-os-guias/

 

Transgênicos no dia-a-dia

No cotidiano levamos pra casa uma série de alimentos geneticamente modificados que nem imaginamos o quanto pode prejudicar nossa saúde e bem estar de todos que amamos, pesquisei alguns e juntei algumas matérias para ajudar a identificar os vilões que podem estar na sua casa.

Aspartame. O aspartame é feito a partir de três ingredientes: aspartate, fenilanina e mentol. Os três são conhecidos por serem transgênicos. Mas essa nem é a parte mais assustadora do aspartame. Esse adoçante artificial é uma neurotoxina e seu uso constante pode afetar o cérebro e o sistema nervoso. E não esqueça que ele também está presente em refrigerantes e sobremesas diet.

Editora Globo

Óleo de Canola. A canola é uma planta que… Não, espera, ela não existe. Óleo de Canola não vem de uma planta chamada Canola. Canola é uma abreviação das iniciais de Canadian Oil Low Acid (Óleo canadense baixo em ácido) e ele é feito a partir de uma variedade de uma planta chamada Olza, que foi fertilizada de maneira cruzada por cientistas canadenses, até que eles chegassem em uma versão da semente que fosse mais baixa em um ácido tóxico que é parte do óleo da planta. Hoje em dia, cerca de 80% da Olza planta nos EUA para esse propósito é transgênica para se tornar mais resistente a pesticidas.

Editora Globo

Milho, amido de milho, xarope de milho: 85% do milho produzido no Brasil e nos EUA é transgênico. E você pode dizer “tudo bem, eu nunca como milho”, mas se está dizendo isso é porque não tem lido os rótulos daquilo que come. Derivados do grão, como o amido de milho (corn starch, em inglês) e o xarope de milho (conhecido como high frutose corn syrup) estão presentes em quase todos os alimentos processados que você encontra no supermercado. Há suspeitas de que o amido e o xarope de milho causem danos aos orgãos.

Editora Globo

Margarina. O substituto vegetal da manteiga é feito de canola geneticamente modificada ou de outros óleos vegetais processados e é rica em gordura trans, que você já cansou de ouvir o quanto faz mal. Gordura hidrogenada pura, a margarina e difere do plástico em apenas uma molécula. Dizem que se você deixar um pote de margarina aberto fora da geladeira, nem uma mosquinha chega perto. É pra se pensar.

Editora Globo

Leite. O gado leiteiro de produção em larga escala é alimentado, muito frequentemente, com farelo de soja – proveniente de uma variedade geneticamente modificada do grão. Além disso, fazendeiros injetam no gado um hormônio de crescimento transgênico, que aumenta a produção de leite mas também o número de infecções nas vacas. Essa infecção, às vezes, vaza para o leite que você toma.

Editora Globo

Salsicha. Você já cansou de escutar a quantidade de bizarrices encontradas na salsicha e provavelmente já ouviu aquele papo que diz “você não comeria mais salsicha se visse como ela é preparada”. É que além da carne processada cuja origem a gente não quer nem adivinhar, salsicha contém na mistura o amido de milho sobre o qual falamos aqui em cima.

Editora Globo

Soja e Lecitina. No Brasil, Soja geneticamente modificada já foi ligada a uma série de problemas de saúde. A lecitina é um espessante feito a partir de soja presente em muitos produtos industrializados que você consome no dia-a-dia. E no Brasil, 92,4% das lavouras de soja são plantadas com sementes transgênicas, de acordo com essa matéria.

Resultado de imagem para fermento pra bolo

Fermento para bolo

No Brasil não existe mais fermento para bolo que não seja transgênico, se você tiver Pó Royal, Fleischmann  ou outra marca em casa procure na embalagem que você vai encontrar o selo com com o T.

Resultado de imagem para cerveja maltada

Cerveja

Pegue agora uma cerveja da sua casa e procure  na lista de ingredientes o item cereais não maltados ou malteados, se você encontrar não tenha dúvida, a cerveja é transgênica.

