Arquivo da tag: espiritual

ENERGIAS VIRTUOSAS

Falar de energias virtuosas, é falar de valores, de moral, de boas vibrações…Saraceni nos traz a seguinte informação:

Ao abordarmos este tipo de energia, saímos dos padrões estáveis e com dinâmica própria, para adentrarmos no magnífico padrão de E.V.M.L.C. (Energia, Vibratória, Magnética, Luminosa e Colorida) que existe no ser humano, enquanto criação divina.

A ele, é dado autonomia para a maior ou menor emissão desses padrões muito sutis de energias, que são: virtuosas, viciadas, masculina e feminina, espiritual, humana, carnal, mental, racional, emocional e sexual.

Primeiramente vamos às energias virtuosas, pois são elas que nos elevam a esferas luminosas mais sutis, quando as absorvemos por inteiro e fazemos do nosso todo espiritual um meio para sua exteriorização. Embora seja muito pessoal, pode ser transmitida, doada, passada e despertada em nossos semelhantes, desde que bem direcionadas. Podemos identificá-la:

  • Com as sete virtudes (Amor, Conhecimento, Fé, Razão, Lei, Sabedoria e Vida);
  • Com as sete cores do arco-íris divino, que são: branco cristalino, azul cintilante, rosado, verde, dourado cristalino, amarelo cristalino, prateado cintilante;
  • Com os sete símbolos sagrados;
  • Com as sete notas musicais;
  • Com os sete dons originais;
  • Com os sete graus de evolução do espírito no estágio humano;
  • Com as sete esferas ascendentes, ou luminosas.

As energias virtuosas são estados “de” e “do” espírito humano. Elas somente se manifestam, e podem ser sentidas, doadas ou despertadas, se assim o desejarmos, ou se formos induzidos a aceitar tal padrão vibratório. Sem isto, elas continuam à nossa volta sem serem por nós absorvidas. Temos então, um arco-íris invisível aos olhos carnais, mas que é sentido e percebido pelo nosso espírito imortal. Se nos harmonizamos com a energia divina, logo as energias virtuosas começam a inundar-nos com seu poder e sua força. Poder e força, em princípio, pertencem a Deus (energia divina), mas estão à nossa disposição, para que os usemos em benefício de nossos semelhantes, e da humanidade como um todo.

Quando falamos em força e poder das energias virtuosas, relacionamos aos seus opostos nas energias viciadas, que são dor e morte.

Observem bem as duas ordens, pois a força e o poder nos chegam pela energia universal, enquanto a dor e a morte nos chegam pela energia cósmica.

As virtudes somente são energias, quando incorporadas ao nosso todo espiritual. Caso contrário, sua ação construtiva, humanitária, mística e vivificante será imperceptível.

Um ser humano não místico, pode muito bem incorporar algumas cores (vibrações) das energias virtuosas ao seu todo espiritual, assim como um místico pode não incorporá-las ao seu arco-íris mental. Mas com toda certeza, somente um místico poderá incorporar (absorver) as sete faixas vibratórias das energias virtuosas.  Cada cor tem um padrão vibratório, e este revela um dom vivenciado, tanto na carne quanto em espírito, pelo ser humano. Talvez seja difícil compreendê-las descrevendo-as dessa forma, mas vamos tentar ser mais específicos e claros nas ilustrações que se seguem:

Screenshot_3.jpg

screenshot_4

O todo espiritual é composto por todas estas figuras, que são ativadas pela energia branca cintilante, através da qual a energia divina em nosso mental. Essa energia sustenta o mental, que é onde está localizada e protegida a nossa herança genética divina. Trazemos esta herança desde nossa origem, sendo que ela nos acompanhará até nosso fim, quando retornaremos à energia divina pela ação das energias virtuosas do sagrado arco-íris.

Bem, em nosso mental estão gravados os códigos genéticos que permitem nossa adaptação aos vários estágios da evolução humana, assim como os códigos dos estágios anteriores e posteriores.

Eis uma ideia aproximada de como as energias virtuosas entram em nosso todo
espiritual:

screenshot_5

screenshot_6

A ilustração mostra como ocorre a entrada das energias virtuosas em nosso todo espiritual, através dos sete canais descritos, mais um oitavo que nos inunda com a corrente contínua de energia negativa, e que desperta a vontade de ação em nosso emocional, ativando nosso racional e nossa consciência. São estas energias que têm tomado a humanidade agradável aos olhos de Deus, pois foi assim que Ele nos quis: seres humanos virtuosos, mas ativos, e não contempladores. Pois bem! Quando ativamos o Amor, o canal coletor deste padrão vibratório na energia divina passa a nos energizar cada vez mais, até alcançarmos o poder total de captação desse padrão. Mas, se esta energia não se multiplicar em nossos semelhantes, através das nossas ações, logo nos tornaremos estéreis nas coisas do Amor, uma vez que a energia acumulada passará a atormentar o emocional. Todo acúmulo sem vazão, seja ela positiva ou negativa, transforma-se num tormento insuportável. Se ativarmos o canal do Conhecimento, este nos inundará com a energia que dá sustentação ao crescimento intelectual. Mas se o conhecimento adquirido não for utilizado, a energia virtuosa irá se dispersar, e um imenso vazio se formará em nosso intelecto após alguns anos. O mesmo ocorre com relação às outras cinco energias virtuosas. Basta que você seja, ou se direcione nos seus sentidos virtuosos, para ser inundado. Elas nada mais são, como se isto já não fosse o bastante, que padrões vibratórios divinos, colocados à disposição do ser humano. Citamos várias vezes os números de 273 a 280 da escala divina,mas apenas sete números tinham correspondência. Revelamos agora, que o número 273 é o número do padrão vibratório da energia cósmica (negativa), que nos chega através do cordão negativo, ou o oitavo canal de irrigação energética do nosso todo espiritual. E ele, como não poderia deixar de ser, é neutralizado apenas pelos canais de energias virtuosas, caso contrário o todo espiritual ficaria tão negativamente energizado, que toda ação seria destrutiva.
Por tudo isso, recomendamos a todos que direcionem seus sentidos carnais e espirituais para estas energias. Somente assim poderemos neutralizar o acúmulo de energias negativas (cósmica) que, por ser uma corrente contínua, nunca cessa sua energização sobre o nosso todo espiritual. Caso não possamos neutralizá-las com ações virtuosas, a insatisfação (ausência de prazer) tomará conta do nosso ser imortal. Portanto, desperte estas energias em seu ser imortal’ Se o Criador dotou de desejo (negativo), foi para que, com a nossa consciência os transformássemos em vontades que nos enriqueçam e nos embelezem aos Seus olhos.

Referência Bibliográfica

Saraceni, Rubens. O livro das energias. 1 Ed. São Paulo. New Transcedentalis. 1993

Anúncios

Pane no sistema, alguém está desconfigurando…

   Muito se comenta no meio espiritualista sobre as atualizações dos chákras, corpos, unificações e reversões. Como temos estudado muito sobre isso nos últimos meses, resolvemos fazer um post auxiliando aos demais e desmistificando um assunto preocupante que vem se proliferando em nosso meio.

    Nosso compromisso é alertar e abrir os olhos, despertando dentro de cada individuo o ser questionador que é e deve ser, devemos sim questionar, duvidar e crescer com as reflexões do que ouvimos, lemos e interpretamos.

   A história da humanidade sempre foi muito complexa, cheia de premissas, dogmas, mistérios e um sistema controlador que visa engessar a alma humana para uma escravização mental.

   Em analise a vários textos inseridos na internet e em livros, conseguimos capturar fragmentos de uma mentira que vem se camuflando com finalidades sórdidas.

     Vejamos alguns pontos sobre unificação dos chákras.

