Arquivo da tag: Mediunidade

Conhecendo Entidades – tira dúvidas!

Em uma pesquisa que esta a fazendo na linha de malandros achei uma colocação do Grupo Espírita Mensageiros da Luz – GEMEL, achamos muito válido os pontos abordados e queremos dividir com todos afim de conhecimento, esclarecimento e dúvidas que vemos que muitos médiuns iniciantes possuem

Conhecendo Seu Guia

É muito comum vermos nas redes sociais irmãos de fé perguntando: trabalho com o exu Y. Alguém conhece alguma coisa sobre a história dele?
Pois bem! Vamos esclarecer que a história de um exu Y não é igual à história de outro exu Y, pois são espíritos diferentes que trabalham com médiuns diferentes. Apenas se utilizam do nome representativo daquele grupo do qual fazem parte, seja ele, uma falange, uma sub-falange, um agrupamento ou uma coluna. Normalmente o nome utilizado pelas entidades é indicativo do seu mistério, missão, linha, irradiação e etc…

Por exemplo: Sr. Tranca-Ruas – verbo TRANCAR, ou seja, bloquear, anular, reter – RUAS, ou seja, caminhos, estradas (Ogun). Logo, trabalha sob a irradiação do orixá Ogun, guardando os caminhos, trancando, bloqueando, anulando, retendo tudo aquilo que for necessário para evitar a proliferação do mal.
Então, todos os exus Tranca-Ruas têm essas mesmas características e atuam nos mesmos campos de irradiação, mas cada um deles é um espírito distinto e possui sua própria história de vida.

Logo, se você quer conhecer a história de qualquer entidade, só poderá fazê-lo através dela mesma, com a convivência, estreitando relação e ganhando sua confiança. Para isso, mostre-se um médium digno e a altura da confiança e da amizade da entidade e, quem sabe, ela te diga até seu verdadeiro nome.

Outro detalhe importante! Não se preocupe com a mecânica gestual da entidade e nem busque conhecer essa mecânica e os trejeitos, através de outro médium que trabalhe com entidade do mesmo nome, pois estará comprometendo a naturalidade da incorporação com a prática do animismo desnecessário. Digo desnecessário por que toda incorporação tem uma dose de animismo, mesmo que inconsciente, pois é uma simbiose de dois espíritos utilizando um só corpo e as mesmas faculdades. E nesse processo, consciente ou inconscientemente, estão presentes resíduos da personalidade do médium, através das emoções, sensações, sentimentos, vivências, experiências, ou seja, o ânima.

Não é porque o Caboclo Lua do seu irmão brada que o seu caboclo lua tem bradar também.
Não é por que a Malandra Celina da Praia da sua irmã, dança, que a sua Malandra Celina da Praia tem que dançar também.
Não é por que o Pai Ambrósio do seu irmão reza com galho de arruda, que o seu Pai Ambrósio tem que rezar do mesmo jeito.

Temos que ter muito cuidado no trato com as entidades e com as incorporações, procurando ficarmos o mais isento possível e confiante na ação da espiritualidade, permitindo que ela conduza o processo da incorporação.

Mantenham a calma e a confiança na espiritualidade, que, com o tempo, através da sua evolução espiritual e do trabalho dedicado às causas do bem, você irá conhecendo verdadeiramente suas entidades, seu modo de trabalho, temperamento, comportamento e personalidade, a tal ponto, que você identificará cada uma delas só pela aproximação, assim como identificamos uma pessoa querida à distância, apenas pelos trejeitos, modo de andar ou outra particularidade qualquer.

Getulio de Xangô

Fonte:

Anúncios

Aula Corpos Espirituais – 7° Corpo – Átmico – Espírito

  • Espírito Pleno
  • Transparente – invisível
  • Foge a todo o entendimento humano
  • Transcende a tudo que tem na existência Onipresente absoluto (é a capacidade de estar em todos os lugares ao mesmo tempo)
  • Constitui Essência Divina
  • Onde está guardado todos os “valores” do ser
  • É como a planta: é semeada, brota, se desenvolve, dá seus frutos, e recicla-se, sem deixar sua essência de vegetal.
  • Não tem forma, mais acredita-se que seja um ponto de luz.