Resultado de imagem para queijo transgenico

Queijo

Aqui não se trata de um alimento derivado de um OGM, mas de um alimento em que um OGM contribuiu em uma fase de seu processamento. A quimosina, uma enzima importante na coagulação de lacticínios, era tradicionalmente extraída do estômago de cabritos – um procedimento custoso e “cruel”. Biotecnólogos modificaram micro-organismos como bactérias, fungos ou fermento com genes de estômagos de animais, para que estes produzissem quimosina. A enzima é isolada em um processo de fermentação em que esses micro-organismos são mortos. A quimosina resultante deste processo – e que depois é inserida no soro do queijo – é tida como idêntica à que era extraída da forma tradicional. Essa enzima é pioneira entre os produtos gerados por OGMs e está no mercado desde os anos 90. Notem que o queijo, em todo seu processo de produção, só teve contato com a quimosina – que não é um OGM, é um produto de um OGM. Além disso, a quimosina é eliminada do produto final. Por isso, o queijo escapa da rotulação obrigatória.

Resultado de imagem para queijo transgenico

Mamão Papaya

Estados Unidos o maior importador de papaya do mundo – a maior parte vem do México e não é transgênica. Mas muitos americanos apreciam a papaya local, produzida no Havaí, Flórida e Califórnia. Cerca de 85% da papaya do Havaí, que também é exportada para Canadá, Japão e outros países, vem de uma variedade geneticamente modifica para combater um vírus devastador para a planta. Não é vendida no Brasil, nem na Europa.

Resultado de imagem para queijo transgenico

Pães, Bolos e Biscoitos

Trigo e centeio, os principais cereais usados para fazer pão, continuam sendo plantados de forma convencional e não há variedades geneticamente modificadas em vista. Mas vários ingredientes usados em pão e bolos vêm da soja, como farinha (geralmente, nesse caso, em proporção pequena), óleo e agentes emulsificantes como lecitina. Outros componentes podem derivar de milho transgênico, como glucose e amido. Além disso, há, entre os aditivos mais comuns, alguns que podem originar de micro-organismos modificados, como ácido ascórbico, enzimas e glutamato. Dependendo da proporção destes elementos transgênicos no produto final (acima de 1%), ele terá que ser rotulado.

Resultado de imagem para abobrinha transgenica

Abobrinha

Seis variedades de abobrinha resistentes a três tipos de vírus são plantadas e comercializadas nos Estados Unidos e Canada. Ela não é vendida no Brasil ou na Europa.

Resultado de imagem para arroz transgenico

Arroz

Uma das maiores fontes de calorias do mundo, mesmo assim, o cultivo comercial de variedades modificadas fica, por enquanto, na promessa. Vários tipos de arroz estão sendo testados, principalmente na China, que busca um cultivo resistente a insetos. Falou-se muito no golden rice, uma variedade enriquecida com beta-caroteno, desenvolvida por cientistas suíços e alemães. O “arroz dourado”, com potencial de reduzir problemas de saúde ligados à deficiência de vitamina A, está sendo testado em países do sudeste asiático e na China, onde foi pivô de um recente escândalo: dois dirigentes do projeto foram demitidos depois de denúncias de que pais de crianças usadas nos testes não teriam sido avisados de que elas consumiriam alimentos geneticamente modificados.

Resultado de imagem para feijao transgenico

Feijão

A Empresa Brasileira para Pesquisa Agropecuária (Embrapa), ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, conseguiu em 2011 a aprovação na CTNBio para o cultivo comercial de uma variedade de feijão resistente ao vírus do mosaico dourado, tido como o maior inimigo dessa cultura no país e na América do Sul. As sementes devem ser distribuídas aos produtores brasileiros – livre de royalties – em 2014, o que pode ajudar o país a se tornar autossuficiente no setor. É o primeiro produto geneticamente modificado desenvolvido por uma instituição pública brasileira.

Resultado de imagem para salmão transgenico

Salmão

Após a aprovação prévia da FDA, o público e instituições americanos teve um prazo de 60 dias (iniciado em 21 de dezembro de 2013) para se manifestar sobre o salmão geneticamente modificado para crescer mais rápido. Em seguida, a agência passou a analisar os comentários para decidir se submeteria o produto a uma nova rodada de análises ou se o aprovava de vez. Francisco Aragão, pesquisador responsável pelo laboratório de engenharia genética da Embrapa, disse à BBC Brasil que tem acompanhado o caso do salmão “com interesse”, e que não tem dúvidas sobre sua segurança para consumo humano. “A dúvida é em relação ao impacto no meio ambiente. (Mesmo criado em cativeiro) O salmão poderia aumentar sua população muito rapidamente e eventualmente eliminar populações de peixes nativos. As probabilidades de risco para o meio ambiente são baixas, mas não são zero…na natureza não existe o zero”. Foi Liberado!

