Arquivo da tag: padrão vibratório

ENERGIAS VIRTUOSAS

Falar de energias virtuosas, é falar de valores, de moral, de boas vibrações…Saraceni nos traz a seguinte informação:

Ao abordarmos este tipo de energia, saímos dos padrões estáveis e com dinâmica própria, para adentrarmos no magnífico padrão de E.V.M.L.C. (Energia, Vibratória, Magnética, Luminosa e Colorida) que existe no ser humano, enquanto criação divina.

A ele, é dado autonomia para a maior ou menor emissão desses padrões muito sutis de energias, que são: virtuosas, viciadas, masculina e feminina, espiritual, humana, carnal, mental, racional, emocional e sexual.

Primeiramente vamos às energias virtuosas, pois são elas que nos elevam a esferas luminosas mais sutis, quando as absorvemos por inteiro e fazemos do nosso todo espiritual um meio para sua exteriorização. Embora seja muito pessoal, pode ser transmitida, doada, passada e despertada em nossos semelhantes, desde que bem direcionadas. Podemos identificá-la:

  • Com as sete virtudes (Amor, Conhecimento, Fé, Razão, Lei, Sabedoria e Vida);
  • Com as sete cores do arco-íris divino, que são: branco cristalino, azul cintilante, rosado, verde, dourado cristalino, amarelo cristalino, prateado cintilante;
  • Com os sete símbolos sagrados;
  • Com as sete notas musicais;
  • Com os sete dons originais;
  • Com os sete graus de evolução do espírito no estágio humano;
  • Com as sete esferas ascendentes, ou luminosas.

As energias virtuosas são estados “de” e “do” espírito humano. Elas somente se manifestam, e podem ser sentidas, doadas ou despertadas, se assim o desejarmos, ou se formos induzidos a aceitar tal padrão vibratório. Sem isto, elas continuam à nossa volta sem serem por nós absorvidas. Temos então, um arco-íris invisível aos olhos carnais, mas que é sentido e percebido pelo nosso espírito imortal. Se nos harmonizamos com a energia divina, logo as energias virtuosas começam a inundar-nos com seu poder e sua força. Poder e força, em princípio, pertencem a Deus (energia divina), mas estão à nossa disposição, para que os usemos em benefício de nossos semelhantes, e da humanidade como um todo.

Quando falamos em força e poder das energias virtuosas, relacionamos aos seus opostos nas energias viciadas, que são dor e morte.

Observem bem as duas ordens, pois a força e o poder nos chegam pela energia universal, enquanto a dor e a morte nos chegam pela energia cósmica.

As virtudes somente são energias, quando incorporadas ao nosso todo espiritual. Caso contrário, sua ação construtiva, humanitária, mística e vivificante será imperceptível.

Um ser humano não místico, pode muito bem incorporar algumas cores (vibrações) das energias virtuosas ao seu todo espiritual, assim como um místico pode não incorporá-las ao seu arco-íris mental. Mas com toda certeza, somente um místico poderá incorporar (absorver) as sete faixas vibratórias das energias virtuosas.  Cada cor tem um padrão vibratório, e este revela um dom vivenciado, tanto na carne quanto em espírito, pelo ser humano. Talvez seja difícil compreendê-las descrevendo-as dessa forma, mas vamos tentar ser mais específicos e claros nas ilustrações que se seguem:

Screenshot_3.jpg

screenshot_4

O todo espiritual é composto por todas estas figuras, que são ativadas pela energia branca cintilante, através da qual a energia divina em nosso mental. Essa energia sustenta o mental, que é onde está localizada e protegida a nossa herança genética divina. Trazemos esta herança desde nossa origem, sendo que ela nos acompanhará até nosso fim, quando retornaremos à energia divina pela ação das energias virtuosas do sagrado arco-íris.

Bem, em nosso mental estão gravados os códigos genéticos que permitem nossa adaptação aos vários estágios da evolução humana, assim como os códigos dos estágios anteriores e posteriores.

Eis uma ideia aproximada de como as energias virtuosas entram em nosso todo
espiritual:

screenshot_5

screenshot_6

A ilustração mostra como ocorre a entrada das energias virtuosas em nosso todo espiritual, através dos sete canais descritos, mais um oitavo que nos inunda com a corrente contínua de energia negativa, e que desperta a vontade de ação em nosso emocional, ativando nosso racional e nossa consciência. São estas energias que têm tomado a humanidade agradável aos olhos de Deus, pois foi assim que Ele nos quis: seres humanos virtuosos, mas ativos, e não contempladores. Pois bem! Quando ativamos o Amor, o canal coletor deste padrão vibratório na energia divina passa a nos energizar cada vez mais, até alcançarmos o poder total de captação desse padrão. Mas, se esta energia não se multiplicar em nossos semelhantes, através das nossas ações, logo nos tornaremos estéreis nas coisas do Amor, uma vez que a energia acumulada passará a atormentar o emocional. Todo acúmulo sem vazão, seja ela positiva ou negativa, transforma-se num tormento insuportável. Se ativarmos o canal do Conhecimento, este nos inundará com a energia que dá sustentação ao crescimento intelectual. Mas se o conhecimento adquirido não for utilizado, a energia virtuosa irá se dispersar, e um imenso vazio se formará em nosso intelecto após alguns anos. O mesmo ocorre com relação às outras cinco energias virtuosas. Basta que você seja, ou se direcione nos seus sentidos virtuosos, para ser inundado. Elas nada mais são, como se isto já não fosse o bastante, que padrões vibratórios divinos, colocados à disposição do ser humano. Citamos várias vezes os números de 273 a 280 da escala divina,mas apenas sete números tinham correspondência. Revelamos agora, que o número 273 é o número do padrão vibratório da energia cósmica (negativa), que nos chega através do cordão negativo, ou o oitavo canal de irrigação energética do nosso todo espiritual. E ele, como não poderia deixar de ser, é neutralizado apenas pelos canais de energias virtuosas, caso contrário o todo espiritual ficaria tão negativamente energizado, que toda ação seria destrutiva.
Por tudo isso, recomendamos a todos que direcionem seus sentidos carnais e espirituais para estas energias. Somente assim poderemos neutralizar o acúmulo de energias negativas (cósmica) que, por ser uma corrente contínua, nunca cessa sua energização sobre o nosso todo espiritual. Caso não possamos neutralizá-las com ações virtuosas, a insatisfação (ausência de prazer) tomará conta do nosso ser imortal. Portanto, desperte estas energias em seu ser imortal’ Se o Criador dotou de desejo (negativo), foi para que, com a nossa consciência os transformássemos em vontades que nos enriqueçam e nos embelezem aos Seus olhos.