No livro Além da Matéria, Gleber nos traz a seguinte descrição:

Essência divina, consciência pura; diretora de idiogênese.

O corpo átmico é a própria partícula da vida, o principio coordenador. Também chamado de eu cósmico, mônada e semente da vida. É o espírito puro. Impossível descrever sua essência divina. Imanamente, transcendente, inexplicável e indescritível – ao menos segundo padrões humanos. Apenas é.

O corpo átmico é o ser principal, criação direta do Todo-Sábio. Tanto quanto seu criador, só pode ser sentido. Parcialmente e palidamente poderá ser analisado, pois faltam bases para que possa ser associado a algo que se conheça. É parte imortal e fonte de toda vida, a causa criada e eterna, que é ao mesmo tempo ator e ato, o espectador e o produtor de grande drama evolutivo. É imortal, consciência pura.

A cada ação do espírito no palco abençoado das encarnações, os corpos vão se adelgaçando, se transubstanciando. À medida que cresce, aprende, aperfeiçoa-se, o ser despe-se dos corpos mais pesados e densos, passando a atuar em níveis e dimensões de consciência cada vez mais sutis. Um dia brilhará puro, independente dos envoltórios que utiliza em sua caminhada rumo ao infinito.

Bibliografia de todo material sobre corpos publicado:

Aula Corpos Espirituais – 2° Corpo – Duplo etérico (sede dos chákras)

2

Duplo Etérico / Perispírito / Corpo Etérico

  • Invisível ao olho nu: por ser composto de energia existe a dificuldade para percebe-lo, assim só teremos contato perante a vidência ou desdobramento do mesmo.
  • Não tem consciência: Apesar de ser composto de energia ele vibra em uma dimensão acima da física, porém ainda pertence ao plano material por ser “grosseiro” e “vital”, desfazendo-se com a morte do físico. Sendo assim sua natureza é material.
  • Sede dos Chákras: os chákras são os órgãos deste corpo, assim como o cordão de prata é o seu órgão principal,como o coração para o físico.
  • Cascões – ao findar a vida física, e o passar das horas pós morte, este corpo assume forma de cascões esbranquiçados se tornando alimentos para espíritos inferiores.
  • Não interfere na consciência física – justamente por ter uma função especifica que é manter a vitalidade do físico e passar energias mantenedoras do mesmo, ele não possui qualquer espécie de consciência.
  • Distribui energias vitalizantes pelo corpo físico – através de seus órgãos os chákras, ele distribui toda energia captada pelo ambiente, mente e espirituais para o corpo físico.
  • Promove cicatrização de ferimentos – as energias dos chákras principais fazem com que este corpo tenha tamanha influencia no físico que qualquer situação que exponha perigo e ferimentos, ele tem força suficiente para promover cicatrização e cura das células e da pele no físico. Apenas não haverá cicatrização se houver algum empecilho emocional de interferência muito forte ou então alguma doença derivada de problemas emocionais que dificultam o processo, por exemplo a diabete. Promove cura das enfermidades localizadas pelo mesmo motivo.
  • É instrumento de operações espirituais no mundo físico – durante uma cirurgia astral, o médium em desdobramento cede seu 2° corpo para uma espécie de envelopamento ou então “luvas” para o espírito ministrante da cirurgia que já não o possui por ser desencarnado. Assim a energia ministrada na cirurgia chegará mais rápida no corpo físico do consulente e a solução será agilizada.
  • De comprimento de onda superior ao da luz violeta e ultravioleta.
  • Corpo da materialização – antigamente muito se estudava sobre o pós morte e “exigia-se” provas concretas da vida além da vida e com isto o segundo corpo do médium cedente liberava ectoplasma em uma concentração grande que promovia a forma do espírito do desencarnando dando imagem a ele para visualização humana a olho nu. Até hoje qualquer ser humano encarnado produz ectoplasma e este auxilia no processo de cicatrização relatado anteriormente também.
  • Ectoplasma = gás concentrado, de forma pastosa, plástica quando em grande concentração para materialização. O efeito de vitalidade é tão grande que o faz alvo de vampirismo por espíritos inferiores famintos.