Resultado de imagem para batata e tomate

Transgênicos que não deram certo

A primeira fruta aprovada para consumo nos Estados Unidos foi um tomate modificado para aumentar sua vida útil após a colheita, o “Flavr Savr tomato”. Ele começou a ser vendida em 94, mas sua produção foi encerrada em 97, e a empresa que o produziu, a Calgene, acabou sendo comprada pela Monsanto. O tomate, mais caro e de pouco apelo ao consumidor, não emplacou. O mesmo ocorreu com uma batata resistente a pesticidas, lançada em 95 pela Monsanto: a New Leaf Potato. Apesar de boas perspectivas iniciais, ele não se mostrou economicamente rentável o suficiente para entusiasmar fazendeiros e foi tirada do mercado em 2001.

A lição que fica é: leia os rótulos daquilo que você consome e, sempre que possível, opte por alimentos orgânicos. Por conta de informações como as que você leu, cada vez mais gente tem se preocupado em saber a origem daquilo que come – nessa “chatice” pode residir a diferença entre um organismo saudável e um doente.

Portanto olho de leão na lista de ingredientes, se você encontrar alguma coisa com a siglaOGM ela significa Organismos Geneticamente Modificados.

9693-2

Transgênicos para os pobres, orgânicos para os ricos

Historicamente a ciência sempre foi para favorecer os ricos e muito mais tarde os  pobres, mas neste caso é ao contrário, os transgênicos são completamente dirigidos para os pobres. No Brasil, o selo de alimentos orgânicos certificados é este aqui:

selo

Mas existem alternativas para você fornecer alimentos de qualidade  para sua família sem comprar produtos certificados, segue link para fermento natural… como fazer fermento natural para pães.

E na sua residência se o espaço é pequeno substitua todos os vasos de flores da casa por plantas comestíveis como couves, pepinos e tomates.

Para ter uma ideia um pé de tomate com o solo apropriado pode produzir até 3 caixas de tomate, um pé de vagem produz no mínimo 300 vagens e é muito fácil de cultivar.

Fontes:

http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI343284-17770,00-SETE+ALIMENTOS+TRANSGENICOS+QUE+VOCE+DEVERIA+EVITAR.html

Como identificar alimentos transgênicos sem selo ?

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2013/02/130207_transgenicos_lista_tp.shtml

Entendendo o que faz o Monsanto

 

Foto: Veo Verde. O grupo se encontra em vários fóruns da Internet. Sem um líder definido, os hackivistas se comunicam virtualmente  para coordenar as próximas ações. Participam do protesto cerca de 330 cidades do mundo inteiro, e aqui no Brasil acontecerá em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Ao pesquisar sobre a Monsanto, descobri que se trata de uma empresa multinacional estabelecida nos EUA, que produz e vende agrotóxicos específicos para sementes transgênicas, estas também produzidas pela Monsanto. Fica claro que esta empresa representa uma grande ameaça para o mundo: ela já é responsável pela produção de 90% dos transgênicos plantados no planeta, além de produzir agrotóxicos específicos para as suas sementes.

A jornalista francesa Marie-Monique Robin, que pesquisou por quatro anos as ações da Monsanto, revelou que os agrotóxicos da empresa estariam diretamente relacionados com o aumento dos casos de câncer em várias partes do mundo. Os pesticidas fabricados (Roundup) já têm sido responsabilizados por uma série de casos de doenças, desde infecções na pele até cânceres, em agricultores ou pessoas que tiveram contato com o produto por via direta ou indireta.

Essa pesquisa resultou na produção de um documentário, transmitido pelo canal de TV franco-alemão ‘Arte’ e num livro-denúncia, já traduzido em 12 línguas, ambos intitulados ‘O mundo segundo a Monsanto’. Robin revela também os detalhes da “transgenização” dos campos de soja nos países do MERCOSUL, fazendo um alerta: “Em poucos anos nós viveremos uma epidemia de câncer causada pelo uso abusivo de agrotóxicos”.

