Arquivo da tag: energia fria

Energia Quente

Os princípios e composição da energia fria também podem ser aplicados à energia quente, ou onda de elétrons (eletrônica). Energia quente é sinônimo de movimento (elétrons = energia negativa ou movimento), que quer dizer atrito, ou choque com outras ondas energéticas.

114

Quando um atleta corre, desloca seu corpo e capta maiores quantidades de energias negativas, pois acelera sua própria vibração energética, tomando-se mais receptivo a elas. Com isso, queremos dizer que, quando aumentamos nossa aceleração vibratória, diminuímos o comprimento das ondas negativas. Assim, estaremos nos capacitando a captar bilhões de elétrons que circulam pela atmosfera (ar = energia negativa = elétrons) livremente, à espera de que um núcleo (condensação energética = ser humano, ou matéria) o atraia, desde que entrem em sintonia vibratória.

seja-um-atleta

O atrito com os raios solares, mais os elétrons do ar, aumenta nosso calor, fazendo com que fiquemos impossibilitados de respirar compassadamente, uma vez que toda a estrutura sanguínea (aquática) foi alterada pela absorção de calor em excesso. Por isso precisamos absorver ar em maior quantidade, para que possamos sustentar esse novo padrão vibratório (mais quente) em nosso interior.

ducharse-agua-fria

Este padrão somente abaixará de imediato, se tomarmos uma ducha fria. O choque térmico de energia positiva (água) versus energia negativa (fogo), irá anular o calor (combustão do ar pelo fogo). Porém, se o choque for muito intenso, poderá abalar o equilíbrio energético-vibratório, e provocar o surgimento de alguma doença.

O mesmo ocorre na agricultura: se um fruto precisa de calor, e vem uma geada, o fruto não vingará, e o seu pé poderá até morrer. Tudo isso é energia quente! Os elétrons são partículas de origem cósmica, e portanto negativos.

geada_brunojoses

O fogo e o ar são desdobramentos do padrão vibratório da energia cósmica, também negativos. Uma geada é uma carga muito forte de elétrons (energia negativa e ativa). Dizemos então, que tal plantação foi “queimada” por uma geada. Se usamos o termo “queimada” para o frio da geada, é porque toda energia negativa (elétrons) queima. O atrito gera calor, porque os elétrons são ativados ao extremo. O fósforo é uma típica condensação energética negativa (nêutrons negativos e elétrons), que se incendeia ao menor atrito com algo mais duro, e se dissolve ao contato com algo mais mole. De fato, a geada queima pois, com a sobrecarga de elétrons (energia negativa) somada à de nêutrons (energia fria), a planta tem, num certo período da noite, todo o seu magnetismo (seiva = vida = magnetismo) alterado e desagregado. Sua seiva se condensa e destrói os canículos que a conduzem, matando suas células (energia positiva = água). Quando o Sol aquecer a planta com suas ondas curtíssimas de energia quente, essas não encontrarão a energia positiva (água) suficiente para resistir à sua invasão, e tudo irá secar. A planta foi ou não foi queimada pela geada, que destruiu sua estrutura energética de ordem positiva (estável)?

Bem, já deu para notar que alguém sobrecarregado de energia quente (elétrons) é um ser negativo que, se atritado (ativado) de forma contínua, irá incendiar-se como um fósforo, mas que, se lançado num meio mais mole, irá desagregar-se (dissolver seu calor).

Isto explica porque um líder carismático (magnetismo forte), guiado pelo polo positivo de sua origem energética negativa, que se desdobra pelo bem estar dos seus liderados, somente se sente bem (estável) quando todos estiverem bem também. Não se esqueçam que, ser de origem ou ordem negativa não significa ser ruim, pois tudo deriva da energia divina. Em função disso, a energia negativa, aqui abordada como energia quente, é apenas mais um dos desdobramentos da energia cósmica, ou o polo negativo de Deus, enquanto energia. Mas também não se esqueçam que, quando abordamos a energia ígnea, comentamos que ela partia em duas direções simultaneamente, podendo ter um princípio ativo e fim estável (- +), assim como um princípio ativo e fim ativo (- -), sendo que este último é destruidor.