Referência Bibliográfica

Saraceni, Rubens. O livro das energias. 1 Ed. São Paulo. New Transcedentalis. 1993

Anúncios

Pane no sistema, alguém está desconfigurando…

   Muito se comenta no meio espiritualista sobre as atualizações dos chákras, corpos, unificações e reversões. Como temos estudado muito sobre isso nos últimos meses, resolvemos fazer um post auxiliando aos demais e desmistificando um assunto preocupante que vem se proliferando em nosso meio.

    Nosso compromisso é alertar e abrir os olhos, despertando dentro de cada individuo o ser questionador que é e deve ser, devemos sim questionar, duvidar e crescer com as reflexões do que ouvimos, lemos e interpretamos.

   A história da humanidade sempre foi muito complexa, cheia de premissas, dogmas, mistérios e um sistema controlador que visa engessar a alma humana para uma escravização mental.

   Em analise a vários textos inseridos na internet e em livros, conseguimos capturar fragmentos de uma mentira que vem se camuflando com finalidades sórdidas.

     Vejamos alguns pontos sobre unificação dos chákras.

  Os textos sempre começam com informações cheias de novidade, atualizações e premissas que induzem os leitores a quererem fazer a unificação e sair da malha energética aprisionadora de baixo padrão vibratório. Mas passando alguns parágrafos começa uma série de informações sem nexo e contraditórias.

    Nos textos encontramos pontos relevantes que falam sobre juntar energeticamente as energias dos centros de luz em um ponto único, no ponto cardíaco. Unificando e simplificando as informações, correlações e energias mais superiores fazendo assim uma conversação mais rápida com os corpos. Logo após há trechos que informam que esse sistema novo deixará de oferecer resistência as energias e cita mais a frente que também haverá resistência a própria energia de amor e sabedoria divina, havendo uma desconexão com tua essência, uma vez que quem estuda sobre os chákras entende que a função dele é captar energias do meio, intercomunicar-sem e vitalizar os órgão e o corpo físico em si. Uma vez que estamos com padrão vibratório médio/elevado os chákras tem capacidade de filtrar energias e manter estar.

    Depois fala que após esta nova etapa o individuo terá capacidade de mobilizar energias em quantidades exatas de amor e energia sexual, amor e energia de poder. Trabalhando com estágios opostos, uma vez que já trabalhamos naturalmente com estas em forma mensurada em uma escala universal. Sabendo assim que a energia sexual se encontra na escala em 4,5 e amor está em vibrando em alta escala, dado a entender que os padrões tenderão a cair. A confirmação disto vem no trecho que diz que o ser por algum motivo vir a entrar em conflito com alguém, no meio do problema os dois começarão a sorrir, de repente, a tensão desaparecerá. Aqui parece que o individuo tende a ter ações descompensadas e perde o próprio controle mental se deixando manipular por forças externas. No final ele fala do individuo como um novo ser humano de um novo padrão vibratório ao qual se torna um ser ativo, e conclui com a frase: “até a raiva é uma energia Divina”. Pra quem estuda energias e sabe dos desmembramentos energéticos que pode se fazer a partir da energia cósmica e universal, sabe muito bem que viciações não pertence a energia Divina.

     Em outro estudo vimos sobre a reversão humana, no inicio é a mesma história, fala do sistema controlador, que sim sabemos que existe, porém usa distorções.O que nos chamou a atenção foi a forma com a qual fala dos indivíduos que não sabem, não fazem ou não aceitam a “sua verdade”.  Usa palavras, textos, quadrinhos, e memes ofensivos e se diz promover a libertação dos humanos para um vida feliz e perfeita. Importante refletir  sobre o assunto. Certo conhecimento sobre o sistema ele possui, porém com traços rebeldes  e agressivos justamente que tanto a própria reversão quanto a unificação pode vir a provocar no decorrer do tempo.

   A reversão humana consiste em trabalhar com a glândula timo e o grande potencial energético que ela produz, armazenando a energia no cérebro, porém sendo trabalhada e manipulada no todo apenas com o timo. Logo percebemos que se trata do mesmo processo da unificação porém com palavras diferenciadas.

  Alertamos sobre os decretos e mantras aleatórios que venham a encontrar principalmente online, que sem tradução, interpretação e correspondência correta pode induzi-lo e levar a erros que dificultarão a  sua galgada evolutiva como ser espiritual  que és.

ENERGIA NEUTRA

Essa é uma energia que tem por função separar um padrão vibratório de outro, não importando que um seja positivo e o outro negativo. É uma corrente imperceptível, que não permite a mistura entre os infinitos padrões energéticos. Se derramarmos vários pigmentos (energias condensadas) numa solução aquosa, teremos um amálgama colorido condensado num padrão indefinido. Isto não acontece entre a energia universal e a energia cósmica, enquanto energias existentes num mesmo planeta (condensação energética) de bipolaridade. Logo, tudo o que aqui existe possui essa bivalência energética, até mesmo o ser humano, visto que algumas vezes somos positivos (virtuosos), e outras vezes negativos (viciados). Existe uma energia neutra protegendo os órgãos físicos, espirituais e supra espirituais da viciação que os destruiria para sempre, tornando-os viciados quando não podem sê-lo, sob risco de provocar a desagregação do todo espiritual (energético) que nos sustenta. Essa mesma energia neutra dá sustentação ao cinturão que nos envolve, e também ao nosso planeta. É ela que os protege, com sua impenetrabilidade, da energia cósmica que circula por todo o vácuo sideral. Muitas vezes, a energia neutra é confundida com a energia conservadora, mas elas são diferentes. A energia neutra tem um padrão vibratório zero, e é impermeável às irradiações energéticas externas, enquanto energias tangíveis, visíveis e táteis. Nós estamos sujeitos a energias muito mais poderosas que a energia de origem hidráulica, e no entanto não as sentimos, porque o padrão zero da energia neutra nos protege. Porém numa outra dimensão, ou mesmo num outro padrão vibratório, ela não nos mantém: visões chocantes, sensação de negatividade ou tangenciamento de uma condensação energética negativa (brasa, gelo, etc.).