  • Efeito Kirlian não constitui o retrato do corpo duplo etérico.
  • Se desfaz após de 48 a 72 horas do falecimento do corpo físico
  • As massas brancas vista em cemitérios são os duplos etéricos ainda perdidos após o desligamento entre o corpo físico dos demais espirituais.
  • Estende-se a ¼ de polegada (6,34 mm) a 2 polegadas (50,78mm) do físico quando em desdobramento.
  • Seu principal órgão é o cordão de prata que liga o 2°corpo a aura no 4° corpo (estudaremos o cordão no 3° e a aura no 4 corpo)
  • Duplo = duplicata do físico, igualdade em forma matriz.
  • Etérico – Eter = intermediário entre energia e matéria
  • Doenças se acumulam no 2° corpo pra depois se manifestarem no físico (1°) – energia advém das forças externas e também mentais, são captadas pelo terceiro corpo que automaticamente os enviam para o segundo onde se aglomeram, com a continuação do padrão energético da vitima sobre a energia ali enclausurada fará com que alguma desarmonia se manifeste no físico.

Suicídio, entendendo um pouco – Visão Material

É notável o numero de suicídios nos últimos tempos, onde cada vez mais se debate o assunto e cada vez mais cresce o numero de desencarnes nas grandes cidades. Qual é a procura das “vítimas de si”? O que pensam, o que os transtornam, o que os movimentam a passos largos em busca de um falso descanso, uma paz inexistente?

suicidio

Criados por um principio inteligente e entregues a um trajeto sem fim de evolução, passamos por várias encarnações e vivemos no plano astral paralelamente quando em desdobramento (sono) ou quando não ocupantes mais das vestes carnais, ganhamos inúmeras oportunidades de crescimento espiritual, aprendizado individual e ao mesmo tempo coletivo, e muito nos é cobrado referente ao respeito das oportunidades e não desperdício de tempo. Envoltos ao magnetismo planetário temos por um determinado período de tempo (encarnação), o livre arbítrio que interage com o todo, mas ainda assim não foge do foco ou como muitos chamam de destino, a EVOLUÇÃO.

Importante salientar a questão coletiva a respeito, pois um ato como este comove e adentra uma inúmera rede de pessoas, com os avanços tecnológicos disponíveis até o momento, isto vem a somar a punição dada mais tarde ao suicida, mas por quê?

Já perceberam como a notícia se propaga na atualidade? Gerando comentários, debates, temas de palestras e principalmente JULGAMENTOS.

suicidio-3

O que acontece com uma pessoas que desenvolve tendencias suicidas, como elas se iniciam?

Uma matéria muito interessante da Galileu de Novembro de 2014 trás seis sinais iniciais, vejamos:

1 – Frases de alarme
Existe um mito de que pessoas que falam em suicídio só o fazem para chamar a atenção e não pretendem, de fato, terminar com suas vidas. “Isso não é verdade, falar sobre isso pode ser um pedido de ajuda”, afirma Mônica Kother Macedo, psicanalista especializada em suicídio e professora da PUCRS. Adriana Rizzo, engenheira agrônoma voluntária da ONG Centro de Valorização da Vida (CVV) há 16 anos, já atendeu milhares de ligações de pessoas que pensavam em suicídio. Algumas das frases mais comuns ouvidas por ela foram “não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer”. Então, se você ouvir um parente ou amigo falando algo do tipo, preste atenção.

2 – Mudanças inesperadas
Todo mundo passa por mudanças na vida, faz parte do pacote. Mas algumas mudanças podem ser traumáticas quando não estamos preparados para elas. Uma pessoa fragilizada por uma depressão ou outro problema psíquico dificilmente terá condições de encarar uma mudança inesperada, como perder um emprego que considerava muito importante. “Alguém tinha um hobby e abandona tudo, era super vaidoso e fica desinteressado. A mudança de comportamento é o momento em que a gente se aproxima da pessoa para saber o que está acontecendo, porque quem sabe dividindo ela vai entender que é só uma fase”, diz Macedo.