Estudo do Livro das Energias de Rubens Saraceni

ENERGIA FRIA

No livro das Energias de Rubens Saraceni ele nos ensina sobre a energia fria, vamos conhece-la:

A energia fria é caracterizada por ondas muito lentas e hiper carregadas de átomos neutros. Logo, nós a relacionamos com os nêutrons. Não é por acaso, que um átomo tem em sua composição prótons, elétrons e nêutrons. O magnetismo é frio, estável e poderoso, a ponto de paralisar um magnetismo mais fraco que caia sob sua atração energética. Um ser dotado de forte magnetismo assume a liderança de um grupo, e se impõe com extrema facilidade. Um corpo celeste faz o mesmo, assim como um núcleo atômico, que captura elétrons em função do seu magnetismo.

Tudo o que cair sob sua órbita (magnetismo), perde a liberdade, e passa a ser prisioneiro do seu poder (energia magnética). Um átomo somente é poderoso, se seus nêutrons forem de ordem positiva! Os nêutrons possuem dupla polaridade. Num átomo negativo, seus nêutrons são positivos, porque somente assim haverá uma agregação perfeita no núcleo. Ocorre o inverso num átomo positivo. Falta muito para que os cientistas cheguem a conhecer em profundidade a estrutura molecular atômica.  Por enquanto, são conhecidos apenas seus princípios mais rústicos, sendo que seus princípios mais sutis, permanecem incógnitos.

Mas o tempo a tudo soluciona, e chegará o dia em que até esses princípios serão descobertos. Aí poderão construir as tão sonhadas naves interestelares compostas de ligas ultra resistentes (somente positivas) e movidas a energias ultra econômicas (somente negativas).  Poderão decompor totalmente uma condensação energética em qualquer parte do Universo (matéria), e fabricar oxigênio ou água, tão necessários à sobrevivência da espécie humana. Mas isso é algo que somente o tempo poderá solucionar. Enquanto isso não ocorre, vamos conhecer um pouco mais sobre a energia fria.

Como dissemos no princípio, a energia fria é composta de ondas de comprimento muito grande, onde uma infinidade de nêutrons são arrastados por todo o Universo. No vácuo, na corrente contínua de energia cósmica, elas predominam, e por isso ele é tão frio.  O frio do vácuo é insuportável para qualquer habitante da Terra, e mesmo de outra formação planetária, pois ali as ondas não se medem em ciclos, mas em mega ciclos. No vácuo, tudo é imenso, e uma curva de onda fria tem muitos metros de comprimento. Comparando o comprimento de uma onda fria com uma onda de rádio, nós chegamos a isto:

As ondas de energia fria não são captadas pelos aparelhos mecânicos humanos por dois motivos:

  • 1° – Possuímos apenas aparelhos que captam ondas positivas ou negativas, e não as ondas neutras (neutrônicas);
  • 2° – O princípio neutrônico como energia magnética é totalmente ignorado pela ciência humana.  Como vemos, muito ainda é desconhecido pelo homem em seu próprio planeta. O que dizer então, da estruturação do Universo, enquanto energias?

O polo neutro de uma corrente de energia elétrica tem correspondência com a energia fria que estamos descrevendo: se a corrente positiva tem uma onda maior que a negativa, a corrente neutra tem o comprimento da soma das duas, elevada à décima potência.

Logo:

C.O.E.F. = (C.O.P. + C.O.N.),  Onde: C.O.E.F. = Comprimento de Ondas de Energia Fria

C.O.P. = Comprimento de Ondas Positivas C.O.N. = Comprimento de Ondas Negativas,  Ou se usarmos números escolhidos ao acaso, chegaremos a:  C.O.E.F. = (l00 + 10)10.