  Os textos sempre começam com informações cheias de novidade, atualizações e premissas que induzem os leitores a quererem fazer a unificação e sair da malha energética aprisionadora de baixo padrão vibratório. Mas passando alguns parágrafos começa uma série de informações sem nexo e contraditórias.

    Nos textos encontramos pontos relevantes que falam sobre juntar energeticamente as energias dos centros de luz em um ponto único, no ponto cardíaco. Unificando e simplificando as informações, correlações e energias mais superiores fazendo assim uma conversação mais rápida com os corpos. Logo após há trechos que informam que esse sistema novo deixará de oferecer resistência as energias e cita mais a frente que também haverá resistência a própria energia de amor e sabedoria divina, havendo uma desconexão com tua essência, uma vez que quem estuda sobre os chákras entende que a função dele é captar energias do meio, intercomunicar-sem e vitalizar os órgão e o corpo físico em si. Uma vez que estamos com padrão vibratório médio/elevado os chákras tem capacidade de filtrar energias e manter estar.

    Depois fala que após esta nova etapa o individuo terá capacidade de mobilizar energias em quantidades exatas de amor e energia sexual, amor e energia de poder. Trabalhando com estágios opostos, uma vez que já trabalhamos naturalmente com estas em forma mensurada em uma escala universal. Sabendo assim que a energia sexual se encontra na escala em 4,5 e amor está em vibrando em alta escala, dado a entender que os padrões tenderão a cair. A confirmação disto vem no trecho que diz que o ser por algum motivo vir a entrar em conflito com alguém, no meio do problema os dois começarão a sorrir, de repente, a tensão desaparecerá. Aqui parece que o individuo tende a ter ações descompensadas e perde o próprio controle mental se deixando manipular por forças externas. No final ele fala do individuo como um novo ser humano de um novo padrão vibratório ao qual se torna um ser ativo, e conclui com a frase: “até a raiva é uma energia Divina”. Pra quem estuda energias e sabe dos desmembramentos energéticos que pode se fazer a partir da energia cósmica e universal, sabe muito bem que viciações não pertence a energia Divina.

     Em outro estudo vimos sobre a reversão humana, no inicio é a mesma história, fala do sistema controlador, que sim sabemos que existe, porém usa distorções.O que nos chamou a atenção foi a forma com a qual fala dos indivíduos que não sabem, não fazem ou não aceitam a “sua verdade”.  Usa palavras, textos, quadrinhos, e memes ofensivos e se diz promover a libertação dos humanos para um vida feliz e perfeita. Importante refletir  sobre o assunto. Certo conhecimento sobre o sistema ele possui, porém com traços rebeldes  e agressivos justamente que tanto a própria reversão quanto a unificação pode vir a provocar no decorrer do tempo.

   A reversão humana consiste em trabalhar com a glândula timo e o grande potencial energético que ela produz, armazenando a energia no cérebro, porém sendo trabalhada e manipulada no todo apenas com o timo. Logo percebemos que se trata do mesmo processo da unificação porém com palavras diferenciadas.

  Alertamos sobre os decretos e mantras aleatórios que venham a encontrar principalmente online, que sem tradução, interpretação e correspondência correta pode induzi-lo e levar a erros que dificultarão a  sua galgada evolutiva como ser espiritual  que és.

ENERGIA COLORIDA

Do ponto de vista humano, esta é a energia mais interessante, pois revela o quanto é pequeno nosso alcance visual, e como somos limitados nos nossos sete graus da escala divina. Tudo o que não vemos, escapa ao nosso controle racional, ainda que percebamos que algo mais existe e que podemos observá-lo por meios especiais de ordem mecânica. Sim.

Ao lado das sete ondas de cor contidas na nossa luz branca, milhares de outras existem, e estão aí se irradiando, dia e noite, sobre nós, chegando de todos os micro pontos luminosos que, de distâncias imensuráveis, nos enviam suas energias luminosas. A luz é uma energia, mas as cores também são energias derivadas de amálgamas energéticos. Um raio de luz pode ser decomposto em várias ondas (cores), que têm funções específicas no amplo espectro luminoso e colorido do Universo. Chamamos de energia colorida às ondas curtas ou longas contidas no interior dos raios luminosos que nos chegam de todos os pontos do Universo. Existe um aparelho com a capacidade de detectar vinte e um tipos de ondas energéticas contidas num raio de luz solar, mas nós não as identificamos, senão como variedades dos sete principais. Logo, chegamos à conclusão de que somos o que é nosso amálgama energético. Não conseguimos denominá-las, senão como misturas de cores, mesmo que, em verdade, não o sejam, porque são ondas distintas e muito bem identificadas por aquele aparelho. Nele, as ondas coloridas abrangem toda a escala visível, com picos bem definidos quando centrado na direção do espaço infinito. Isto significa que os raios luminosos mais diversos e diferentes entre si estão sendo captados dos corpos celestes espalhados no vasto cosmos à nossa volta. Podemos concluir que as cores são energias, tendo algo de especial a ser observado. Foi partindo deste princípio que iniciamos nossas observações mais acuradas. Não demorou muito para identificarmos, nas cores, as formações atômicas das condensações energéticas com capacidade de centrar e refletir uma vibração especial para cada cor analisada. Vejam que, na natureza terrestre, muitas cores sintetizadas dão as características de várias plantas, como a cor de uma flor pode caracterizar uma espécie. Também seu cheiro agradável é perceptível ao nosso olfato, relacionando-a ao nosso emocional. Identificamos na cor característica de cada espécie, uma onda irradiada que alcança um certo círculo à sua volta, resistindo à ação desintegradora do ar, por algum tempo.
Também identificamos que a cadeia atômica formada numa planta, irradia um cheiro característico, que somente as espécies vivas possuem, uma vez que após a sua morte, um outro odor parecido, mas muito mais concentrado, é exalado. Este vai se esvaindo, até a perda total de vibração atômica, e a consequente neutralização energética, que é absorvida pelo ar, pela água, pelo fogo ou pela terra. Identificamos, também, outras funções específicas em relação às cores. Como toda cor significa que uma energia está vibrando, analisando as ondas energéticas coloridas, chegamos à mais agradável descoberta: as cores absorvem energias negativas, e expelem ondas positivas no meio sob sua influência direta. Como as cores possuem identificação mística com os símbolos, dons e virtudes originais desde a mais remota antiguidade, chegamos a outra espantosa descoberta: os vegetais têm a capacidade de absorver as energias negativas que circulam livremente em todas as direções, no nosso planeta e à nossa volta.
Cada vegetal possui uma cor que capta um tipo (padrão vibratório) de energia negativa que circula à sua volta. Após tê-la absorvido, transforma-a e a irradia, já com uma qualidade (onda) positiva e estável, que se integra, pouco a pouco, à energia universal que vibra de forma perene, aumentando a concentração desta energia no local sob sua irradiação. Identificamos cada cor com uma energia negativa absorvida, e outra positiva irradiada. Eis como as classificamos, depois de minuciosas observações de flores e plantas em relação ao homem e seu meio:
Branca – absorve todos os níveis vibratórios negativos, e irradia paz, amor, bondade e desprendimento;
Azul- absorve energias viciadas de ódio, e irradia amor, contemplação, e introspecção;
Amarela – absorve energias de inveja, e irradia proteção magnética;
Verde – absorve energias radiativas e enfermiças e irradia energias magnética e universal, e em menor quantidade, a energia celestial. Logo nós a identificamos com a saúde;
Lilás – absorve as energias na mesma faixa da onda ultravioleta, assim como as negativas originadas do ódio, inveja e ambição. Irradia amor, saúde e paz, além de estimular o altruísmo.
Vermelha – absorve todos os tipos de energias negativas e irradia uma onda do mesmo comprimento que a do elemento Terra. Logo, nós a identificamos como energia magnética, forte e positiva;
Alaranjado (dourado) – absorve todas as energias negativas e irradia ondas de energias positivas que se identificam com a fé, o amor, o conhecimento e o sexo. A inflexibilidade vibratória é sua maior característica: por mais irradiações que absorva, sua constância vibratória permanece inalterada;
Marrom – absorve energias de origem enfermiça tais como: neuroses, neurastemia, irradiações radiativas de desequilíbrios emocionais os mais variados possíveis. Irradia à sua volta circunspecção, introversão, racionalização e quietude. Nós a identificamos com a Lei e a Fé, duas virtudes que têm esses predicados vibratórios onde quer que existam.
Preta – absorve todos os níveis de ondas coloridas e irradia apenas uma onda vibratória muito poderosa, que identificamos com a energia cósmica, enquanto corrente contínua, pois absorve no vácuo, todos os elétrons negativos expelidos pelos acúmulos excessivos das condensações energéticas. Logo, quem usar o preto estará criando um cinturão de energia cósmica à sua volta, que o tornará propenso a se entregar às influências dessa poderosa energia, além de ser todo irradiado por suas energias derivadas, que dão ao seu receptor uma grande força interior no sentido de ação transformadora, que é uma característica cósmica das energias negativas.
A cor se relaciona, no macrocosmo, com a predominância de um elemento na formação de um amálgama energético. Para cada cor que nos chega do espaço infinito do Universo, um elemento pode ser identificado, e isto, dentro da escala de energias, significa que milhares de elementos devem existir, porque cada elemento tem sua vibração característica e cor específica, ainda que não possamos visualizá-lo. Chegamos a outro ponto que nos interessa: as cores influenciam todo o Universo, tanto no macro, quanto no micro. Se elas identificam elementos originais, devem ter correspondência, no micro, com as formações atômicas dos elementos químicos que aqui existem. Isto significa que, em função das irradiações que nos chegam de todos os pontos do Universo, de uma maneira por nós ainda desconhecida, as formações atômicas encontram correspondência com os elementos originais formadores da vida no Universo. E isso tanto é verdade que, se nos quatro elementos originais formadores do nosso planeta, milhões de seres elementais originais e uni-vibratórios existem, também nas formações cristalinas, vegetais e minerais existem seres em formação.
Screenshot_1Chegamos assim, a outra espantosa conclusão: nós não estamos sozinhos, seja no Universo, seja no planeta Terra. Muitas outras espécies, que ainda não atingiram o estágio humano, existem, sem que tenham consciência disto. Se seres habitam os minerais, os vegetais, o fogo, a água, o ar e a terra, e mesmo o nosso próprio meio, com todas as espécies de animais existentes, concluímos que o Universo está tanto no micro (planeta), quanto no macro (em si mesmo), pois as cores nos confirmam isso de forma cabal.
Se conhecermos a chave energética de ingresso no reino vivo que existe no meio aurífero, lá encontraremos um mundo fantástico de seres dourados, que têm a guiá-los um sentido sólido de ação, que relacionamos com o das pessoas de cor dourada (cor do corpo espiritual que envolve o corpo fluídico original). Chegamos então, a uma indagação mais perturbadora: serão estes seres auríferos, os mesmos que um dia tiveram a cor dourada como matiz dos seus envoltórios espirituais? Será que um ser aurífero é o “irmão mais novo” do ser humano que tem esta mesma cor como fundo do seu todo espiritual?
Screenshot_2Bem, a resposta “N”, não obtivemos pois somos espíritos em evolução, e estamos ainda na quinta esfera ascendente, sendo que os conhecimentos da sexta esfera nos são inacessíveis. Ou subimos mais para saber qual e a resposta, ou nunca a teremos. Isto é o que nos impele para a frente e para cima. Um ser que está na sexta esfera, nunca irá nos dizer o que sabe, porque sabe que este conhecimento nos é vedado.
É em função disso, que encontramos uma espécie de ser vivente quando ingressamos num reino cristalino que vibra em determinada cor, e outra espécie quando ingressamos em outro reino com outra cor a vibrar. Embora parecidas na forma, as espécies são diferentes nas vibrações, donde concluímos que:

1- Se existem reinos com seres viventes em todas as condensações energéticas, e isso é comprovado por espíritos com capacidade de neles penetrar, temos nas cores, uma amostra de como são suas ondas vibratórias, pois para cada elemento e cor um remo existe;

2- Temos aqui uma amostra de como deve ser a vida Universo: e isso é fascinante! Esses seres não desconhecem nossa existência, assim como nós não os desconhecemos, e ainda assim, a harmonia existe. Na verdade são reinos paralelos, ou dimensões coloridas, que existem ao lado da cor branca da luz solar, e da cor azul do amálgama energético planetário.
Para a física, as cores podem ser apenas uma reflexão de ondas coloridas, mas para nós, cada uma dessas ondas revela que um reino elemental ali existe e que ele está habitado por milhões de seres diferentes de nos na aparência, mas que vibram uma ou várias das qualidades derivadas dos sete símbolos, dons e virtudes originais, que trazemos gravados em nosso mental positivo (superior) como herança genética divina. Daí, ou nós já fomos como eles ou, quem sabe, um dia eles serão como nós. Mas, até que alcancemos um grau de evolução e ascensão que nos permita obter essa resposta, vamos viver num meio o mais colorido possível. As cores são energias que podem absorver outras energias que estão à nossa volta, ávidas por nos penetrar, como as energias que, por ignorância nossa, vibram continuamente em nossos mentais inferiores (negativo).

Energia Universal

O corpo de qualquer ser vivo irradia calor e energia, sendo essa a Energia Universal ou Energia Vital.

Esta energia tem tantas designações quanto as culturas existentes. Por exemplo, os Russos chamam-a de Energia Bioplasmática, os Hunas da Polinésia de Mana, os Índios Iroqueses Americanos chamam de Orenda, na Índia é conhecida por Prana, nos Países Islâmicos por Baraka, na China por Chi e no Japão por Ki.

O equilíbrio da nossa energia Ki é essencial para que o organismo tenha um funcionamento perfeito, pois está constantemente a ser desequilibrado com angústias, depressões, pensamentos e atitudes negativas, alimentação incorreta, preocupações excessivas, falta de autoconfiança e de amor-próprio, entre muitos outros fatores.

A energia universal é, como dissemos quando abordamos a energia cósmica, “positiva”, no sentido de que, ambas, são os dois polos da energia divina. A energia divina é a origem de tudo, e se divide em um polo negativo (ou circulante), representado pela energia cósmica, e outro positivo (ou perene), representado pela energia universal. A perenidade e a constância energética, nada mais são do que o imenso e infinito oceano por onde navegam bilhões de galáxias e planetas.

A energia universal tem a estabilidade, ou ação estabilizadora, como função primeira e única. Em meio a essa imensidão energética, deslizam suavemente muitos corpos sólidos (energias condensadas), ou corpos fluídicos (energias puras), presos às suas órbitas eternas e imutáveis.

O próprio movimento dos corpos celestes é uma demonstração dessa força energética magnífica. Ela não permite a instabilização dos corpos nela mergulhados, assim como a aceleração das rotações e translações daqueles que navegam em seu meio.

O planeta Terra gira sobre si mesmo, em função de sua energia própria, influenciada pelas energias solares, planetárias e estelares, à sua volta. Esse amálgama de forças atrativas e repulsoras é que impõe a movimentação constante do nosso planeta sobre si mesmo, em função do Sol e de suas movimentações, causadas pelos choques que sofre. Um planeta, é como um pedaço de determinada matéria lançada no oceano: a matéria afunda até um determinado ponto, onde seu peso e volume conseguem se sobrepor à densidade e à pressão daquela profundidade.