3 – Depressão e drogas
As estatísticas alertam: para cada suicídio, há entre 10 e 20 tentativas, ou seja, quem tentou suicídio está muito mais vulnerável. “Uma tentativa de suicídio é o maior preditor de nova tentativa e de suicídio”, diz o psiquiatra Humberto Correa da Silva Filho, vice-presidente da Comissão de Estudos e Prevenção de Suicídio.

Segundo alerta: quase 100% das pessoas que se suicidaram enfrentavam algum problema mental – a maioria depressão. Quem está sofrendo depressão ou outro transtorno devem receber maior atenção . E, se a pessoa consome álcool ou outras drogas, atenção redobrada.  “O maior coeficiente de suicídio se dá por transtorno de humor associado ao uso de substâncias psicoativas, mais da metade dos casos de suicídio. Depressão e consumo de álcool e drogas é responsável pelo maior numero de mortes no mundo inteiro”, afirma o psiquiatra Jair Segal.

4 – Pode não ser só aborrescência
As taxas de suicídio dos jovens brasileiros aumentou mais de 30% nos últimos 10 anos. Mas, muitas vezes o comportamento errático atribuído como típico do adolescente pode ser um sinal de intenção de suicídio. “Existe uma falsa ideia de que a depressão atinge mais pessoas adultas. O adolescente apresenta outros sintomas, ele vai se trancar no quarto, não vai falar com ninguém, e isso vai ser entendido como fenômeno da adolescência normal, já que ele não consegue expressar seu sofrimento de uma forma clara”, explica Segal.

5 – Preto no branco
Somente 15% dos gravemente deprimidos vão se suicidar, mas a depressão severa continua sendo a maior causa do suicídio. Por isso, é preciso ficar atento quando a pessoa demonstra zero interesse na vida ou nos outros. “Para o deprimido, o mundo deixa de ser colorido, é preto e branco. Ele tem baixa autoestima, desinteresse por todos e fica muito voltado para ele mesmo”, explica o psiquiatra Aloysio Augusto d’Abreu. Quando em depressão severa, a pessoa se isola dos outros e não vê motivos para continuar viva. É um alerta de urgência.

6 – Bom demais para ser verdade
Um caso que marcou o psiquiatra d’Abreu foi o de um paciente muito deprimido que simulou uma melhora para passar o final de semana em casa e, lá, usou uma espingarda para se matar. A simulação de melhora é comum em diversos casos de suicídio, então, se uma pessoa que normalmente é deprimida parecer subitamente alegre, é importante acompanhá-la para garantir que ela não tentará o suicídio.

O que você pode fazer?
Segundo o psiquiatra da Rede Brasileira de Prevenção do Suicídio Carlos Felipe Almeida D’Oliveira, o ideal é conversar com a pessoa e não deixá-la sozinha. Ao conversar, procure não falar muito e ouvir mais, já que muitas vezes a pessoa só precisa ser ouvida. “Se possível, acompanhe-a a um profissional de saúde e peça orientação”, diz. Outra medida é retirar acesso de ferramentas potencialmente destrutivas dentro de casa – como arma, remédios e substâncias tóxicas – para evitar o uso delas em um impulso.

fonte:http://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2014/10/6-sinais-de-comportamento-suicida.html

Fato que o mal do século é a depressão, não falado por especulação mas confirmado pelo meio clinico, onde  levando ao sentido espiritual, sabemos muito  bem que as raízes da depressão advém da obsessão.

Muito se discute no meio espiritualista sobre o assunto devido aos casos complexos de obsessão, as intervenções nefastas dos imigrantes umbralinos que se especializam cada dia mais no trato de como intervir, vingar-se e afetar suas vítimas.