E conforme relatório divulgado durante o Fórum Social Mundial, a Monsanto está contribuindo também para o crescimento da fome e da miséria mundial. Explica-se: a queda na competição no comércio de sementes pode levar ao aumento de preços dos alimentos, pois sem competição, a Monsanto pode a qualquer momento elevar o preço de suas sementes, elevando, por consequência o custo dos alimentos.

A Monsanto reconhece que advogados do Departamento de Justiça dos EUA estão investigando a empresa, procurando documentos e entrevistando empregados sobre as suas práticas.

Em recente matéria veiculada no Portal Desacato, é didaticamente revelado o que é essa empresa, seus objetivos e o que não está entre as suas Cartaz de Portugal, contra as sementes Terminator (Foto: Divulgação) políticas, especialmente aquelas relacionadas ao meio ambiente:

“O QUE É A MONSANTO?

É uma indústria multinacional de agricultura e biotecnologia situada nos Estados Unidos. É líder mundial na produção do herbicida glifosato (Roundup®). É líder de produção de sementes geneticamente modificadas (OGM) de milho, soja, algodão e colza.

Na verdade o que faz a Monsanto? Criação de sementes suicidas (Terminator) – morte da semente após a colheita; toxicidade ambiental; perda da biodiversidade; doenças de animais, incluindo da espécie Humana: problemas gastrointestinais, no sistema imunológico, infertilidade, problemas mentais (Alzheimer, Parkinson, depressão, autismo), câncer, obesidade, problemas de pele e cardíacos.

O que fazer? Consumir produtos biológicos; trocar sementes biológicas; fazer hortas em casa/comunitárias; forçar o governo a limitar cada vez mais as atividades prejudiciais da Monsanto; informar sobre as marcas associadas à Monsanto e não consumir produtos dessas marcas.”

Por estes motivos está crescendo no mundo campanhas e movimentos contra a Monsanto. O movimento campesino brasileiro promove iniciativas de soberania alimentar alternativa e conscientização sobre a não aceitação dos transgênicos. Vários países estão tentando combater a entrada destes produtos em suas terras, dentre eles a França, que interditou o uso das sementes alteradas. Na Hungria, em 24/05/2013, foram destruídas todas as plantações de milho transgênicos Foto: Divulgação espalhados pelo seu território. Segundo explica o Ministro do Desenvolvimento Rural, Lajos Bognar, o pólen venenoso ainda não estava dispersado, pois as sementes transgênicas da Monsanto haviam sido plantadas há pouco tempo.

Mas no Brasil, segundo reportagem recente veiculada recentemente no Jornal do Brasil, a Monsanto tem vencido tudo, sempre com a conivência das autoridades. A Comissão Técnica de Biossegurança e o Conselho Nacional de Biossegurança vêm dando sinal verde aos crimes cometidos pela Monsanto e outras congêneres no Brasil.

Enquanto o Estado falha, só nos resta resistir, praticando a troca de sementes biológicas, fazendo hortas em casa/apto/comunitárias, divulgando as marcas associadas a esta empresa e não consumir produtos destas marcas.

A lição que fica é: leia os rótulos daquilo que você consome e, sempre que possível, opte por alimentos orgânicos. Por conta de informações como as que você leu, cada vez mais gente tem se preocupado em saber a origem daquilo que come – nessa “chatice” pode residir a diferença entre um organismo saudável e um doente.

Documentário – O mundo segundo a Monsanto

Portal Desacato: Dia 25 de maio será dia de protesto mundial contra a Monsanto

Revista Fórum: Hungria destrói todas as plantações da Monsanto

Jornal do Brasil: A Monsanto além da Justiça

Fonte:

http://antigo.blumenews.com.br/index.php/colunas/colunas/item/5211-mas-afinal-o-que-e-a-monsanto

Pane no sistema, alguém está desconfigurando…

   Muito se comenta no meio espiritualista sobre as atualizações dos chákras, corpos, unificações e reversões. Como temos estudado muito sobre isso nos últimos meses, resolvemos fazer um post auxiliando aos demais e desmistificando um assunto preocupante que vem se proliferando em nosso meio.