A onda positiva é o quadrado da onda negativa. Por isso, é no polo positivo que menos sentimos a força (energia) de uma corrente elétrica. No polo neutro nada sentimos, porque as ondas da energia fria (neutrônica) são muito maiores que a humana, que também é menor que a onda positiva da energia elétrica. Já a onda negativa é menor que a humana, e por isso ela nos atinge com tanta intensidade. Isso elucida o princípio segundo o qual “o maior passa pelo menor, sem alterá-lo”, pois o envolve, ou vibra, num padrão superior. O mesmo não ocorre com o menor, que não passa por um maior sem alterá-lo. A energia fria é fria, porque ela não possui elementos positivos ou negativos (carga), já incorporados ao nosso todo espiritual e físico. Mas, se num capítulo anterior falamos que os raios do Sol têm ondas que, ao se refratarem no cinturão celestial, chegam até nós como energia quente (calor) somente nas faixas de captação central, o mesmo não acorre nos polos (extremos do planeta), onde o magnetismo (positivo e negativo) está mais concentrado. Ali o magnetismo planetário absorve os nêutrons (energia fria) que nos são enviados pelos raios solares.  Já falamos que o magnetismo mais forte absorve o mais fraco. Por isso, é nos polos magnéticos que os nêutrons que nos chegam do Sol, através de sua energia luminosa, são captados. Em função da inclinação do eixo magnético, as ondas luminosas chegam assim:

Essa inclinação permite que a onda fria seja refratada pelo cinturão de energia celestial, e que nosso planeta receba o terceiro componente do todo atômico, que são os nêutrons. Estes alimentam com seu magnetismo e equilíbrio, os elementos positivos (Água e Terra) e negativos (Fogo e Ar) do nosso amálgama energético, em contínuo processo criador (Vida).

Sem a incidência das ondas de energia fria carregadas de nêutrons, a vida como nós a conhecemos não seria possível, pois é essa corrente que fornece a energia neutra que separa os padrões vibratórios das diversas energias, e impede que nossos órgãos se desagreguem com a invasão de energias viciadas, ou de padrão (ondas) maior ou menor. Logo, temos na nossa energia neutra apenas uma adaptação (desdobramento) da macro energia fria. Sentimos frio, é porque há muita concentração de nêutrons no ar (ondas neutrônicas), e poucos elétrons (ondas eletrônicas). Se sentimos pouca receptividade a uma ideia exposta num auditório lotado, é porque ela era de natureza fria (neutrônica), e “esfriou” os ouvintes. Mas se ela for de natureza quente (eletrônica), o auditório não só ficará atento, como será envolvido totalmente por ela.

Esse é o princípio adotado por políticos, advogados, pastores evangélicos, artistas, etc., etc., etc. Todos emitem ondas de energia negativa (elétrons = ação), e não só despertam a curiosidade, como acabam envolvendo nas suas ondas, os seus ouvintes. O som é Ar (negativo), e a imagem é Terra (positivo). Logo, quem com o som criar uma imagem sólida (princípio negativo e fim positivo) fatalmente irá ter grande magnetismo, atraindo aqueles de magnetismo inferior.

Terá uma multidão à sua volta, e será elevado às alturas como um semideus. Será que ficou claro como são e como agem as energias, quando transportadas ao ser humano?  Então, não sejam energias frias para não serem absorvidos por condensações positivas ou negativas.

Se o fizerem, perderão o fictício e mitológico “livre arbítrio”, ou se tomarão insensíveis: à dor, ou ao amor, ao prazer, ou ao ódio, ao desejo, ou à vida. Entendam, tanto no macro quanto no microcosmo, o que é energia fria e deixem de ser neutros, pois ela é sinônimo de ação vibratória muito lenta e de comprimento muito grande. Seria como ter uma boa ideia hoje: e somente tomá-la realidade muito tempo depois, quando ela não fizer mais sentido.

Nosso resumo e uma equação hipotética para compreensão:

img_2208

Fonte: Livro das Energias – Rubens Saraceni