Importante salientar as falas do dr. Persio Ribeiro Gomes de Deus: “Suicídio e depressão são muito relacionados. Mas é muito importante ressaltar que nem todas as pessoas que apresentam um transtorno depressivo têm o risco de cometer suicídio”

De acordo com sua matéria no site: http://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/17843-entenda-quando-a-depressao-se-torna-fatal

O suicida envia uma série de sinais aos mais próximos, vejamos:

A depressão é uma doença multicausal e bastante complexa. Vários são os fatores que podem agravá-la a ponto de levar uma pessoa a tirar a própria vida:

  • A dificuldade ou recusa em buscar ajuda ou tratamento: a doença vai tendo uma evolução progressiva levando o indivíduo à total falta de energia. O “eros” é vencido pelo “tanahos”, na acepção de Freud, ou numa linguagem mais simples, o impulso que nos direciona à vida é sobrepujado pelo impulso que nos direciona à morte.
  • Doenças orgânicas: Parkinson, algumas doenças reumáticas, alguns tipos de tumores, entre outras doenças, podem produzir como consequências físicas e psíquicas um estado depressivo muito intenso.
  • Situações de perda muito intensas, que produzam uma verdadeira ruptura de valores do indivíduo. É como se ele perdesse (ou fosse perder) tudo que significa ou dá sentido a sua vida. Não tendo outros valores para continuar vivendo, tira sua vida.

e ainda trásesquizofrenic mais detalhes enriquecedores ao nosso artigo:

“Outros problemas psiquiátricos ligados ao suicídio

Podemos encontrar suicídio nas psicoses. Nestas doenças podem ocorrem alterações na percepção da realidade ou alucinações. A pessoa pode ouvir vozes que podem ordenar que a pessoa se mate ou cometa alguma atrocidade. É comum em formas de esquizofrenia e em outras formas de psicose. 

Também encontramos tentativas de suicídio e suicídio nos transtornos de personalidade, principalmente nos de tipo Borderline. 

Ainda encontramos suicídio nas doenças pré-demenciais e demenciais, geralmente associadas a alterações do estado de consciência – as chamadas “criptomnésias” – por alguns momentos a pessoa recobra o estado de lucidez, percebe seu estado demencial e não consegue conviver com isto. 

Ainda podemos encontrar o suicídio nos casos de transtorno bipolar, mormente nas fases depressivas da doença. 

Não podemos esquecer ainda de situações traumáticas, principalmente ocorridas na infância, como as violências infantis, principalmente nos casos de violência sexual com o menor em que o índice de suicídio é bastante elevado. 

Doenças físicas e uso de drogas sem dúvida também são fatores são muito importantes. Algumas pessoas são pouco tolerantes ao sofrimento e não conseguem conviver com a ideia de uma doença crônica ou incapacitante, por exemplo; ante a dor e possível sofrimento crônico optam pela solução radical. 

O uso de drogas é um dos fatores que está mais fortemente associado a suicídios, e há vários motivos para isso: 

  • Alteração do estado de consciência pelo efeito da droga e presença de alucinações e idéias suicidas alucinatórias
  • Depressão profunda pós uso da droga
  • Overdoses da droga
  • Queda do sistema imunológico, orgânico e dano cerebral, que causa prejuízo na autoodeterminação e autogerência: suicídio lento e agonizante que passa pela cirrose, lesões orgânicas em diversos órgãos do corpo de lesões cerebrais
  • Psicose induzida por Drogas: estado de loucura produzida pelas drogas que pode levar ao suicídio
  • Sensação de culpa e impotência por não conseguir vencer o vício.”

Na próxima matéria traremos o lado espiritual deste delito.

Chákras Subsidiários

Os Chákras Subsidiários:

Além dos principais existem mais vinte e um Chákras secundários de distribuição. Não iremos abordá-los em detalhe, embora possa ser útil ao pesquisador conhecer sua existência. Esses centros secundários, não estão associados a qualquer glândula específica. Entre os vinte uns ganham destaques memoráveis: os da palma de cada mão, os do solado de cada pé, os de cada joelho e o humeral nas costas.