    Nosso compromisso é alertar e abrir os olhos, despertando dentro de cada individuo o ser questionador que é e deve ser, devemos sim questionar, duvidar e crescer com as reflexões do que ouvimos, lemos e interpretamos.

   A história da humanidade sempre foi muito complexa, cheia de premissas, dogmas, mistérios e um sistema controlador que visa engessar a alma humana para uma escravização mental.

   Em analise a vários textos inseridos na internet e em livros, conseguimos capturar fragmentos de uma mentira que vem se camuflando com finalidades sórdidas.

     Vejamos alguns pontos sobre unificação dos chákras.

  Os textos sempre começam com informações cheias de novidade, atualizações e premissas que induzem os leitores a quererem fazer a unificação e sair da malha energética aprisionadora de baixo padrão vibratório. Mas passando alguns parágrafos começa uma série de informações sem nexo e contraditórias.

    Nos textos encontramos pontos relevantes que falam sobre juntar energeticamente as energias dos centros de luz em um ponto único, no ponto cardíaco. Unificando e simplificando as informações, correlações e energias mais superiores fazendo assim uma conversação mais rápida com os corpos. Logo após há trechos que informam que esse sistema novo deixará de oferecer resistência as energias e cita mais a frente que também haverá resistência a própria energia de amor e sabedoria divina, havendo uma desconexão com tua essência, uma vez que quem estuda sobre os chákras entende que a função dele é captar energias do meio, intercomunicar-sem e vitalizar os órgão e o corpo físico em si. Uma vez que estamos com padrão vibratório médio/elevado os chákras tem capacidade de filtrar energias e manter estar.

    Depois fala que após esta nova etapa o individuo terá capacidade de mobilizar energias em quantidades exatas de amor e energia sexual, amor e energia de poder. Trabalhando com estágios opostos, uma vez que já trabalhamos naturalmente com estas em forma mensurada em uma escala universal. Sabendo assim que a energia sexual se encontra na escala em 4,5 e amor está em vibrando em alta escala, dado a entender que os padrões tenderão a cair. A confirmação disto vem no trecho que diz que o ser por algum motivo vir a entrar em conflito com alguém, no meio do problema os dois começarão a sorrir, de repente, a tensão desaparecerá. Aqui parece que o individuo tende a ter ações descompensadas e perde o próprio controle mental se deixando manipular por forças externas. No final ele fala do individuo como um novo ser humano de um novo padrão vibratório ao qual se torna um ser ativo, e conclui com a frase: “até a raiva é uma energia Divina”. Pra quem estuda energias e sabe dos desmembramentos energéticos que pode se fazer a partir da energia cósmica e universal, sabe muito bem que viciações não pertence a energia Divina.

     Em outro estudo vimos sobre a reversão humana, no inicio é a mesma história, fala do sistema controlador, que sim sabemos que existe, porém usa distorções.O que nos chamou a atenção foi a forma com a qual fala dos indivíduos que não sabem, não fazem ou não aceitam a “sua verdade”.  Usa palavras, textos, quadrinhos, e memes ofensivos e se diz promover a libertação dos humanos para um vida feliz e perfeita. Importante refletir  sobre o assunto. Certo conhecimento sobre o sistema ele possui, porém com traços rebeldes  e agressivos justamente que tanto a própria reversão quanto a unificação pode vir a provocar no decorrer do tempo.

   A reversão humana consiste em trabalhar com a glândula timo e o grande potencial energético que ela produz, armazenando a energia no cérebro, porém sendo trabalhada e manipulada no todo apenas com o timo. Logo percebemos que se trata do mesmo processo da unificação porém com palavras diferenciadas.

  Alertamos sobre os decretos e mantras aleatórios que venham a encontrar principalmente online, que sem tradução, interpretação e correspondência correta pode induzi-lo e levar a erros que dificultarão a  sua galgada evolutiva como ser espiritual  que és.

Você controla sua mente?