Quando a matéria alcança o ponto de equilíbrio entre sua massa, peso e densidade, começa a receber, de baixo para cima, uma força igual à sua, que a impede de afundar mais. A partir daí, ela é arrastada lentamente até um local onde a sua força de pressão seja superior à da água que tem abaixo de si, sendo depositada numa encosta, ou no solo marinho. Chama-se densidade relativa (D), à relação entre a massa (M) e o volume (V) de uma substância qualquer (D= MIV). Se um planeta está a maior distância, é porque o seu magnetismo (concentração de forças energéticas, peso relativo e força gravitacional), não o deixa aproximar-se mais do centro do campo em que navega suavemente.

A energia universal existe e se opõe à energia cósmica, pois é positiva e perene. Ela não é originária de coisa alguma, ou da composição de outros elementos. Em seu interior, tudo tem livre movimentação, tal como um pouco de óleo lançado na água. Como a água é mais fina (sutil), não se mistura com as moléculas do óleo, que são mais densas (grosseiras), flutuando sobre a água.

Os corpos celestes (planetas, sistemas este lares e constelações) são energias grosseiras e deslizam suavemente sobre, ou no meio, dessa energia universal. Embora ela exista, não pode ser medida por qualquer aparelho mecânico que exista no meio humano. Prova de sua existência, é que é através dela que um espírito se locomove de um extremo a outro do planeta, em frações de segundo. Ela é a energia do mental de Deus. Ao acionarmos o nosso poder mental numa direção, podemos ir até onde quisermos, sem sofrermos qualquer atrito energético durante o deslocamento, que se faz Energia Universal a uma velocidade vertiginosa e impossível de ser observada pelos olhos carnais, ou mesmo através da Terceira Visão.

É no meio da energia universal que tudo se movimenta, lenta ou rapidamente, de acordo com a força que o impulsiona. Essa mesma energia, por ser do mental divino, imanta o nosso mental, e alimenta o todo espiritual e corpóreo, com seu magnetismo, irradiação e grau vibratório por nós alcançado no atual estágio evolutivo. Temos, então, algo que nos possibilita ao menos senti-la, se nos pusermos numa vibração mental totalmente equilibrada, e livre de energias viciadas. Um meio de senti-la muito sutilmente, e perceber o quanto ela é estabilizadora, perene e confortante, nos desprendermos das vibrações viciadas que imantam o nosso emocional e o nosso racional, concentrando-nos em nosso mental, direcionando-o ao Todo Divino, que é Deus.

A energia universal pode ser sentida, pois é viva e se derrama do mental divino por todo o Universo, ela é hipersensível às nossas vibrações energéticas mentais, e “sente” quando estamos tentando nos aproximar, ou nos colocar em condições de senti-la e absorver-lhe quantidades consideráveis em nosso todo espiritual. Se os sacerdotes, médicos, psiquiatras, etc., soubessem um pouco mais sobre os mistérios de Deus, seria muito mais fácil curar um enfermo, doente mental, ou mesmo um pecador: bastaria ensinar de modo claro e científico a maneira como podemos sentir Deus, através de um exercício de purificação do nosso emocional.

O que de fato é complexo até para nós. Porém, o que vemos são sacerdotes inundados por energias viciadas em coisas misteriosas, e não purificadas nos mistérios divinos (caindo em fascinação), médicos viciados por um insano materialismo, que atende às ambições viciadas de seus desejos de riqueza material, psiquiatras que são mais ateus que sábios, e menos sábios que suas ignorâncias ateias.

Sendo assim, não olharam os desequilíbrios emocionais como viciação por princípios negativos, mas apenas como frustrações provocadas pela insatisfação dos desejos da carne. Desse modo, fica difícil ensinar como construir um aparelho mecânico que possa grafar, numa escala, a variação energética que podemos alcançar ao direcionarmos nosso mental a Deus.

Algumas pessoas têm pesquisado tais vibrações com aparelhos mecânicos, mas ainda não construíram algo que capte essa energia, que é pura, perene e viva. O mais que conseguiram, foi captar vibrações emocionais e racionais, e só! A energia universal somente será captada quando se conseguir medir as vibrações mentais. No ser humano, tanto na carne como em espírito, apenas o mental pode recebê-la, assim mesmo apenas o mental superior.

Ela emana, para o todo espiritual e corporal, uma energia vibratória e magnética sutilíssima, impossível de ser captada pelos instrumentos disponíveis atualmente. Para que se tenha uma ideia de como captá-la, seria necessário purificar a Água, o Ar, a Terra e o Fogo das suas viciações elementares, e, com um sensor muito apurado, medir a vibração por eles emitida. Os animais chamados “irracionais” possuem um sentido que é esse sensor a que nos referimos. Ele se traduz na capacidade de pressentir a aproximação de outro ser vivo, ainda que não esteja no campo de sua visão. As serpentes (kundalini), quando totalmente despertas, possuem esse sensor vivo, que capta as vibrações mais sutis que possamos imaginar.

Então, temos na energia universal o polo magnético positivo do Divino Criador. Ela está espalhada pelo Universo de forma perene, e em constante equilíbrio. Se direcionarmos o nosso mental a Deus, ela nos inundará pelo fio que nos liga ao mental divino (cordão de ouro e por conseguinte o de prata), que sai do topo de nossa cabeça (onde se localiza o nosso mental superior), indo até o local de nossa origem, que não sabemos onde é, e nem quando começou, pois isto só a Deus pertence.

Observem também como é o aumento de captação dessa energia: ao nos colocarmos em estado de vibração mental, nosso racional deixa de pulsar, o emocional é isolado e a consciência deixa de receber energias viciadas. O todo espiritual vai se tornando receptivo à sua entrada por todos os micro pontos de captação de energias sutis. Logo, o nosso estado vibratório é de altíssima elevação, e todo o nosso corpo espiritual se beneficia desse novo estado vibratório, o que se reflete, com mais intensidade, no campo emocional. Pois é isto! A energia universal é o polo positivo, ou o lado calmo, do Divino Criador.

Se conseguirmos nos colocar em sintonia constante, poderemos distribui-la aos nossos semelhantes, sob a forma de um dom ancestral, místico e original, que trazemos em nosso mental superior, o receptáculo natural dessa energia, que está à disposição de todos que queiram recebê-la, não só na quantidade que o cordão mental luminoso permite, mas também por todos os micro pontos de força do todo espiritual.

A energia negativa é a vibração da energia cósmica no ser humano. Aqui dá para termos uma noção da sutileza da energia universal. Ela pode nos colocar numa vibração quase divina, se o nosso todo espiritual se tornar apto a captá-la em abundância. Mas dá para vermos qual a intensidade vibratória a que chega um ser totalmente inundado de energia negativa. Talvez, uma descrição de tal estado vibratório, seja a visão de vários cães numa briga de vida ou morte, quando destilam todos os seus ódios através de suas presas afiadas, cravadas nas carnes dos inimigos sanguinários.

Por uma questão de ilustração da energia universal, citamos os mestres hindus, que fazem todo o seu ser parar de vibrar, e colocam-se em estado vibratório bem próximo ao da energia universal. Eles deslocam todas as funções físicas para o mental, e até o coração deixa de ser captado nas suas pulsações, pois a circulação se torna tão esparsa, que este órgão movimenta-se suave e lentamente, imperceptível aos sentidos humanos.

Caso alcançassem o mesmo nível vibratório da energia universal, poderiam ser considerados como mortos, pois o coração cessaria as suas contrações musculares por completo. Sim, isto aconteceria porque a energia universal, contrária à energia cósmica, que é uma corrente contínua, é perene e estável. Ela não comporta alterações vibratórias, e muito menos a absorção de outras energias. Contudo, é ela que mantém o nosso corpo carnal vivo, impedindo que a carne venha a se deteriorar, enquanto o cordão mental estiver ligado ao cérebro humano. Portanto, aconselhamos a todos que se coloquem em sintonia, não apenas mental, mas também física, com esta energia, e vivam por completo em Deus Pai, o nosso Divino Criador.