Chákras dos pés: localizado nas solas dos pés, sua finalidade é descarregar energia elétrica (estática) gerada pelo corpo físico, como também absorver a energia Kundalini que vem da terra e a energia magnética.

Nos pés há inúmeros chákras, abaixo veja alguns correlacionados aos sete principais:

Chákras das mãos: absorve as ondas radioativas, como também transmite energia, o que explica a cura pela imposição das mãos.

Chákras dos joelhos: atua como um transformador, regulando a quantidade de corrente que deve entrar no corpo.

Chákra humeral: localizado nas costas, sobre a parte superior do pulmão esquerdo. Além de exercer influência nos pulmões, é responsável pela reação mediúnica entre o plano espiritual e o físico.

O Chákra Kalparvriksha ou árvore Kalpa, é o Chákra localizado entre o Anahata e o Manipura, tem formato de lótus, e dentro do lótus está representada uma ilha de pedras preciosas que contém um altar de jóias em que um devoto pode entrar em meditação a fim de encontrar seu guru (lê-se Gú-ru). Ele é menor em relação aos sete principais, suas pétalas são de cor vermelha e possui oito pétalas.

Outros:

Localização: Baço
Função: Paz ao nível emocional
Muito Aberto: Ira excessiva, expressa, por vezes, de maneira doentia
Fechado: Contenção excessiva da ira, que pode ser libertada de forma inconsciente.

Localização: Nas clavículas, acima das axilas, e no osso pélvico (osso da bacia)
Função: Expressão de atitudes mentais para com o corpo e seu funcionamento no mundo físico
Muito Aberto: Demasiada consciência e preocupação com o corpo.
Fechado: Inconsciente da exaustão, fadiga ou dor; sem contato com o corpo físico e incapaz de lidar com os problemas dele.

Localização: Calcanhares e pulsos
Função: Passagem da energia para satisfação das necessidades próprias e libertação da agressividade
Muito Aberto: Muito exigente
Fechado: Tendência para andar mais em bicos de pés; não exprimir o EU ou não querer ser notado; uma sensação de caminhar sobre cascas de ovos; as mãos podem ter um aspecto frio e imperfeito; dificuldade em estender a mão, dar um aperto de mão ou tocar nos outros.

Localização: Malares, ligeiramente abaixo deles, e no interior do maxilar
Função: Liberta energia para compreensão ou compreensão mais profunda relativamente ao corpo
Muito Aberto: Preocupação com o corpo
Fechado: Ignorância das necessidades do corpo; muito semelhante ao chakra anterior

Localização: No esterno, entre os mamilos
Função: Vontade de viver; dá força de vontade para as atividades físicas para a sobrevivência
Muito Aberto: Falta de cuidado quando este é necessário
Fechado: Medo de viver a vida ou de pôr o coração nos atos; por vezes sem vontade de viver

Concluindo: Os chákras têm forte influência no corpo físico e são de suma importância a nossa saúde, é bom ter conhecimento sobre cada um para saber onde e como atuar.

Fontes de estudo:

Livro Manual de Reflexologia e Cromoterapia – Autor: Pauline Wills – Editora: Pensamento

Livro Os Chákras e os Campos de Energia Humanos – Autores: Shafica Karagulla, M. D. e Dora Van Gelder Kunz – Editora: Pensamento

Livro Cromoterapia a Cor e Você – Autor: Valcapelli – Editora: Roca

http://espelhosetransparencias.blogspot.com/2005/04/chakras-secundrios.html

Doenças Relacionadas a Obsessão – parte 2

Importante, porém, lembrarmos que TODO distúrbio mental ou cerebral tem como origem uma necessidade de resgate que, agindo de acordo com as leis divinas, age na formação do corpo do reencarnante, criando predisposição para os eventos psico-bio-físicos que poderão ser ativados durante a vida carnal do espírito.