Sabemos que o mal da humanidade atual é a depressão, e espiritualmente também sabemos que a depressão tem um “q” a mais, ou seja, o individuo quando começa a ter pensamentos de ordem negativa vibra um padrão baixo que se comparado a ondas de radio seria algo semelhante a FM, alcança longas distancias e desperta no plano sutil o interesse e o cheiro dos sentimentos auto depreciativos, conhecidos no meios espiritualista como auto obsessão, com a aproximação de desencarnados em estados errantes, o indivíduo passa a ter dificuldades de elevar o padrão vibratório, muitas vezes nem percebendo que se encontra e vibra em um padrão muito baixo. Se vitimizando por tempo indeterminado, perdendo assim o controle mental que antes gozava em plena saúde. Mas e você, sabe se tem controle sobre sua mente?

Faça o teste e descubra!

Para somar:

Nunca = 0
Só um pouco = 1
Razoavelmente = 2
Moderadamente = 3
Muito = 4
Sempre = 5

Abaixo tem oito itens que refere à forma como você se comportou e sentiu durante a última semana. Para cada item, indicar a classificação na resposta que mostra o que realmente você percebeu na última semana.

1. Meu futuro parece desesperador.

Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

2. É difícil para mim me concentrar nas coisas.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

3. O prazer e alegria não tem estado presente na minha vida.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo.

4. Já perdi o interesse em coisas que costumava ser importante para mim.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

5. Eu me sinto triste, sem motivação ou infeliz.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

6. Eu me sinto fracassado, me sinto inútil.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

7. Eu me sinto mais morto do que vivo.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

8. Perco tempo pensando sobre a morte e sobre morrer.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

Somando resultados:

Se o seu total foi de 0 a 9 = não tem depressão

Se o seu total foi de 10 a 19 = você tem possibilidade de estar com distúrbio depressivo

 Se o seu total foi de 20 a 29 = você pode estar mostrando sinais de transtorno depressivo leve ou moderado

Se seu total foi acima de 30 = você apresenta sintomas depressivos e deve buscar uma melhor avaliação diagnóstica com um profissional de saúde mental.

Atenção: Esse tipo de material deve ser usado apenas para reflexão pessoal e não defini um diagnóstico. Procure sempre um especialista

Comente!!

Fonte:

Será que você tem depressão? Faça esse teste psicológico

O MISTÉRIO DA MALANDRAGEM

Estamos preparando uma apostila completa sobre entidades e orixás para turma esquilo do Cendee, conforme vamos estudando e buscando informações, esbarramos em detalhes ricos que queremos compartilhar, é do mesmo grupo da postagem anterior:

Mistério da Malandragem – Grupo Espírita Mensageiros da Luz – GEMEL

Nós é chamado de malandro, mas a nossa malandragem é boa. Zé quando chega, ele não vem para a Macumba, vem para a Boacumba. O povo chama nós de tudo, de malandro, vagabundo, egun, até de exu preto. Mas malandro não é Exu, malandra não é pombagira. Exu tem o mistério dele, pombagira tem o mistério dela e a malandragem tem o mistério dela, que nós não revela só por malandragem.
Todo malandro é bom de pernada, mas malandro não dá pernada para derrubar ninguém, a não ser a negatividade, a não ser os pensamentos ruins, os feitiços, a maldade e a covardia.
O povo diz que malandro é cachaceiro, é jogador, é femeeiro e não gosta de trabalho, é vagabundo. Mas a bebida que nós usa, que nós oferece para o povo beber é só pra mostrar que o egoísmo não pode ser cultivado, então nós divide a bebida. Essa mesma bebida que a gente usa para afastar as baixa vibração e a negatividade.
Malandro joga verde para colher maduro, e esse maduro pode ser traduzido por sorte para aqueles que vem até nós com o coração limpo, em busca de ajuda.
Nós é femeeiro, porque como dizem, nós gosta da beleza, e a mulher é um símbolo de beleza, que embeleza a vida, que embeleza o dia a dia para aqueles que tem olhos para enxergar a verdadeira beleza.
Malandro é irreverente, malandro dança, malandro canta, malandro bambeia para lá e para cá, sempre com seu andar manemolente, de urubu malandro. A irreverência da malandragem, junto com sua dança e sua cantoria, quando baixa no terreiro, é uma forma de afastar a tristeza, a melancolia, a amargura e a decepção do coração daqueles que estão precisando. A manemolência, a ginga e o bambeio é para mostrar para o povo que é dessa forma que se enfrenta as dificuldades que tem que ser vividas nessa terra. Sem perder o rebolado e sem perder a alegria de viver. Esse é o mistério da malandragem, seja malandro homem, seja malandro mulher. E duvida de um malandro quando ele se dispor a prejudicar quem quer que seja, porque esse é só um rufião achando que é malandro ou fingindo que é um.
Verdadeiramente, a malandragem é uma linha de força, é uma linha de trabalho dentro da sagrada umbanda, e de vagabundo, nós não tem nada. Está sempre no terreiro, para dar um abraço aberto para aqueles que sabem o que é isso e está sempre vagando no mundo, guardando e protegendo os caminhos daqueles que faz merecimento. Nós não consegue ajudar a todos porque nós não é santificado. Só ajudamos quando temos a permissão da justiça divina, da lei maior.
Isso é a malandragem, e eu sou só um Pilintra catimbozeiro, lá do meu Pernambuco, que não gosta de covardia com criança, com mulher e com velho, porque aí eu não sei se respondo por mim.
Salve a umbanda!
Salve meu catimbó!
Salve Nossa Senhora da Conceição!
Salve a Bahia!
Um abraço pra vocês,