Transtorno Alimentar

Você sabe a diferença de Fome Emocional e Fome Física? Será que a fome emocional está atrapalhando a sua dieta? Vamos conhecer a diferença e os perigos!!

Neste dia 18/03/16 o site da Caras Mobile divulgou que Thaila Ayala sofre de transtorno alimentar, abaixo matéria na íntegra e após o adendo espiritual sobre o assunto…

A atriz Thaila Ayala revelou recentemente sofrer de compulsão alimentar, um transtorno de comportamento relacionado ao consumo excessivo de alimentos ricos em calorias, por exemplo, açúcar e gordura.

O psiquiatra Rodrigo Pessanha explica que esse transtorno está provavelmente relacionado ao sistema de recompensa do cérebro. “Essas pessoas precisam de estímulos mais intensos, mais frequentes e duradouros para atingir o que a gente tem como saciedade em uma refeição normal. O que chamamos de compulsão alimentar são pessoas que frequentemente se engajam naquilo que chamamos de ‘binge eating’, uma situação em que a pessoa ingere até 4 mil calorias em uma refeição”.

O profissional ainda explica que as pessoas apresentam sintomas muito parecidos com quem sofre de abstinência de drogas ou substâncias psicrotróficas.

“É muito  comum que após esses episódios de exageros desmensurado de consumo de calorias, o indivíduo venha a apresentar sentimentos de culpa e de autodepreciação. É importante qualificarmos aqui a compulsão alimentar como sendo algo diferente de outros transtornos alimentares, como a anorexia nervosa ou a bulimia nervosa. Nesses casos, o paciente costuma lançar mão não somente do consumo excessivo de alimentos calóricos, no caso da bulimia, mas também de exercícios físicos de maneira inconsequente e desproporcional, com uso de laxantes e diuréticos, vômitos, entre outros”.

Se não tratada, esse tipo de compulsão pode causar aumento do colesterol, diabetes, doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, alterações do sono, como apnéia do sono, e, eventualmente, doenças psiquiátricas como a depressão e alguns transtornos de ansiedade.

Rodrigo alerta que não existe uma medicação apropriada específica, mas é indicado usar antidepressivos ou medicamentos anti-obesidade, em casos extremos. “A terapia cognitiva comportamental, especialmente desenhada pro controle, pra identificação dos antecedentes desses episódios de exagero no consumo de alimentos super calóricos também é muito interessante.Dessa forma, existem aqueles profissionais que se utilizam do esquema de 12 passos que é aplicado em grupos de ajuda mútua como os Alcoólicos Anônimos e os Narcóticos Anônimos. É importante deixar claro que esses indivíduos apresentam uma alteração neuro-psiquiátrica que precisa ser entendida. Não é uma questão de fraqueza moral ou de falta de compromisso com uma disciplina alimentar adequada”, conclui.

http://m.caras.uol.com.br/mobilesite/bem-estar/entenda-o-que-e-compulsao-alimentar-vivida-por-thaila-ayala

Falamos sobre este tema em 2015:

Visão espiritualista: este distúrbio tem inicio assim como na anorexia e bulimia no mesmo período de idade: 4 a 14 anos, aqui  o filtro de saciedade cerebral é ignorado pelo organismo e devido as investidas mentais do obsessor a pessoa passa a comer além da conta, trazendo riscos eminentes para saúde como hipertensão, falta de ar, produção demasiada de insulina, riscos de infarte e até AVC.

E quando atinge adultos?

É uma necessidade fisiológica comandada pelo cérebro, mas o que está por traz disso, no sentido espiritual? O que motiva essa dependência de alimentos gordurosos e calóricos, que satisfazem o cérebro através do paladar e depois deprecia-se com culpa, sintomas depressivos e até isolamento social?

O sistema de recompensa é um mecanismo que o cérebro recebe quando detecta sensações de prazer, sejam elas qual forem: “Sexo, bebidas, drogas, comida, poder, imponência, reconhecimento alheio, superação e vitória”. É uma das partes do cérebro mais estudadas pela ciência atualmente. Seus estudos têm como finalidade a batalha contra os vícios e dependências químicas que são na prática, ligadas ao prazer. O estudo também foca no combate a doenças como câncer, obesidade e depressão, ambas causadas pelo prazer explícito e a busca incontrolável por este prazer, na gula, no tabagismo e na queda de auto-estima.

O prazer explícito sentido pelo cérebro dura poucos segundos e isso faz com que a pessoa sempre busque novamente esse prazer, através de alimentos gordurosos, drogas, sexo e bebidas alcoólicas. Todas as drogas que conhecemos hoje estimulam o sistema de recompensa e estão na lista também os hambúrgueres, salgados, doces e pizzas.

Aqui foram explicações cientificas e físicas de como ocorre, e espiritualmente?

Espiritualmente há um assedio moral e intelectual onde o obsessor a longo prazo ganha espaço nas vontades mentais e corporais do individuo, transformando suas vontades e necessidades nas da vítima, assim cedendo, o assediado passa a ser manipulado constante para dar vasão as vontades em conjunto. Tudo começa pelo passo da vontade própria, assim com pequenas aberturas e incentivos intuitivos o espírito sofredor (por fome, vícios, dores, frio, etc.) se conecta mentalmente, como uma espécie de fio energético que liga os dois mentais, por este fio conduzirá todos os incentivos e vontades, misturando-se aos desejos do individuo encarnado, que a níveis variados de ansiedade acaba por ceder a vontade de comer e beber.

No ato do consumo, há conexões umbilicais e na laringe, locais onde o espírito rouba as essências energéticas, os fluídos vitais do alimento. Transferindo simultaneamente sensações de prazer ao encarnado, bem como parte de sua energia fluídica de baixa vibração. Esta, responsável pelos sentimentos após a desconexão umbilical e laríngea, que gerará a auto depreciação, mal humor, culpa, etc. O individuo passa a vibrar com a energia deixada pelo algoz.

Há sempre má intenção na atuação do obsessor?

Nem sempre, há muitos emparelhamentos mentais que ocorrem por sintonia vibracional, e principalmente por vontade do encarnado, que é responsável pelos 90% de vontade no consumo, após o emparelhamento contínuo essa porcentagem irá cair podendo zerar por vontade da vítima, porém com a baixa porcentagem o índice de comando corporal terá crescimento tamanho que de uma obsessão simples, se torna complexa quando não encorporadora e até possessiva.

Fato que a vítima é sempre o responsável pela abertura, processo começa sempre com a auto obsessão e depois ganha “N” proporções.

Mas não dispensa as más intenções, cada caso é muito singular e deve ser tratado unicamente, há espíritos que motivados por vingança do passado, voltam e interagem procurando a deformação corporal de sua vítima bem como a desmoralização social, a negligencia com seu corpo, mental e emocional, muitas vezes no intuito de isolamento social para maior aproximação mental e corporal. Há inúmeros motivos que aproximam os seres, mas importante destacar também que muitas aproximações se devem para resgates cármicos, e após a expurgação de energias de resgate, o encarnado busca auxilio e toma consciência para desligamento, podendo ele transformar em dharma. Dependendo de sua capacidade de compreensão sobre o assunto, perdão, respeito e amor direcionado a quem lhe atingiu. Pois assim sendo, mesmo que por um dia que fosse o assedio foi permitido pelo altíssimo para resgates passados. É um assunto complexo para mente humana, porém existente e ativo a todos.

O uso do medicamento antidepressivo e anti-obesidade é correto?

Uma vez que este remédio tem efeito no controle da compulsão, é válido fisicamente, espiritualmente ele atuará no bloqueio provisório dos canais de emparelhamento entre espírito e encarnado. Até chegar o ponto onde o indivíduo recobre sua consciência e controle mental, emocional e corporal. A mesma resposta se dá aos pacientes que consomem antidepressivos para controle de demais moléstias carnais.

O que não é correto é a de pendencia do remédio, a medicação controlada deve seguir junto a um especialista carnal (médico especifico) que cuidará e auxiliará o dependente alimentar nas dosagens corretas, bem como elevação da auto estima e controle físico e psicológico.

Junto a tudo isso, o tratamento espiritual deve ser integrado, pois dependendo do grau de obsessão, o auxilio espiritual completará os 50% do tratamento, ficando a outra metade dividida entre 25% medicina tradicional e 25% conscientização e vontade de mudar do paciente.

Por que no cérebro?

É na massa encefálica que ficam as ligações espírito-alma, pelo mental que ocorre a magnetização dos fluídos vitais e desestruturação do mesmo, mexendo assim com emocional, isto acontece no sistema de recompensa bem como a  interação na glândula pineal.

Como saber se sofro deste mal?

A medicina nutricional informa que o ideal é o consumo de 3 em 3 horas, com alimentação regrada e saudável.

Aqueles que sente fome constante, não saciam as vontades por comidas cheias de gordura e açúcar devem ficar atentos aos seus próprios pensamentos, onde deverá se perguntar se realmente há a necessidade do consumo imediato e quanto tempo fez a sua ultima alimentação. Com pequenas auto perguntas será capaz de se julgar em que nível encontra-se o auto controle e saber diferenciar as vontades suas e externas. Se já chegou ao ponto de não distinguir as diferenciações, família e amigos devem alertar e levar o individuo para consulta física e também a um centro espiritualizado.

Vigiar e orar é sempre o primeiro passo, a vontade surgiu, busque uma atividade onde haja concentração desfocando do alimento, ouça músicas, faça um passeio (não a padaria!!), vá a praia, socialize-se, busque meios de interação social que desfoquem o problema da ansiedade no consumo de alimentos não saudáveis.

Ultima dica, direcione a oração para seus inimigos desencarnados e afins para que também recebam luz e entendimento do mal em comum.

Qual a diferença entre consumo excessivo de alimento e bebida, há diferença ou o processo é o mesmo?

O mecanismo de funcionamento é o mesmo, o que diferencia um do outro são os tipos de obsessores e seus vícios, no consumo de álcool o índice de emparelhamento a espíritos viciados é imenso, fazendo uma comparação superficial, é como um espírito atuando para o consumo alimentar e de 05 a “X” espíritos na influencia do consumo do álcool e também de diversos entorpecentes.

Aula interativa com Pena Roxa, perguntas de Géssyca Lozovei (ministra Dinorah) em 18/03/2015.

Leia mais: https://cendee.wordpress.com/2015/01/30/doencas-relacionadas-a-obsessao-parte-1/

Fonte auxiliar:

http://www.bemestarourofino.com.br/products/conhe%C3%A7a-o-sistema-de-recompensa-do-cerebro!/

Energia e Fluído

Este material que apresentaremos daqui em diante, junto faz parte do material de apoio e acompanhamento a literaturas que serão debatidas em grupo no estudo físico do CENDEE, compilamos alguns trechos de livro, bem como pesquisas em sites. Trazendo um material a você leitor um estudo minucioso que tem como missão trazer esclarecimentos e quebrar preconceitos envoltos a mediunidade, bem como o despertar dela.

No primeiro Capitulo esmiuçaremos sobre Energias e todos os meios conhecidos e debatidos nos livros: O Livro das Energias de Rubens Saraceni, Aglon e Os Espíritos do Mar – do Espírito Júlio Verne, psicografado por Rafael Ranieri; Energias – autoral de Robson Pinheiro. Bem como pincelado na Gêneses de Allan Kardec e A Evolução em Dois Mundos – Pelo espírito de André Luiz, psicografado por Chico Xavier.

*Todos os sites e fontes de pesquisa serão declarados um a um ao final de nosso material no ultimo capítulo.

Sendo assim, nosso intuito é o de juntar em um local só tudo que se pode observar e sentir em torno de mediunidade e tudo que a circunda;

Bem vejamos, para compreender como a mediunidade começa primeiro precisamos conhecer tudo antecessor a ela, sim! antes, começaremos falando sobre energias, desvendado junto ao Saraceni e ao Pinheiro todos os tipos e onde elas atuam…

Capítulo I – Energias

A palavra energia deriva do nome grego enérges, que significa atuar.  No livro Energia[1] Robson nos dá uma ideia profunda sobre energia, o livro autoral passa ser nossa base neste estudo que se inicia a partir de agora.

Assim sendo, a energia, em qualquer de suas manifestações, refere-se a algo real, efetivo, embora nem sempre perceptível, mas que atua de forma concreta no universo, produzindo efeitos variados.

Einstein (1879 – 1955) nos deduz energia: “A matéria é energia em estado de condensação, a energia é matéria em estado radiante”

[1] Energia, Novas Dimensões da Bioenergética Humana – Robson Pinheiro, orientado pelos Espíritos Joseph Gleber, André Luiz e Jose Grosso

Qual a diferença de energia e fluído?

Energia x Fluido

A palavra energia aplicada em vários segmentos, pode apresentar diversos significados mas, aqueles que a utilizam, nem sempre tem a preocupação de utilizá-la corretamente ou conhecer seu verdadeiro significado.

Ela pode ser interpretada como vigor, como na frase: ‘as crianças possuem muita energia!’. Também pode expressar autoridade: ‘o comandante dirige seus soldados com energia’.

No campo das Ciências, particularmente na Física, define-se Energia como sendo a “capacidade de realizar trabalho”.

Já a palavra “fluido” é raramente utilizada e, quando a utilizam, é pronunciada como ‘fluído’, que na verdade é o particípio passado do verbo fluir. Define-se fluido como sendo todo elemento ou substância que não tem forma própria. São considerados como fluidos os líquidos e os gases. Há outros mais sutis, como o fluido elétrico e o fluido magnético.

Assim como temos fluidos materiais, que fazem parte do nosso dia-a-dia, também há fluidos de natureza espiritual.

Os fluidos materiais são manipulados pelo próprio ser humano de inúmeras formas, conforme as necessidades para manutenção da vida física: na elaboração dos alimentos, na composição de medicamentos, na utilização de aparelhos eletroeletrônicos, entre outros.

Já os fluidos de natureza espiritual são manipulados pelos Espíritos, e essa utilização não depende do seu nível de evolução; tanto os Espíritos superiores quanto os inferiores, manipulam fluidos espirituais. Nós não podemos ver esses fluidos, mas podemos sentir seus efeitos pela agradável ou desagradável sensação que nos proporcionam.

A doutrina chama, pois, de fluido, a matéria que para nós encarnados é imponderável com o intuito de diferenciar a nossa matéria física ponderável da matéria extrafísica, imponderável.

Infelizmente no meio espírita, o uso da palavra ‘energia’ também se espalhou. Encontramos, com frequência, expressões como: energias positivas e negativas, doação de energias, centros energéticos, energias descompensadas, etc. É muito comum, por exemplo, dizer que o passe é uma “transfusão de energias”. O correto é dizer que o passe é uma transfusão de fluidos de natureza superior, que irão auxiliar no equilíbrio espiritual, mental e também físico de quem o recebe.

O que seria de Kardec e da Doutrina caso tivesse optado por não se preocupar com o aspecto científico contido nos ensinamentos que recebia da Espiritualidade?

Não deve passar desapercebido, para quem estuda com profundidade, que ele não empregou a palavra ‘energia’ em nenhum de seus livros, nem na Revista Espírita. Em sua quinta e última obra “A Gênese”, ele dedicou um capítulo para tratar especialmente dos “Fluidos” (Capítulo 14).

O Espírito André Luiz, pela psicografia de Francisco Cândido Xavier, também tratou dos fluidos na obra “Evolução em dois mundos”. Já no capítulo 1 da Primeira Parte, ele trata do ‘Fluido Cósmico’ e, no Capítulo 13, ele trata da ‘Alma e Fluidos’.

Esses temas são trabalhosos e, devido à sua dificuldade, oferecem uma resistência muito grande para o seu estudo nas casas espíritas. Sem dúvida, a questão é complexa e profunda, mas isso não impede que se aprenda, com Kardec, a utilizar os conceitos espíritas de forma correta.

Muitos poderão contestar dizendo que Jesus também não disse nada a respeito desse assunto. Disse sim, e várias vezes! Mas, adequando seus ensinamentos à capacidade de compreensão das pessoas daqueles tempos, Ele utilizou essa verdade sublime através de um conceito que Ele destacou com ênfase: a fé. Dizia Ele aos que recebiam a benção da cura de seus males: ‘a tua fé te salvou’; ou aos que se sentiam sobrecarregados pelo sofrimento: ‘se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda…’!

A fé, capacidade de confiança no poder divino, semente que todos podem desenvolver, foi enfatizada por Jesus em muitos de seus ensinamentos, mostrando o grande poder de atração que ela possui, em benefício de quem a soubesse aplicar com sabedoria. Kardec, em O Evangelho segundo o Espiritismo (Cap. 19, item 5) também citou a fé, como poderoso fluido magnético, isto é, com grande poder de atração, dizendo que ‘graças a ela, o homem age sobre o fluido, agente universal, modifica-lhe as qualidades e lhe dá impulso por assim dizer irresistível.’

Cap. XIX – 5. O poder da fé se demonstra, de modo direto e especial, na ação magnética; por seu intermédio, o homem atua sobre o fluido, agente universal, modifica lhe as qualidades e lhe dá uma impulsão por assim dizer irresistível. Daí decorre que aquele que a um grande poder fluídico normal junta ardente fé, pode, só pela força da sua vontade dirigida para o bem, operar esses singulares fenômenos de cura e outros, tidos antigamente por prodígios, mas que não passam de efeito de uma lei natural. Tal o motivo por que Jesus disse a seus apóstolos: se não o curastes, foi porque não tínheis fé.

Recomenda-se portanto, muita cautela no emprego desses dois conceitos: energia e fluido. Importante analisar as obras espíritas, sobretudo as da atualidade, para verificar até que ponto os autores estão comprometidos com os aspectos científicos da Doutrina, e buscando a evolução dos estudos.

Energia e fluido são estados distintos da matéria sutil e quintessenciada. O fluido é o estado mais elementar, mais simples; a energia já é uma diferenciação do fluido e que pode manifestar-se sob vários aspectos: elétrica, gravitacional, magnética, eletromagnética etc. Essa mesma energia vai mostrar-se como mecânica, potencial, cinética etc.

Tudo o que existe no Universo, com exceção dos princípios inteligentes, é energia.  Essa energia se manifesta em diferentes padrões vibratórios, e é essa diferença que caracteriza os diferentes estados da matéria. Quanto menor a frequência de vibração de suas partículas constituintes, mais adensada se torna a matéria, e quanto maior a frequência de vibração, mais etérea ou quintessenciada ela se torna.

Tomando como referência a nossa dimensão física, temos, por exemplo, a matéria no estado sólido, cujos elétrons têm uma frequência de vibração mais lenta. Já no estado líquido, os elétrons vibram a velocidades maiores. No estado gasoso, nossa matéria física encontra-se em estado mais etéreo que nos outros estados, pois suas partículas têm uma frequência de vibração maior. Poderíamos dizer que os gases são substâncias fluídicas em relação aos líquidos e sólidos.

Na dimensão espiritual ocorre algo semelhante. Podemos tomar como exemplo o perispírito ou corpo espiritual. Quanto menos evoluído moralmente for o espírito, mais denso ele se apresenta. Nesse caso, as suas partículas elementares vibrarão numa baixa frequência em relação às partículas elementares do corpo espiritual de um espírito moralmente superior, cuja tecitura será muito mais fluídica, eterizada ou quintessenciada em relação à de um espírito moralmente inferior.

Resumindo, o termo fluido diz respeito ao grau de eterização da matéria e a matéria nada mais é do que a energia condensada. A luz é energia. Todavia, ao se diminuir a velocidade de vibração de um fóton, este transforma-se em um elétron, ou seja, a nossa matéria física nada mais é do que luz condensada ou coagulada. E vice-versa, ou seja, ao se acelerar um elétron através de um acelerador de partículas a velocidades próximas da luz, este se transforma em um fóton. Dessa forma, a matéria física também poderia ser convertida em luz.

No próximo post continuaremos falando sobre tributos de energia..

https://cendee.wordpress.com/2016/02/26/atributos-de-energia/

SÉRIE: COMO VAI SUA SAÚDE MENTAL? ATAQUE DE PÂNICO

“O Pânico é Ansiedade máxima em situações inexplicáveis.”

Um estado de Pânico é um fenômeno físico resultante do processo de Ansiedade. Falamos em Pânico quando se sente um nível extremo de Ansiedade.

A ansiedade é um fenômeno físico de reação à emoção medo, provocado pela libertação de várias hormônios no sangue pelas glândulas supra-renais, nomeadamente adrenalina e cortisol.

Em momentos de ansiedade, é libertada adrenalina/cortisol em quantidades abundantes, preparando o organismo para grandes esforços físicos, através de estímulos ao coração, elevação da tensão arterial e do relaxamento de certos músculos e da contração de outros.

As causas são muitas tanto físicas quanto espirituais, fisicamente quem sofre o primeiro evento traumático, associa inconscientemente os sintomas às circunstâncias onde estava, começando a fugir dessas circunstâncias para evitar sentir os sintomas. Espiritualmente muitas “coincidências” são provocadas a ocorrer para que chegue ao colapso físico. Sempre o ambiente e os sintomas sentidos na primeira vez ficam registrados no cérebro e qualquer ambiente semelhante os sintomas voltam a surgir.

A maior parte das vezes, as pessoas que sofrem desta perturbação não são corretamente diagnosticadas devido à dificuldade que, muitas vezes, existe em detetar este distúrbio, o que leva frequentemente a pensar que são apenas episódios de ansiedade simples ou meras fobias.

Sintomas frequentes:

  • Dificuldade respiratória ou sensação de sufocamento (espíritos perturbados realmente sufocam a vítima, se tornando algoz das mesmas)
  • Vertigens, instabilidade ou desmaio (energia da aura com pouca defesa, fazendo com que irradiações estejam intensas chegando a demais corpos, provocando os sintomas citados)
  • Palpitações ou ritmo cardíaco acelerado (sensibilidade mediúnica descontrolada, mexe diretamente com emoções e a bomba sanguínea)
  • Tremuras ligeiras ou acentuadas (descontrole nervoso, espíritos tão próximos ao corpo que procuram manipular o corpo físico de alguma forma, ainda sem sucesso)
  • Sudação
  • Falta de ar
  • Náuseas, dor de estômago ou diarreia (quando algoz toca centros energéticos desestruturando a energia local)
  • Sensação de irrealidade, estranheza ou separação do meio envolvente (canal mediúnico aberto)
  • Sensações de adormecimento ou de formigueiros
  • Ruborização ou calafrios (sensibilidade mediúnica)
  • Dor ou incomodidade no peito  (quando algoz toca centros energéticos desestruturando a energia local)
  • Medo de morrer
  • Medo de “tornar-se louco” ou de perder o controle (princípios de eloquência são projetados e o medo da vitima é tão intenso que pode vir a desencadear esquizofrenia clássico)

Entre dez e 15% das pessoas experimentam um ataque pelo menos uma vez na vida!

As causas como falamos são variadas, porém com históricos de pacientes conseguiu-se listar alguns deles:

  • Hiperventilação (desequilíbrio entre a entrada do oxigênio e a saída do gás carbônico) por uma maneira de respirar errada;
  • Uma etapa de transição na vida da pessoa pode ser precedida por um ataque de pânico, principalmente o ataque inicial;
  • Histórico de um trauma emocional, mesmo se ele não está relacionado, pode estar por trás de alguns tipos de ataques;
  • Alguns tipos de doenças e ingestão de substâncias, como a cafeína e algumas drogas ingeridas sem controle médico podem provocar o pânico.

Os Ataques de Pânico devem ser tratados na sua origem, ajudando as pessoas que sofrem a afastarem-se das emoções de medo traumático resultante do primeiro evento de pânico.

Os sintomas de um ataque de pânico podem ser confundidos com os de um ataque cardíaco: sofredores frequentemente chegam aos pronto-socorros no seu primeiro ataque temendo estar tendo um ataque do coração. Sentem-se envergonhados sobre suas condições que podem ser reforçadas por atitudes preconceituosas e mal informadas.

Quando o pânico se torna freqüente, pode destruir a vida cotidiana, o trabalho, as relações, a auto-estima de uma pessoa. A síndrome do pânico raramente é resolvida sem tratamento. A conseqüência maior de uma desordem do pânico sem tratamento é o aparecimento de uma fobia crônica que complica ainda mais a vida do sofredor. Ele passa a evitar o lugar de trabalho, lugares públicos e mesmo sair de casa (agorafobias) na esperança de evitar ter o ataque.

Em 2006 houve uma nova abordagem sobre como eliminar o pânico pelo Terapeuta Bioenergético Ron Robbins, PhD, chamado Integração Rítmica.

O Projeto da integração rítmica apresenta um método rápido para reduzir os ataques de pânico, representando um avanço no tratamento dessa condição. A razão do seu sucesso, e o que faz dele algo diferente dos outros métodos, é que ele identifica a reação corporal que desencadeia o ataque, reduzindo drasticamente a freqüência dos ataques de pânico.(Justamente por se tratar de bioenergética, o uso constante de extratos de plantas faz com que pretos-velhos, xamãs e caboclos se unem na causa para auxiliar os sofredores)  Uma vez identificada a causa inicial que desencadeia o ataque, o pânico não pode continuar a se desenvolver. O terapeuta ajuda o paciente a se tornar consciente desses primeiros sinais e então ele é levado através do processo da Integração Rítmica a interromper o padrão do ataque de pânico e a se prevenir dos ataques se ocorrerem novamente. (Cortando assim os padrões negativos que se vinculavam a aura, limpando-a).

Através desse método, uma vez identificada a causa, o próprio indivíduo passa a ter controle sobre suas crises, podendo reduzi-las à freqüência zero no prazo de um ano (segundo demonstram as pesquisas). O método não requer o uso de nenhum tipo de medicamento manipulado em laboratório.

Vejamos uma lista de pessoas famosas que já sofreram de ataque de pânico:

Amanda Seyfried

A atriz disse à revista Glamour que faz terapia regularmente para lidar com seus ataques de pânico. Apesar de ter feito progresso, Seyfried diz que de vez em quando ainda tem ataques de pânico.

“Ainda fico muito nervosa, em parte porque acho que penso e analiso demais as coisas”, disse ela. “Começo a me preocupar com meus pais ou com meu cachorro. Imagino que ele está abrindo a janela do meu apartamento e caindo, sendo que nem eu mesma consigo abrir aquela janela.”

John Mayer

Em uma entrevista de 2012 para a revista Rolling Stone, o cantor e compositor John Mayer admitiu sofrer ataques de pânico, causados pelo medo que ele tinha de ir parar num hospício.

“Esse era meu maior medo quando estava crescendo”, disse ele. Seu amigo Joe Beleznay acrescentou: “Eu também tinha ataques de ansiedade, e a gente conversava para se acalmar. Tinha palpitações, falta de ar, calafrios e tremores, coisas estranhas. Dizíamos um para o outro: ‘Você está bem. Não está tendo um ataque cardíaco’. A cabeça dele trabalha tão rápido que acho que às vezes ele duvida da própria sanidade”.

Lena Dunham

Criadora e estrela da série “Girls” há muito fala abertamente da sua luta contra a ansiedade. No ano passado, ela conversou com o The Guardian sobre seus ataques de pânico.

“Pensei: em dois anos e meio terei 30 anos, e dez anos depois, 40, e dez anos depois, 50”, disse ela sobre um ataque de pânico recente. “É por isso que não durmo à noite.”

Como ela lida com o problema? Exercício. “Para quem sofre com ansiedade, TOC, depressão: sei que é muito chato quando as pessoas falam para você se exercitar, e levei 16 anos me medicando até dar ouvidos para as pessoas. Mas ainda bem que fiz isso. Não se trata do bumbum, e sim da cabeça”, escreveu Dunham num post no Instagram este ano.

Caitlyn Jenner

Depois de uma cirurgia plástica de dez horas no rosto para tornar seus traços mais femininos, a transex Caitlyn Jenner disse à Vanity Fair que sofreu um ataque de pânico.

“O que eu fiz? O que foi que eu fiz comigo?”, pensou Jenner depois da cirurgia. Um conselheiro a acalmou, dizendo que esse tipo de reação é “humana e temporária”.

Oprah Winfrey

Em 2013 em meio a uma agenda absurdamente cheia, Oprah Winfrey teve um ataque de pânico. Ela estava filmando “O Mordomo da Casa Branca” e fazendo várias entrevistas com celebridades.

“No começo, só me senti acelerada e meio adormecida, pulando de uma coisa para a outra e para a outra”, disse ela ao Access Hollywood . “Quando percebi (que estava tendo um ataque de pânico), pensei: ‘OK, se não me acalmar vou ter um problema sério’. Estava no meio das dublagens. Lembro de fechar os olhos cada vez que virava a página, porque olhar para a página e para o texto ao mesmo tempo era estímulo demais para meu cérebro.”

Elle Goulding

A cantora Ellie Goulding conversou com o Metro UK em 2013 sobre a terapia que fez depois de ter ataques de pânico .

“Um dia, depois de uma filmagem, estava num trem a caminho de um enterro e meu coração estava palpitando, achei que estivesse tendo um ataque cardíaco”, disse ela sobre o primeiro ataque. “Fiquei com tanto medo que disse a uma passageira: ‘Acho que estou morrendo’. Pedi para um amigo me levar ao hospital, onde me disseram que era só um ataque de pânico. Depois desse dia, tive vários ataques. Foi a época mais estranha da minha vida. Tinha pensamentos terríveis, mas não queria chamar atenção para mim… Chegou ao ponto de eu não conseguir entrar no carro para ir ao estúdio.”

Viver com ataques de pânico é difícil, e os holofotes não facilitam as coisas. Se você tem ataques de pânico, saiba que não está sozinho. (Literalmente)!

A melhor forma de tratar é o tratamento integrado, físico e espiritual!

Fontes de pesquisa:

https://www.clinicadamente.com/tratamentos/ataques-de-panico/

http://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/10460-ataques-de-panico-nao-sao-comuns-como-parecem

http://www.vanityfair.com/hollywood/2015/06/caitlyn-jenner-bruce-cover-annie-leibovitz

http://www.theguardian.com/culture/2014/jan/11/lena-dunham-called-fat-hideous-and-i-lived

http://www.rollingstone.com/music/news/the-dirty-mind-and-lonely-heart-of-john-mayer-20120606?page=3

http://www.usmagazine.com/celebrity-news/news/amanda-seyfried-receives-therapy-for-panic-attacks-2011410

http://www.accesshollywood.com/articles/oprah-winfrey-on-working-with-lindsay-lohan-her-near-nervous-breakdown-more-exclusive-137714/

Ellie Goulding: I needed therapy and pills after panic attack terror

http://www.brasilpost.com.br/2015/07/14/famosos-panico-ataque_n_7797148.html