Por este motivo podemos afirmar que todos estes processos tem origem espiritual, seja ativada por resgates de existências anteriores ou por presença de obsessores junto ao encarnado – criando uma influencia psíquica que pode acionar as situações predispostas anteriormente.

Em todo caso, paralelamente ao tratamento clínico/psicológico – que é obrigatório uma vez que o distúrbio afeta partes físicas do cérebro – pode ser efetuado um acompanhamento espiritual para verificar a existência de espíritos que estejam influenciando negativamente o encarnado.
Importante também lembrar a presença/frequência em uma casa de oração e a busca pela harmonia interior através de bons sentimentos, comportamentos, atitudes e estudos, que são fatores que auxiliarão grandemente no processo de tratamento destes tipos de transtornos.
-fonte: site / Bom Espírito

TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo – como o próprio nome diz Obsessivo!

toc

Visão espiritualista:  este distúrbio tem inicio na falha orgânica entre 4 a 7 anos de idade, vindo a se desenvolver no decorrer do tempo através de manias que começam a virar rotinas até se tornarem um ritual na vida da pessoa, como quando ao levantar você vai no banheiro escovar os dentes e lavar o rosto, algo comum que no ensinam e  tomamos como ritual diariamente. São tarefas que se iniciam na mente, para um portador de TOC essas tarefas são levadas a risca. E por que isso acontece? Comandos externos (obsessor/artefatos astrais) são inseridos magneticamente no obsediado (vitima), em seus corpos mental (4º e 5º) e astral (3º). Sua atuação leva comandos desde os mais simples ao mais graves, como se não concluir determinada tarefa penalidades diversas acontecerão consigo e com seus próximos.

Quando o portador do TOC possui indícios de mediunidade aberta, faz com que seja um prato feito ao algoz, onde este atua através destes portais, projetando no físico visões e

alucinações (através da materialização sob terceiro olho). O meio mental é a parte induzida que traz comandos intensos e diretos ao cérebro, atuando assim na matéria.

Quanto as classificações, se será limpeza, manias simples, etc. Isso ocorre conforme as fraquezas da pessoa, as tendencias em comum como próprio obsessor, dependendo do plano que está, e do tipo de tortura psicológica que ele consegue provocar.

Bipolaridade – depressão bipolar

Sem títuloVisão espiritualista: este distúrbio tem inicio na falha orgânica entre 4 a 7 anos de idade, todos nós possuímos uma tríade em nosso âmago, onde em uma polaridade temos os bons valores, as alegrias que podemos classificar como nosso anjo interior, e no polo oposto os defeitos, as tristezas, que classificamos como nosso “diabinho” interior. Ao topo de nossa tríade temos a vida, para alcança-la por completo percorremos o caminho oscilando entre um e outro. O bipolar perde o filtro e a disciplina entre os dois polos, e passa a viver intensamente em um e depois troca pelo outro e leva-se tempo até conseguir se equilibrar novamente e dar seguimento na linha central da vida.

A correlação entre o bipolar e o obsessor ocorre quando o espírito encontra facilidades dentro do filtro, que são as tendencias diárias da pessoa, como por exemplo quando ela explode do nada em relação a algo que não deu certo, e altera o humor com facilidade. Neste momento o obsessor encontra uma aresta e passa a atuar nela, manipulando principalmente o humor que oscila conforme as emoções, com o passar do tempo, ele adquire forças o suficiente para manipular o ambiente que a vitima está inserida, assim mais e mais pessoas que estão no seu dia-a-dia passam a receber influencias para que proporcione uma serie de alteração de humor simultâneas para que o equilíbrio químico e emocional se desencontrem e aí passe a interagir nos polos de forma mais intrínseca.

Epilepsia – Convulsão e perda de consciência.

Visão espiritualista: este distúrbio tem inicio na falha orgânica desde a gestação a 4 anos de idade. Este é um processo complexo, onde atua o obsessor com processos elaborados, tais como fascinação, subjugação, vícios, e péssima qualidade de pensamento. O epilético é um médium indisciplinado, podendo ser leigo no assunto, ter medo e cometer fugas de suas responsabilidades espirituais onde agravam a situação e dão plenos poderes ao obsessor que mais e mais afetará o corpo fisiológico.

Explicando algumas causas: quando a pessoa nasce pode trazer informações genéticas incorretas, como doenças e pre-disposições, que denominamos como código 21. Este é um fator que fisiologicamente já vem pré-disposto a receber a obsessão, em casos de carmas, tudo dependerá das atitudes, pensamentos e acolhimento familiar.

Outro fator é o uso e abuso de drogas, seja de qualquer estipe: medicamentos, tabagismo, alcoolismo, maconha (que atua no cérebro), cocaína (destrói faringe agride o corpo), crack, heroína, entre outros que destroem neurônios, ativam o sistema nervoso central (que liberam ativações do obsessor), danificam cérebro, e demais mecanismos fisiológicos. Esses distúrbios causados pela droga além de abrir o canal de comunicação astral (visão) também aceleram a propensão a epilepsia.

Mediunidade e epilepsia – normalmente os acontecimentos correlacionados entres esses dois tópicos ocorrem quando há mediunidade se aflorando, nestes casos, incorporação. O momento da convulsão e inconsciência se dá pelo fato  dos princípios religiosos, os dogmas da vitima, acontecendo assim um choque anímico. O obsessor age com frequência fluídica tal no cérebro a ponto de adormecer a consciência, desdobrando o ser para dar lugar a sua frequência vibratória, mas não se dá conta que acaba atrapalhando o resto do processo com choque anímico, assim impossibilita sua manifestação.

Todo caso de epilepsia é ligado a obsessor?

Não propriamente dito, pode haver ali algum tipo de comunicação de luz também, ou pedidos de ajuda, o processo segue o mesmo do obsessor quanto aos choques energéticos, impossibilitando a comunicação e materialmente falando tendo apenas mais uma crise.

Por que medicação controla?

Medicação age no organismo e também ativa o epicentro cerebral assim o canal mediúnico se fecha por tempos determinados, controlado pela medicação terrena. Lembrando que o controle maior se deve por estudos e acompanhamento espiritual e controle mental também.

Acumulação Compulsiva

Disposofobia, também conhecida como acumulação, é o termo utilizado para definir a condição patológica que se caracteriza por compulsiva aquisição e acumulação de objetos, mesmo que os itens não tenham utilidade, sejam insalubres ou perigosos. Este transtorno mental resulta em impedimentos e danos consideráveis para as atividades cotidianas, como mover-se dentro da casa, cozinhar, limpar, dormir, utilizar o banheiro, dentre outros.

A prevalência desta condição é de 2-5% nos adultos, sendo mais frequente em adultos mais velhos de ambos os sexos. Alguns fatores estão associados à disposofobia englobam o alcoolismo, traços paranoicos, esquizofrenia e transtorno obssessivo-compulsivo.

fonte: http://www.infoescola.com/doencas/disposofobia/

Visão espiritualista: este distúrbio tem inicio na falha orgânica no período de 4 a 7 anos de idade.

Neste caso, o obsessor é aliado a vitima por afinidade de emoções, onde ambos desequilibrados atuam atemporalmente, vivem em um mundo alienado da realidade, vivendo e revivendo suas memorias infantis, suas emoções e suas dores. Os acumuladores possuem sempre historias de perdas, de abandono familiar, covardias emocionais, timidez excessiva que leva ao isolamento social.

Neste processo de obsessão começa com algo simples, onde se aproxima por afinidade, porem vai se tornando ao longo da vida complexo, conforme as aberturas que a vitima dá ao obsessor de manipulação e obediência, aqui caracteriza uma simbiose, e após um vampirismo, onde a vitima chega a colocar sua vida em risco, e somente com intervenção social (casos de utilidade e sanidade publica) que através de choques de realidade e tratamento físico conseguem amenizar o transtorno mental. Porem a obsessão só cessa com atendimentos e exorcismo espiritual, caso contrario a vitima voltará a acumular, passando assim a ter uma vida vigiada.

textos: C.L.V.