Zé Pilintra do Encruzo.

Nomes de Algumas Malandros e Malandras cujas historias, pontos e legado estarão em nossa apostila

Bom cabelo
Camisa Listrada
Camisa Preta
Carioquinha
Chico Pelintra
Cibamba
Edgar
Gargalhada
João Malandro
Juquiri da Linha do Trem
Leonardo do Inferno
Malandrinho (de vários pontos)
Malandrinho da Estrada
Malandro da Baixa do Sapateiro
Malandro da Calunga
Malandro da Lapa
Malandro da Praia
Malandro da Zona Portuária
Malandro do Pelourinho
Malunguinho
Meia-noite
Mestre Carlos
Miguel Camisa Preta
Miguelzinho
Navalha da Beira do Cais
Navalha da Lapa
Nego da Lapa
Sete Copos
Sete Facadas
Sete Navalhadas
Terno branco
Viriata da Esquina
Zé Baiano
Zé Boiadeiro
Zé Camisa Listrada
Zé Camisa Preta
Zé Camisa Vermelha
Zé da Barra
Zé da Estrada
Zé da Lapa
Zé da Luz
Zé da Madrugada
Zé da Mata
Zé da Porta do Botequim
Zé da Proa
Zé da Silva
Zé da Virada
Zé das Almas
Zé das Cabras (esse é tropeiro)
Zé das Mulheres
Zé de Légua
Zé do Cais
Zé do Cemitério
Zé do Coco
Zé do Morro
Zé Emanuel
Zé Malandro (de vários pontos: do morro, do portão, da Lapa, etc…)
Zé Marinheiro
Zé Mineiro
Zé Moreno
Zé Navalha
Zé Pereira
Zé Pilintra
Zé Pimenta
Zé Pretinho
Catarina das Sete Navalhadas
7 Navalhadas
7 saias do Cabaré
Celina da Praia
Dalila do Porto
Gilda do Cabaré
Joana Pelintra (Da falange de Zé Pelintra)
Malandra 7 Navalhadas
Malandra da Baia
Malandra da Estrada
Malandra da Lapa
Malandra das 7 Encruzilhadas
Malandra das Almas
Malandra das Rosas Vermelhas
Malandra das Rosas Vermelhas dos Arcos da Lapa
Malandra do Cabaré
Malandra do Cruzeiro das Almas
Malandra do Morro
Malandra dos Arcos da Lapa
Malandra Maria 7 Navalhas
Malandra Maria do Morro
Malandras
Malandrinha da Baia
Malandrinha da Rosa Vermelha
Malandrinha das Almas
Malandrinha do Cabaré
Malandrinha do Morro
Malandrinha do Morro Alto
Malandrinha (de vários pontos)
Maria 7 Léguas
Maria 7 Navalhas (Da falange de Maria Navalha)
Maria Alzira das 7 Encruzilhadas
Maria Amália
Maria Bonita
Maria Branca
Maria da Boemia
Maria do Balaio
Maria do Baralho
Maria do Cais
Maria do Morro
Maria do Pente Fino
Maria Izabel
Maria Mulambo Malandra
Maria Mulher
Maria Navalha
Maria Navalha da Calunga
Maria Navalha da Estrada
Maria Navalha da Lapa
Maria Navalha das Almas
Maria Navalha do Cabaré
Maria Navalha do Cais
Maria Navalhada
Maria Pelintra
Maria Preta
Maria Rosa Navalha
Maria Seresteira