A energia neutra nos protege das correntes contínuas, e não das condensações energéticas. Nós a encontramos no núcleo do átomo, onde ela o sustenta enquanto elemento original, com um padrão de E.V.M.L.C. próprio, o que o torna um elemento distinto, um indivíduo no meio de tantos outros indivíduos com E.V.M.L.C. totalmente diferentes. É essa mesma energia neutra que evita que a morte de um ente querido nos lance no medo da morte física, ou que impede o pânico coletivo no caso de uma conflagração bélica.
Caso tenhamos um alto grau de percepção, podemos reconhecê-la, e até mesmo senti-la, nas pessoas ditas e chamadas de “frias”. Nessas pessoas “insensíveis”, algum choque energético muito forte, e de origem emocional, causou um acúmulo muito grande de energia neutra à sua volta. Somente um outro choque emocional poderá alterar a condensação poderosa que o envolve, e impede que seu sensitivo e percepcional sofram com as dificuldades alheias (energias negativas), ou vibrem com a energia alheia (energia positiva). Portanto, mesmo neutros não devemos ser insensíveis, sob pena de anularmos nossa percepção dos reais valores envolvidos nos inúmeros padrões vibratórios positivos e negativos.

ENERGIA COLORIDA

Do ponto de vista humano, esta é a energia mais interessante, pois revela o quanto é pequeno nosso alcance visual, e como somos limitados nos nossos sete graus da escala divina. Tudo o que não vemos, escapa ao nosso controle racional, ainda que percebamos que algo mais existe e que podemos observá-lo por meios especiais de ordem mecânica. Sim.

Ao lado das sete ondas de cor contidas na nossa luz branca, milhares de outras existem, e estão aí se irradiando, dia e noite, sobre nós, chegando de todos os micro pontos luminosos que, de distâncias imensuráveis, nos enviam suas energias luminosas. A luz é uma energia, mas as cores também são energias derivadas de amálgamas energéticos. Um raio de luz pode ser decomposto em várias ondas (cores), que têm funções específicas no amplo espectro luminoso e colorido do Universo. Chamamos de energia colorida às ondas curtas ou longas contidas no interior dos raios luminosos que nos chegam de todos os pontos do Universo. Existe um aparelho com a capacidade de detectar vinte e um tipos de ondas energéticas contidas num raio de luz solar, mas nós não as identificamos, senão como variedades dos sete principais. Logo, chegamos à conclusão de que somos o que é nosso amálgama energético. Não conseguimos denominá-las, senão como misturas de cores, mesmo que, em verdade, não o sejam, porque são ondas distintas e muito bem identificadas por aquele aparelho. Nele, as ondas coloridas abrangem toda a escala visível, com picos bem definidos quando centrado na direção do espaço infinito. Isto significa que os raios luminosos mais diversos e diferentes entre si estão sendo captados dos corpos celestes espalhados no vasto cosmos à nossa volta. Podemos concluir que as cores são energias, tendo algo de especial a ser observado. Foi partindo deste princípio que iniciamos nossas observações mais acuradas. Não demorou muito para identificarmos, nas cores, as formações atômicas das condensações energéticas com capacidade de centrar e refletir uma vibração especial para cada cor analisada. Vejam que, na natureza terrestre, muitas cores sintetizadas dão as características de várias plantas, como a cor de uma flor pode caracterizar uma espécie. Também seu cheiro agradável é perceptível ao nosso olfato, relacionando-a ao nosso emocional. Identificamos na cor característica de cada espécie, uma onda irradiada que alcança um certo círculo à sua volta, resistindo à ação desintegradora do ar, por algum tempo.
Também identificamos que a cadeia atômica formada numa planta, irradia um cheiro característico, que somente as espécies vivas possuem, uma vez que após a sua morte, um outro odor parecido, mas muito mais concentrado, é exalado. Este vai se esvaindo, até a perda total de vibração atômica, e a consequente neutralização energética, que é absorvida pelo ar, pela água, pelo fogo ou pela terra. Identificamos, também, outras funções específicas em relação às cores. Como toda cor significa que uma energia está vibrando, analisando as ondas energéticas coloridas, chegamos à mais agradável descoberta: as cores absorvem energias negativas, e expelem ondas positivas no meio sob sua influência direta. Como as cores possuem identificação mística com os símbolos, dons e virtudes originais desde a mais remota antiguidade, chegamos a outra espantosa descoberta: os vegetais têm a capacidade de absorver as energias negativas que circulam livremente em todas as direções, no nosso planeta e à nossa volta.
Cada vegetal possui uma cor que capta um tipo (padrão vibratório) de energia negativa que circula à sua volta. Após tê-la absorvido, transforma-a e a irradia, já com uma qualidade (onda) positiva e estável, que se integra, pouco a pouco, à energia universal que vibra de forma perene, aumentando a concentração desta energia no local sob sua irradiação. Identificamos cada cor com uma energia negativa absorvida, e outra positiva irradiada. Eis como as classificamos, depois de minuciosas observações de flores e plantas em relação ao homem e seu meio:
Branca – absorve todos os níveis vibratórios negativos, e irradia paz, amor, bondade e desprendimento;
Azul- absorve energias viciadas de ódio, e irradia amor, contemplação, e introspecção;
Amarela – absorve energias de inveja, e irradia proteção magnética;
Verde – absorve energias radiativas e enfermiças e irradia energias magnética e universal, e em menor quantidade, a energia celestial. Logo nós a identificamos com a saúde;
Lilás – absorve as energias na mesma faixa da onda ultravioleta, assim como as negativas originadas do ódio, inveja e ambição. Irradia amor, saúde e paz, além de estimular o altruísmo.
Vermelha – absorve todos os tipos de energias negativas e irradia uma onda do mesmo comprimento que a do elemento Terra. Logo, nós a identificamos como energia magnética, forte e positiva;
Alaranjado (dourado) – absorve todas as energias negativas e irradia ondas de energias positivas que se identificam com a fé, o amor, o conhecimento e o sexo. A inflexibilidade vibratória é sua maior característica: por mais irradiações que absorva, sua constância vibratória permanece inalterada;
Marrom – absorve energias de origem enfermiça tais como: neuroses, neurastemia, irradiações radiativas de desequilíbrios emocionais os mais variados possíveis. Irradia à sua volta circunspecção, introversão, racionalização e quietude. Nós a identificamos com a Lei e a Fé, duas virtudes que têm esses predicados vibratórios onde quer que existam.
Preta – absorve todos os níveis de ondas coloridas e irradia apenas uma onda vibratória muito poderosa, que identificamos com a energia cósmica, enquanto corrente contínua, pois absorve no vácuo, todos os elétrons negativos expelidos pelos acúmulos excessivos das condensações energéticas. Logo, quem usar o preto estará criando um cinturão de energia cósmica à sua volta, que o tornará propenso a se entregar às influências dessa poderosa energia, além de ser todo irradiado por suas energias derivadas, que dão ao seu receptor uma grande força interior no sentido de ação transformadora, que é uma característica cósmica das energias negativas.
A cor se relaciona, no macrocosmo, com a predominância de um elemento na formação de um amálgama energético. Para cada cor que nos chega do espaço infinito do Universo, um elemento pode ser identificado, e isto, dentro da escala de energias, significa que milhares de elementos devem existir, porque cada elemento tem sua vibração característica e cor específica, ainda que não possamos visualizá-lo. Chegamos a outro ponto que nos interessa: as cores influenciam todo o Universo, tanto no macro, quanto no micro. Se elas identificam elementos originais, devem ter correspondência, no micro, com as formações atômicas dos elementos químicos que aqui existem. Isto significa que, em função das irradiações que nos chegam de todos os pontos do Universo, de uma maneira por nós ainda desconhecida, as formações atômicas encontram correspondência com os elementos originais formadores da vida no Universo. E isso tanto é verdade que, se nos quatro elementos originais formadores do nosso planeta, milhões de seres elementais originais e uni-vibratórios existem, também nas formações cristalinas, vegetais e minerais existem seres em formação.
Screenshot_1Chegamos assim, a outra espantosa conclusão: nós não estamos sozinhos, seja no Universo, seja no planeta Terra. Muitas outras espécies, que ainda não atingiram o estágio humano, existem, sem que tenham consciência disto. Se seres habitam os minerais, os vegetais, o fogo, a água, o ar e a terra, e mesmo o nosso próprio meio, com todas as espécies de animais existentes, concluímos que o Universo está tanto no micro (planeta), quanto no macro (em si mesmo), pois as cores nos confirmam isso de forma cabal.
Se conhecermos a chave energética de ingresso no reino vivo que existe no meio aurífero, lá encontraremos um mundo fantástico de seres dourados, que têm a guiá-los um sentido sólido de ação, que relacionamos com o das pessoas de cor dourada (cor do corpo espiritual que envolve o corpo fluídico original). Chegamos então, a uma indagação mais perturbadora: serão estes seres auríferos, os mesmos que um dia tiveram a cor dourada como matiz dos seus envoltórios espirituais? Será que um ser aurífero é o “irmão mais novo” do ser humano que tem esta mesma cor como fundo do seu todo espiritual?
Screenshot_2Bem, a resposta “N”, não obtivemos pois somos espíritos em evolução, e estamos ainda na quinta esfera ascendente, sendo que os conhecimentos da sexta esfera nos são inacessíveis. Ou subimos mais para saber qual e a resposta, ou nunca a teremos. Isto é o que nos impele para a frente e para cima. Um ser que está na sexta esfera, nunca irá nos dizer o que sabe, porque sabe que este conhecimento nos é vedado.
É em função disso, que encontramos uma espécie de ser vivente quando ingressamos num reino cristalino que vibra em determinada cor, e outra espécie quando ingressamos em outro reino com outra cor a vibrar. Embora parecidas na forma, as espécies são diferentes nas vibrações, donde concluímos que:

1- Se existem reinos com seres viventes em todas as condensações energéticas, e isso é comprovado por espíritos com capacidade de neles penetrar, temos nas cores, uma amostra de como são suas ondas vibratórias, pois para cada elemento e cor um remo existe;

2- Temos aqui uma amostra de como deve ser a vida Universo: e isso é fascinante! Esses seres não desconhecem nossa existência, assim como nós não os desconhecemos, e ainda assim, a harmonia existe. Na verdade são reinos paralelos, ou dimensões coloridas, que existem ao lado da cor branca da luz solar, e da cor azul do amálgama energético planetário.
Para a física, as cores podem ser apenas uma reflexão de ondas coloridas, mas para nós, cada uma dessas ondas revela que um reino elemental ali existe e que ele está habitado por milhões de seres diferentes de nos na aparência, mas que vibram uma ou várias das qualidades derivadas dos sete símbolos, dons e virtudes originais, que trazemos gravados em nosso mental positivo (superior) como herança genética divina. Daí, ou nós já fomos como eles ou, quem sabe, um dia eles serão como nós. Mas, até que alcancemos um grau de evolução e ascensão que nos permita obter essa resposta, vamos viver num meio o mais colorido possível. As cores são energias que podem absorver outras energias que estão à nossa volta, ávidas por nos penetrar, como as energias que, por ignorância nossa, vibram continuamente em nossos mentais inferiores (negativo).

Você controla sua mente?

Sabemos que o mal da humanidade atual é a depressão, e espiritualmente também sabemos que a depressão tem um “q” a mais, ou seja, o individuo quando começa a ter pensamentos de ordem negativa vibra um padrão baixo que se comparado a ondas de radio seria algo semelhante a FM, alcança longas distancias e desperta no plano sutil o interesse e o cheiro dos sentimentos auto depreciativos, conhecidos no meios espiritualista como auto obsessão, com a aproximação de desencarnados em estados errantes, o indivíduo passa a ter dificuldades de elevar o padrão vibratório, muitas vezes nem percebendo que se encontra e vibra em um padrão muito baixo. Se vitimizando por tempo indeterminado, perdendo assim o controle mental que antes gozava em plena saúde. Mas e você, sabe se tem controle sobre sua mente?

Faça o teste e descubra!

Para somar:

Nunca = 0
Só um pouco = 1
Razoavelmente = 2
Moderadamente = 3
Muito = 4
Sempre = 5

Abaixo tem oito itens que refere à forma como você se comportou e sentiu durante a última semana. Para cada item, indicar a classificação na resposta que mostra o que realmente você percebeu na última semana.

1. Meu futuro parece desesperador.

Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

2. É difícil para mim me concentrar nas coisas.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

3. O prazer e alegria não tem estado presente na minha vida.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo.

4. Já perdi o interesse em coisas que costumava ser importante para mim.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

5. Eu me sinto triste, sem motivação ou infeliz.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

6. Eu me sinto fracassado, me sinto inútil.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

7. Eu me sinto mais morto do que vivo.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

8. Perco tempo pensando sobre a morte e sobre morrer.
Nunca
Só um pouco
Razoavelmente
Moderadamente
Muito
Sempre, o tempo todo

Somando resultados:

Se o seu total foi de 0 a 9 = não tem depressão

Se o seu total foi de 10 a 19 = você tem possibilidade de estar com distúrbio depressivo

 Se o seu total foi de 20 a 29 = você pode estar mostrando sinais de transtorno depressivo leve ou moderado

Se seu total foi acima de 30 = você apresenta sintomas depressivos e deve buscar uma melhor avaliação diagnóstica com um profissional de saúde mental.

Atenção: Esse tipo de material deve ser usado apenas para reflexão pessoal e não defini um diagnóstico. Procure sempre um especialista

Comente!!

Fonte:

Será que você tem depressão? Faça esse teste psicológico

ENERGIA MAGNÉTICA

Para falarmos em energia magnética, temos que recorrer ao átomo e à composição do seu núcleo, onde estão agregados prótons e nêutrons. Para cada próton (energia positiva), há um nêutron. Numa melhor definição, poderíamos chamá-los de magnetos, porque é o que são: magnetismo puro agregado aos prótons para que um campo de força gravitacional seja estabelecido e se exerça uma ação de atração e repelência ao mesmo tempo. Sem os nêutrons, não existe a formação de átomos. Eles não são o que o nome sugere (neutros), mas sim magnetismo que imanta todo o campo à sua volta, permitindo o equilíbrio entre prótons (+) e elétrons (-). Com isto, temos uma amostra compreensível do que seja energia magnética.

Esta energia tem como função principal criar um campo magnético onde a energia positiva possa se manifestar, devido à imantação, ou acúmulo de energia condensada, derivada de uma das quatro energias que, no nosso planeta, formam o amálgama energético.
Um meio de romper o núcleo de um átomo é alterar seu magnetismo estático, impondo-lhe mais ou menos elétrons em sua órbita. Com isso, altera-se sua composição nuclear. Isso é possível tanto por meios químicos (eletrólise), quanto por meios físicos (bombardeio radioativo). Os reagentes químicos nada mais são que compostos de energias positivas irradiando continuamente energias negativas (elétrons) em grandes quantidades.

O planeta Terra tem dois polos magnéticos, e um campo magnético que termina exatamente onde começa o cinturão de energia celestial. Este cinturão forma-se exatamente nos limites do campo magnético, que é a expressão da força atrativa, ou gravitacional, do planeta. O campo magnético estende-se de forma homogênea ao redor do planeta, e pode ser alterado pelo fenômeno da aproximação, maior ou menor, da órbita lunar, que cria as marés altas e baixas. (Cabe aqui algumas explicações sobre esta energia no cotidiano, a atração de seres a determinadas regiões e carmas, um pequeno exemplo disso: gêmeos siameses que tem por sua maioria na Índia).

A Lua também possui um campo magnético e, por não ter um cinturão de energia celestial, irradia este magnetismo a longas distâncias. De acordo com as fases lunares, seu campo magnético influencia a Terra através da maior ou menor aproximação dos dois campos magnéticos, que são a expressão da energia de cada um desses corpos celestes. Como a Terra é estável em relação à Lua e móvel em torno do seu eixo magnético, e também em relação ao Sol, concluímos que a Lua é de exclusiva atração terráquea. Isso ocorre porque, dependendo de suas fases, o magnetismo planetário torna-se mais adequado às gêneses (nascimentos, brotos, podas, colheitas, chuvas, etc.).
Vejam como é importante o magnetismo, enquanto expressão de energia planetária. É através de uma medição de seu campo que podemos ter uma noção do quanto há de acúmulo energético no interior da crosta, ou da parte tangível de um corpo celeste positivo.
Se os cientistas construírem uma escala suficientemente sensível para medir o magnetismo de um corpo humano vivo, e que também tenha a capacidade de abranger o magnetismo planetário, poderão quantificar, por comparação, qual é a energia do planeta Terra, e mesmo descobrir como são as alterações, para mais ou para menos, que se acumulam no interior do planeta, e que tanto podem sinalizar alterações climáticas, quanto meteorológicas. Até mesmo fenômenos geotérmicos, como cataclismas, abalos sísmicos, etc., seriam medidos com antecedência, podendo ser previstas as suas intensidades e os locais exatos dos seus epicentros, uma vez que estas explosões são detectáveis pela leitura do acúmulo magnético, que é, em última análise, a expressão do acúmulo energético e da direção de onde ele irá aflorar na crosta terrestre. Por tudo isso, classificamos o magnetismo como energia magnética, pois ela é a medida exata do acúmulo energético de qualquer condensação energética. Essa energia varia de acordo com o amálgama que propicia sua formação: se for positivo, ela será compacta e de poder muito grande; se for negativo, carecerá de um cinturão celestial e, neste caso, se espalhará tal como descrevemos no caso da nossa Lua. Os átomos de urânio, rádio e mais algumas substâncias irradiantes, são formados de compostos energéticos negativos e, portanto, não possuem este cinturão limitando seu magnetismo. Como este é de origem negativa, sua tendência é alterar os corpos que forem imantados com seu magnetismo negativo e nocivo, tanto quanto sua energia negativa. O câncer, uma doença incurável, tem sua origem energética e física na alteração do magnetismo do ser humano. Enquanto os pesquisadores procurarem a cura por meios externos, não terão sucesso. O magnetismo negativo altera a distribuição e a composição genética de um tipo qualquer de célula. A partir daí, o processo vai se alastrando por todo o organismo daquele que teve seu magnetismo pessoal alterado. Quando a ciência começar a pesquisar o magnetismo como uma força (energia) tangível e sensível, mas não visível, poderá estabelecer um padrão magnético humano e, a partir dele, detectar alterações genéticas que poderão dar origem aos mais variados tipos de câncer.

Pessoas com desequilíbrio emocional contínuo têm maiores possibilidades de contraí-lo, como resultado do acúmulo interno de energias negativas condensadas e concentradas em determinados órgãos do corpo humano. Esse desequilíbrio contínuo é provocado por abusos cometidos contra o próprio corpo carnal, que se refletiram no espiritual, tornando-os negativos no emocional. Mas também pode ser uma cobrança constante do subconsciente alojado no mental, e que pulsa por muito tempo, ultrapassando inclusive várias encarnações. Sob certas condições emocionais muito negativas, o acúmulo de energias (vibrações mentais) negativas começa a alterar a estrutura das células, originando, assim, um tipo de câncer chamado de benigno.
O câncer chamado de maligno é a junção do acúmulo interno de energias negativas somadas às energias oriundas de fontes externas tais como: fumo, álcool, materiais radioativos, irradiação solar, agentes químicos nocivos, etc .. Essas fontes externas bombardeiam constantemente as células com energias negativas, alterando-as. Assim que o núcleo se torna negativo, passam a serem reproduzidos corpos estranhos ao código genético de reprodução. Rompido o equilíbrio magnético celular, e as células destituídas dos seus micro cinturões energéticos, destruídos no momento em que passaram a serem geradas células negativas, estas começam a irradiar suas energias para as células próximas, destruindo também, seus cinturões protetores, tomando-as, assim, células negativas. Como o processo é contínuo, uma vez que esse negativismo não pode ser contido de fora para dentro nos casos de tumores malignos, todo o organismo acaba sendo contaminado por estas células negativas sem o magnetismo para ordenar-lhes a reprodução. Pois é isto!
O nosso planeta tem no seu campo magnético a ordenação de toda a procriação. O balanceamento entre prótons e nêutrons na escala macro planetária, que dá origem à energia magnética, é que possibilita este equilíbrio.

O mesmo se repete no homem, pois o corpo humano e o todo espiritual absorvem continuamente energias derivadas do amálgama energético planetário. Se essas energias forem viciadas (negativas), o corpo físico acabará por se deteriorar, já que os pontos de força (chákras) que captam as energias ficarão obstruídos, absorvendo somente as energias negativas que circulam em todas as direções, desde o interior do planeta até os polos magnéticos, depois de terem aflorado na crosta terrestre. Quem chegar a este estado, adoecerá exatamente no ponto de força que está captando somente energias negativas. Também absorvemos energias negativas através do som e da imagem. Classificamos, o ruído, como estímulo negativo que cria ansiedades, angústias, neuroses, esquizofrenias, etc. A imagem associa-se às aparências que nos desagradam, tais como: morte de entes queridos, acidentes climáticos ou geológicos, líderes políticos ou religiosos criando situações catastróficas, etc. Estas imagens de desespero, insegurança, perigo, etc., alteram sobremaneira o equilíbrio energético interno, desequilibrando o nosso emocional, alterando o equilíbrio sutil, ou quintessência energética espiritual, racional, consciencial e mental do ser humano, diminuindo ou anulando, dessa forma, o magnetismo anímico existente.
Quando um ser desmagnetizado cai sob a influência das energias negativas, que afluem de todos os lados inundando o seu corpo físico e espiritual com suas vibrações nocivas e desarmonizadas, ele mergulha num terrível processo de negativismo doentio. Sua aura luminosa se apaga no momento em que as imagens e sons anulam o seu magnetismo. Este magnetismo é que sustenta a aura e, juntam ente com ela, forma o cinturão de energia celestial que protege o indivíduo contra as invasões das irradiações vindas de todos os lados.
Temos assim, na energia magnética, a sustentação da energia celestial, pois uma energia existe apenas se outra, em contrapartida, existir para sustentá-la. É bom que se anote bem esta explicação, porque uma escala energética se baseia no princípio de que várias faixas devem existir para que uma faixa possa sustentar a faixa posterior, e apoiar-se na faixa anterior. Logo, a energia magnética sustenta a energia celestial, que se sustenta e se alimenta da energia universal, que, por sua vez, faz o mesmo em relação à energia divina.

O mesmo fenômeno ocorre tanto no macro, quanto no micro. Por isso, é bom que um ser humano que esteja vibrando sob a influência das energias negativas procure as causas de sua “receptividade”, bloqueando-as no menor tempo possível. Somente assim se curará, ou impedirá que alguma doença comece a ter condições apropriadas para se desenvolver num curto espaço de tempo. Quando morre alguém muito querido, e várias pessoas caem em baixíssimos níveis vibratórios devido à tristeza provocada por aquela partida, as pessoas mais afetados pela perda logo começam a dar mostras de certas doenças antes insuspeitadas. Isso quer dizer que essas pessoas estão anulando seu magnetismo, pois o emocional é o cinturão celestial que os protege. Se o pranto, tristeza, solidão e dor o alteram, deixa escapar ou anula toda a energia magnética que mantinha o equilíbrio dos corpos físicos e espiritual. Surgem assim as doenças físicas, ou de fundo emocional, que lançam tais pessoas em depressões profundas. Isso quer dizer que as pré disposições para estas depressões já existiam, e foi necessário apenas a dissolução do cinturão celestial, ou do magnetismo interno, provocada pela paralisação das vibrações mentais, que são positivas, para que o ser humano entrasse em profunda de irradiação energética negativa. Muitos alegam que é o ente querido que partiu quem está perturbando as pessoas e causando os desequilíbrios. Quem diz isso não sabe o que diz, e não conhece as leis divinas que regem as energias. Emoções são energias, e nada mais. Se alguém encarnado cai de vibração e deixa de irradiar sua energia positiva interna, passando a ser sensível às energias negativas que circulam em todas as direções à sua volta, logo ficará doente. Isto é ciência, e não misticismo ignorante, ou religiosidade arcaica, que nada explicam e lançam a culpa em alvos errados.
Um ser humano pode sofrer uma obsessão mental de outro ser humano, e ter, pouco a pouco, o seu cinturão celestial perfurado, porque estará recebendo uma onda energética de vibração negativa, que irá envenená-lo muito lentamente, fazendo com que seu magnetismo escape através desses buracos negros.
O que causa as obsessões mentais negativas são: inveja, paixão, ódio, vingança, etc.
O ser possuído por essas energias sutis negativas vibra até o objeto de sua viciação mental em corrente contínua. Com isso vai, pouco a pouco, desequilibrando-o e perfurando sua aura de energia celestial. Por essas perfurações começam a penetrar energias negativas de toda ordem, que irão minar sua resistência emocional, assim como deixar escapar parte do seu magnetismo pessoal. Em seguida, o objeto da obsessão será invadido por uma letargia, uma vez que teve seu cinturão protetor vazado e seu magnetismo disperso no vácuo à sua volta. Existem, também, aqueles que recorrem a métodos impessoais de obsessão energética viciada. Eles usam magias negativas de toda ordem contra seus semelhantes. Num primeiro momento o efeito é fulminante caso o alvo seja um ser já em desequilíbrio emocional.

Além de não ter; mais a energia magnética em seus corpos físico e espiritual, ele estará com seu cinturão de energia celestial (aura) anulado. Para estes casos são necessárias certas ordens energéticas de natureza positiva, tais como: desobsessão espiritual, banhos com ervas magnéticas, passes magnéticos, etc.
Na ordem positiva, um ser com forte energia magnética animal e espiritual pode energizar um outro ser totalmente destituído do seu magnetismo. Mas para que a energização seja bem sucedida, o ser deficiente deve criar condições emocionais para desdobrar rapidamente seu cinturão celestial anulado e, com isto, reter o magnetismo emprestado, até que suas vibrações mentais positivas voltem a condensar sua energia magnética, fortalecendo-se e restaurando sua harmonia e sua saúde física e espiritual.

Este é o processo usado pelos espíritas, espiritualistas, sacerdotes, por certos médicos e por todos os psicólogos conscientes de sua função de conselheiros. Muitas colocam a fé como condição primeira para o reequilíbrio emocional, E por esse motivo que as “igrejas” com líderes polêmicos obtêm tanto sucesso, pregando o abandono do mundo e a entrega total a Deus. Esse processo é ultra rápido para o desdobramento do cinturão energético num primeiro momento, mas, em compensação, desperta um magnetismo viciado, uma vez que não serão vibrações mentais positivas, mas sim viciadas, que o despertarão e o acumularão. Em pouco tempo, o ser que acumulou energia magnética de origens viciadas irá se tornar um ser viciado, tal como um fanático religioso, um racista, um “dono da verdade” divina, etc. Como a fonte que o despertou foi um mental negativo, este será o responsável pela sua absorção e irradiação ao exterior. Encontramos “pastores” e “profetas” totalmente viciados nos seus princípios vibratórios, sustentando um acúmulo de magnética muito poderoso, mas sem um meio positivo (mental superior) para dar-lhe uma vazão harmoniosa. Assim, ele irá brandir o seu livro santo com a mesma energia e disposição de um espadachim.
Entre um líder guerreiro cruel, que desperta a força (energia magnética) nos seus guerreiros, e um líder religioso viciado, que desperta o racismo religioso em seus seguidores, não existem diferenças: ambos usam do poder dos seus mentais negativos para alcançarem (dar vazão) os seus objetivos (princípios viciados).
Se observarmos com cuidado, veremos que Deus é a energia divina, e que tem um padrão vibratório próximo do estado de não vibração, conforme demonstramos quando abordamos a energia universal. Porém esta energia tem na energia cósmica o seu polo negativo, representado por uma corrente contínua que varre o Universo recolhendo os acúmulos de elétrons. Por analogia, o que estes dois tipos de líderes fazem é absorver os seres humanos com excesso de elétrons, tornando-se mais poderosos em energias negativas e, assim, colhendo mais seres com excesso de elétrons. Estes seres passarão a engrossar a corrente contínua negativa original que se tornou viciada depois do discurso cruel, ou racista, conforme o caso. Com isso, chegamos à conclusão lógica, fundamentada na observação “in loco”, de que tais pessoas terão sérias dificuldades para alterarem as vibrações formadoras e sustentadoras dos seus magnetismos, porque estão centradas em mentais negativos, ainda que o magnetismo, enquanto energia, seja positivo. Isso não isenta o ser viciado de ter todo o seu magnetismo esgotado numa esfera inferior (faixa vibratória negativa, mais conhecida como Trevas), pois será a fonte (mental negativo) que conduzirá tal ser dominado por princípios viciados.
Como estamos apenas querendo demonstrar os muitos tipos, ou graus, de condensações energéticas, não vamos nos alongar nesta linha de raciocínio, porque senão teríamos que ingressar no campo religioso e desmascarar uma infinidade de charlatães que usam o santo nome da energia divina para acumularem em seus bolsos grandes quantias de moedas viciadas, arrancadas justamente daqueles que nada sabem das ciências (vibrações energéticas) divinas, e que por isso são acolhidos pelo Divino Criador, que como tal, tudo sabe, tudo sente, porque tudo está contido na energia maior, que é Ele mesmo.
Saibam mais sobre os muitos graus vibratórios positivos, e vibrarão tão positivamente, que seus magnetismos pessoais se tornarão poderosos ao ponto de energia negativa alguma anulá-los.

Dia de Finados – De los Muertos

Uma data mundial, um dia sagrado, como vimos no post de halloween a época de reflexão e cuidar de nossos antepassados inicia no dia 30 de outubro até concluir dia 02 de novembro.

Como podemos lidar com esta data sem baixar nosso padrão vibratório?

Como homenagear os antepassados sem trazer os que estão em sofrimento?

Fato que alguns países da América Central e Norte já sabem culturalmente como se comportar nesta data e desvencilhar a tristeza.  Com isso o México trouxe essa cultura ancestral tão forte que passou a ser conhecido no mundo todo.

As origens da celebração no México são anteriores à chegada dos espanhóis. Há relatos que os astecas, maias, purépechas, náuatles e totonacas praticavam este culto. Os rituais que celebram a vida dos ancestrais se realizavam nestas civilizações pelo menos há três mil anos. Na era pré-hispânica era comum a prática de conservar os crânios como troféus, e mostrá-los durante os rituais que celebravam a morte e o renascimento.

O festival que se tornou o Dia dos Mortos era comemorado no nono mês do calendário solar asteca, por volta do início de agosto, e era celebrado por um mês completo. As festividades eram presididas pela deusa Mictecacíhuatl, conhecida como a “Dama da Morte” (do espanhol: Dama de la Muerte) – atualmente relacionada à La Catrina, personagem de José Guadalupe Posada – e esposa de Mictlantecuhtli, senhor do reino dos mortos. As festividades eram dedicadas às crianças e aos parentes falecidos.

Segundo suas crenças os mortos vêm visitar seus parentes. (#fato) Ela é festejada com comida, bolos, festa, música e doces preferidos dos mortos, os preferidos das crianças são as caveirinhas de açúcar. Segundo a crença popular, nos dias 1 e 2, chamados de Días de Muertos, os mortos têm permissão divina para visitar parentes e amigos. Por isso, as pessoas enfeitam suas casas com flores, velas e incensos, e preparam as comidas preferidas dos que já partiram. As pessoas fazem máscaras de caveira, vestem roupas com esqueletos pintados ou se fantasiam de morte.

Lima – Peru

Um adendo aqui, #fato se deve a realidade da situação, muitos seres atravessam o portal, os bons e os em sofrimento. O que realmente vai definir as energias que nos rondam é o preparo que estamos para esta data, suas emoções e comportamento. Por vezes os que já foram recolhidos por postos de socorro e colônias se aproximam mas diante de sofrimento acabam por afastar e por vezes não recebem a permissão, não por mérito deles, mas pela sintonia que não ocorre, ou a alguns sensitivos, na aproximação trazem lembranças, cheiros, e trazem além da saudade muita tristeza decaindo o padrão vibratório do encarnado, com a conexão desses sentimentos baixos acabam por atingir também o desencarnado, o que atrapalha a evolução espiritual. Já os que estão em sofrimento em zonas purgatoriais além de aumentar o sofrimentos de seus familiares acabam por não voltando e criando laços obsessivos com a família e também com estranhos por sintonia de pensamento, energia e comportamento.

  • Instalação artística do fotógrafo norte-americano Spencer Tunick
  • Nos Estados Unidos a tradição se infiltrou junto aos imigrantes mexicanos, com isso além de cultura se tornou arte política. Uma forma de homenagear os soldados latino-americanos que lutaram em guerras.
  • Na Europa a tradição mexicana se instalou e fortificou, em Praga a cultura mexicana é feita a risca, incluindo as caveiras de açúcar. Mas não ficou só nisso, há homenagens aos seus antepassados e distribuição de doces e brinquedos as crianças, trazendo reflexos dos rituais celtas antigos. O curioso que em algumas cidades do continente europeu após jantarem deixam alimentos a mesa oferecendo-os aos seus mortos.
  • Na Guatemala no Dia dos Mortos, as tradicionais visitas aos túmulos dos ancestrais também acontecem, durante o dia o uso de pipas gigantes também é tradição assim como o consumo de fiambre – uma comida típica –  ao qual é preparado durante o ano.

  • Já no Brasil com a mescla de seus habitantes, as culturas miscigenaram, as pessoas vão aos cemitérios e igrejas, com flores, velas e orações. O dia tem intenção de ser positivo, para celebrar os que estão mortos.
  • No Haiti, tradições vudu misturam-se com as observâncias católicas do Dia dos Mortos, como, por exemplo, barulhentos tambores e músicas são tocados por toda a noite em celebrações pelos cemitérios para acordar Baron Samedi, o senhor dos mortos, e seu descendente, o Gede.
  • Na Bolívia a data é um pouco tardia em relação ao resto do mundo, em 9 de novembro.Após 3 anos do sepultamento do familiar é permitido levar ossos ou o esqueleto por completo para seus lares, tradicionalmente, a caveira de um ou mais membros da família são mantidas em casa para tomar conta da família e protegê-la durante o ano. No dia 9 de novembro, a família coroa a caveira com flores frescas, às vezes também as vestindo com peças de roupa, e fazendo oferendas de cigarros, folhas de coca, álcool, e vários outros itens em agradecimento pela proteção durante o ano. As caveiras também são, por vezes, levadas ao cemitério central em La Paz para uma missa especial e bênçãos.
  • No continente Asiático, um país se sobressai, Filipinas. Os filipinos cultuam por partes semelhantes aos outros, fazem limpeza dos túmulos, repinturas, decoram acendem velas e fazem orações, o que os diferencia em cultura que famílias inteiras vão ao cemitério e dormem por um ou dois dias no feriado juntos aos antepassados, jogam de cartas, levam comidas, bebidas, cantam e dançam no cemitério.
  • Na Coréia, o Chuseok é um dos principais feriados tradicionais. As pessoas vão para onde os espíritos de seus ancestrais estão consagrados e fazem cultos pela manhã, visitam as tumbas de seus ancestrais imediatos para podar as plantas e limpar a área ao redor da tumba, e fazerem ofertas de comida e bebida para seus ancestrais.
  • Apesar das datas não baterem com as ocidentais, no Festival de Ching Ming que é um festival tradicional chinês ocorre normalmente por volta de 5 de abril. Juntamente com o Festival do Duplo Nove, é uma época que os chineses cuidam dos túmulos de seus ancestrais. Além do que, pela tradição chinesa, o sétimo mês no calendário chinês é chamado de mês fantasma no qual os fantasmas e espíritos saem do além para visitar a terra.
Equador

Visitar o campo sagrado (cemitério) deve ser um dia de extremo respeito, harmonia e cheio de cuidados. Saber como entrar e sair do cemitério, pedir permissão na entrada e ir primeiramente ao cruzeiro são passos importantes a ser tomados por pessoas bem esclarecidas espiritualmente.

Ritual para entrar e sair do cemitério com proteção

Importante aqui é proteger o plexo solar, coloque um algodão, faixa, esparadrapo, band-aid no umbigo.

Ao entrar no cemitério, no portão, pedir permissão com respeito aos guardiões espirituais, para que lhe deem autorização e receba proteção durante o tempo de permanência no local. A autorização por vezes a alguns podem parecer bobagem, mas os reflexos são sentidos de horas a dias após a visita. Por isso respeito sempre em primeiro lugar.

Após a entrada ir primeiramente ao cruzeiro e ascender um vela branca as alma, fazer uma oração e pedir encaminhamento delas. mesmo que muito não saibam ou acreditem, no cruzeiro ficam os senhores dos portais, os exus que conduzem as almas recém desencarnas a outras dimensões, todos sem exceção passam por eles, retratados em quadrinhos e artigos como dona morte, são eles os exus guardiões de cemitério, alguns conhecidos como os Setes que auxiliam, o ato de ascender a vela e fazer suas orações a desconhecidos faz com que o portal se fortifique e que não corra riscos de desencarnados estranhos o seguirem, pois estarão atrás da luz da vela acesa.

No terceiro passo, se dirija ao túmulo de seu ente querido, lembrando que é importante sempre seguir os caminhos (calçadas, ruas) internas até chegar ao local, e não passar por cima de outros túmulos e tentar cortar caminhos. O desrespeito faz com que a proteção se quebre e você fique a mercê de energias não salutares. Importante também aqui não deixar crianças soltas dentro do campo sagrado, saber conduzi-las e de preferência não leva-las devido a canais mediúnicos abertos na época infantil.

Quarto passo, já no túmulo de seu ente, faça seu ritual como de costume, e após a saída faça mesmo caminho da ida. passe novamente pelo cruzeiro, agradeça mentalmente e saia. A saída tem um detalhe importante, importante fazer uma oração (a de sua preferência) e dê 10 passos de costas, sendo o ultimo pra fora do portão. Agradeça aos guardiões e siga seu caminho.

Ultimo passo, roupa e sapato usados devem ser removidos assim que chegar em casa, de preferência não entrar com sapato em seu lar, leve na mão até a lavanderia e faça a limpeza, descarte a roupa para lavar e tome banho de sal grosso ou banho com ervas (pescoço para baixo), ou sabão de coco (da cabeça aos pés). Limpeza e oração para completar seu ritual seguro.

Importante fazer esse ritual em qualquer época do ano que vá ao cemitério, mas de supra importância que seja feito neste dia significativo para os desencarnados.

Aproveite o feriado!