Miliquina da Lapa

Navalha da Beira do Cais
Navalha da Lapa
Neguinha da Madrugada
Ritinha
Rosa da Lapa
Rosa do Cabaré
Rosa Malandra (A dama da noite)
Rosa Pelintra
Rosinha Malandra
Sete Saias
Sete Saias do Cabaré
Sete Saias, Maria Mulher
Viriata da Esquina

fonte:

Conhecendo Entidades – tira dúvidas!

Em uma pesquisa que esta a fazendo na linha de malandros achei uma colocação do Grupo Espírita Mensageiros da Luz – GEMEL, achamos muito válido os pontos abordados e queremos dividir com todos afim de conhecimento, esclarecimento e dúvidas que vemos que muitos médiuns iniciantes possuem

Conhecendo Seu Guia

É muito comum vermos nas redes sociais irmãos de fé perguntando: trabalho com o exu Y. Alguém conhece alguma coisa sobre a história dele?
Pois bem! Vamos esclarecer que a história de um exu Y não é igual à história de outro exu Y, pois são espíritos diferentes que trabalham com médiuns diferentes. Apenas se utilizam do nome representativo daquele grupo do qual fazem parte, seja ele, uma falange, uma sub-falange, um agrupamento ou uma coluna. Normalmente o nome utilizado pelas entidades é indicativo do seu mistério, missão, linha, irradiação e etc…

Por exemplo: Sr. Tranca-Ruas – verbo TRANCAR, ou seja, bloquear, anular, reter – RUAS, ou seja, caminhos, estradas (Ogun). Logo, trabalha sob a irradiação do orixá Ogun, guardando os caminhos, trancando, bloqueando, anulando, retendo tudo aquilo que for necessário para evitar a proliferação do mal.
Então, todos os exus Tranca-Ruas têm essas mesmas características e atuam nos mesmos campos de irradiação, mas cada um deles é um espírito distinto e possui sua própria história de vida.

Logo, se você quer conhecer a história de qualquer entidade, só poderá fazê-lo através dela mesma, com a convivência, estreitando relação e ganhando sua confiança. Para isso, mostre-se um médium digno e a altura da confiança e da amizade da entidade e, quem sabe, ela te diga até seu verdadeiro nome.

Outro detalhe importante! Não se preocupe com a mecânica gestual da entidade e nem busque conhecer essa mecânica e os trejeitos, através de outro médium que trabalhe com entidade do mesmo nome, pois estará comprometendo a naturalidade da incorporação com a prática do animismo desnecessário. Digo desnecessário por que toda incorporação tem uma dose de animismo, mesmo que inconsciente, pois é uma simbiose de dois espíritos utilizando um só corpo e as mesmas faculdades. E nesse processo, consciente ou inconscientemente, estão presentes resíduos da personalidade do médium, através das emoções, sensações, sentimentos, vivências, experiências, ou seja, o ânima.

Não é porque o Caboclo Lua do seu irmão brada que o seu caboclo lua tem bradar também.
Não é por que a Malandra Celina da Praia da sua irmã, dança, que a sua Malandra Celina da Praia tem que dançar também.
Não é por que o Pai Ambrósio do seu irmão reza com galho de arruda, que o seu Pai Ambrósio tem que rezar do mesmo jeito.

Temos que ter muito cuidado no trato com as entidades e com as incorporações, procurando ficarmos o mais isento possível e confiante na ação da espiritualidade, permitindo que ela conduza o processo da incorporação.

Mantenham a calma e a confiança na espiritualidade, que, com o tempo, através da sua evolução espiritual e do trabalho dedicado às causas do bem, você irá conhecendo verdadeiramente suas entidades, seu modo de trabalho, temperamento, comportamento e personalidade, a tal ponto, que você identificará cada uma delas só pela aproximação, assim como identificamos uma pessoa querida à distância, apenas pelos trejeitos, modo de andar ou outra particularidade qualquer.

Getulio de Xangô

Fonte: